As parábolas de Nosso Senhor – A Figueira e todas as árvores

Olhai para a figueira e para todas as árvores. Quando já começam a brotar, vós sabeis por vós mesmos, vendo-as, que perto está já o verão. Assim também vós, quando virdes acontecer essas coisas, sabei que o Reino de Deus está perto (Lucas 21:29-31)

Nas escrituras, a figueira é um símbolo bem conhecido que representa a nação de Israel, “todas as árvores”, na parábola agora diante de nós, representam as várias nações em conexão com Israel.

O Senhor estava proferindo Sua grande profecia do Monte das Oliveiras. Suas palavras tristes sobre o templo ser destruído haviam trazido uma série de perguntas de Seus discípulos surpresos. Em resposta, Ele falou não apenas da iminente desolação através dos romanos sob o comando de Tito (que é a característica proeminente no relato de Lucas), mas também da última amarga tristeza de Israel quando o anticristo estará no poder em Jerusalém. Em relação a este último, deve-se fazer referência a Mateus e Marcos para informações completas. Nos três evangelhos, fica claro que a libertação será trazida pela aparição do Filho do homem nas nuvens do céu.

Como lemos nos versículos podemos, portanto, esperar que sinais de vida se manifestem em Israel e nas nações com as quais ele tem relações especiais, antes da chegada do Salvador à Terra para inaugurar o Reino de Deus visível. Isso sugere que esse grande evento está próximo, pois é indiscutível que movimentos notáveis estão ocorrendo entre os povos em questão. Um movimento nacionalista reviveu o nacionalismo em Israel; nos últimos anos testemunhamos situações similares na Grécia, Itália, Egito e outras potências, que têm suas respectivas partes para participar nos eventos descritos na parábola. Desenvolvimentos mais extensos ainda serão testemunhados. Edom, Moabe, Amom entre outras, há muito desaparecidas como nações, estão destinadas a reaparecem e a se posicionarem para o último grande evento, segundo as Escrituras. A questão oriental, tão frequentemente discutida, é na realidade a questão de Israel. Seu centro é Jerusalém. Esse problema político, não será resolvido até que o Filho do Homem saia do céu, e tome os assuntos da terra em Suas mãos como o único e legítimo Rei dos reis e Senhor dos senhores. Então as tribos de Israel serão restabelecidas na terra de seus pais, e seus inimigos e os Seus serão destruídos para sempre. O verão do mundo está realmente próximo, mas as nuvens de tempestades de juízo serão carregadas entes que possam ser trazidas.

Enquanto isso, os crentes no Senhor Jesus têm uma expectativa ainda mais gloriosa. Para eles, “o Senhor mesmo descerá do céu com grande brado”, chamando-os para casa. Nesse momento de momentos, todo crente adormecido será ressuscitado, e todo crente vivo será transformado, e assim seremos arrebatados para sempre com o Senhor. O precioso sangue expiatório dá a todo crente o direito a isso, aqueles que de outra maneira não tinham esperança, nem pretensão, e nenhum direito a não ser o sofrimento eterno. A remoção de todo cristão sem dúvida será um tremendo choque para o mundo; mas isso deve acontecer antes que o último terrível evento do mundo comece.

W. W. Fereday

Compartilhe...