Ver é crer

Você pode ver os pontos pretos? Na verdade, os pontos pretos que você vê não existem. Sempre que você olha diretamente para um, ele desaparece.

Vivemos em uma era visual. Ver é crer! Somente acreditamos no que podemos ver e tocar. Muitos acreditam que crer em qualquer outra coisa seja “fé” e fantasia – aqueles que têm a mente fraca precisam depender de “Deus” como muleta. No entanto, é interessante que, assim que a vida nos “aperta”, culpamos e amaldiçoamos o Deus que não vemos, não acreditamos e nos tornamos amargos com Ele.

Dentro de todos nós, existe uma consciência inata do Deus que nos criou. Algumas pessoas suprimem essa consciência embutida. Questionamos, Por que Deus se esconde da humanidade? Embora isso possa parecer uma maneira racional de pensar, achamos que Deus deveria pensar e agir da maneira que queremos que Ele faça.

1000 anos antes de Cristo, Deus falou através de um homem chamado Davi dizendo:

“Achou que Eu era alguém como você” (Salmo 50:21).

Tentamos trazer Deus ao nosso nível, minimizando assim Seu esplendor e grandeza. A Bíblia diz que Deus “habita na luz inacessível; a quem nenhum dos homens viu nem pode ver” (1 Timóteo 6:16).

Agora deixe-me apresentá-lo ao homem que mudou minha vida. Ele viveu há mais ou menos 2000 anos. Ele é a “figura” histórica que dividiu a história em duas, o Homem cujo nome é exaltado ou amaldiçoado em todo o mundo.

O nome dele é Jesus, que significa Salvador. Ele realizou muitos milagres espetaculares quando esteve aqui, curou os doentes e até ressuscitou mortos! Muitas pessoas viram esses milagres e ainda assim se recusaram a crer. Um seguidor próximo de Jesus quis acabar com todas as suas dúvidas e pediu a Ele: “Mostra-nos o Pai” (João 14:8). Jesus respondeu: “Quem me vê a mim vê o Pai” (João 14:9). Agora essa é uma grande alegação que vale a pena examinar!

Muitas pessoas viram e creram que esse homem era o Messias prometido que viria e os salvaria de seus opressores, mas fica claro ao ler os relatos das testemunhas oculares que Ele estava em uma missão de resgate muito específica: Ele veio para salvar você e eu. O próprio Jesus disse estas palavras: “Se não crerdes que eu sou, morrereis em vossos pecados”(João 8:24).

Não gostamos de pensar em nós mesmos como pecadores. Isso nos faz sentir desconfortáveis, mas Jesus nos deu um aviso aqui. A Bíblia diz que “todas as coisas estão nuas e patentes aos olhos daquele com quem temos de tratar” (Hebreus 4:13). Quer concordemos ou não com Deus, somos culpados diante dEle, pois é quando apreciamos a máxima bondade de Deus e a natureza ofensiva de nossos pecados que reconhecemos nosso dilema. A boa notícia é que não precisamos temer o inferno porque Jesus não veio para nos condenar, mas para nos salvar.

Jesus acabou sendo crucificado porque disse que era Deus e os judeus acreditavam que isso era blasfêmia. Pelo menos, esta é a perspectiva humana dos eventos históricos. Mas vamos examinar a perspectiva de Deus em poucas palavras:

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16).

Deus nos deu um presente – Seu Filho perfeito, Jesus. Ele morreu em nosso lugar para que você e eu possamos ser perdoados de todos os nossos erros e assim recebermos vida para sempre.
A notícia incrível é que o túmulo de Jesus foi encontrado vazio três dias depois. Jesus venceu a morte e nos oferece o presente gratuito da vida eterna.

Você concorda com Deus sobre seus pecados e deposita sua fé no Deus e Homem Jesus, que morreu em seu lugar, sofrendo a punição que esses pecados mereciam?

Todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo” (Romanos 10:13), até em pensamento serve, Ele “ouve”!

Alguns chamariam meu Jesus de muleta, e ainda assim todos escolhemos nos apoiar em alguma coisa. A questão é: sua muleta é forte o suficiente para mantê-lo quando seu tempo acabar?

Jesus disse: “Bem-aventurados os que não viram e creram” (João 20:29).

VER NÃO É CRER;

Muito pelo contrário, crer é ver. Estamos diante de uma escolha, crer ou não.
A eternidade é longa demais para estar errado sobre Jesus.

Compartilhe...