Conforto das Escrituras para a Segunda-Feira

“Se procedeste loucamente em te elevares, ou se maquinaste (pensaste) o mal, põe a mão sobre a boca” [1]

Só o Senhor sabe quantos corações feridos, mágoas e reputações ofendidas existem no mundo hoje por causa de palavras ditas apressada ou impensadamente, pois palavras, uma vez pronunciadas, não podem ser anuladas, por mais que haja arrependimento. “Se procedeste loucamente em te elevares”, e assim te inclinas a dizer palavras arrogantes, “põe a mão sobre a boca” [1]. É melhor que “seja outro o que te louve, e não a tua boca; o estranho, e não os teus lábios” [2]. “Ou se maquinaste o mal” e te inclinas a “falar mal uns dos outros” [3], então também “põe a mão sobre a boca”. “Todo homem seja pronto para ouvir, tardio para falar” [4], pois “a morte e a vida estão no poder da língua; e aquele que a ama comerá do seu fruto” [5]. “O que guarda a sua boca preserva a sua vida; mas o que muito abre os seus lábios traz sobre si a ruína” [6]. “Toda a amargura, e cólera, e ira, e gritaria, e blasfêmia sejam tiradas dentre vós, bem como toda a malícia” [7], e digamos com Davi: “Guardarei os meus caminhos para não pecar com a minha língua” [8]. Não permita que Satanás te iluda a acreditar que se você pensar em algo, pode dizê-lo sem problema algum (ou, como dizem, ‘sem papas na língua’). Algumas pessoas se orgulham por dizerem o que lhes vêm à cabeça. Não faça o mesmo, querido cristão! “Se maquinaste (pensaste) o mal, põe a mão sobre a boca” [1].

“Põe a mão sobre a boca”,
Se o mal pensaste e maquinaste,
Pois palavras ditas apressadamente
Possuem forjadas um mal incalculável.

[1] Provérbios 30:32; [2] Provérbios 27:2; [3] Tiago 4:11; [4] Tiago 1:19; [5] Provérbios 18:21; [6] Provérbios 13:3; [7] Efésios 4:31; [8] Salmo 39:1

Compartilhe...