Diário do Cristão para o Domingo

Adoração

“Então aproximaram-se os que estavam no barco, e adoraram-no, dizendo: És verdadeiramente o Filho de Deus” (Mateus 14:33).

“E, quando o viram, o adoraram” (Mateus 28:17).

“E, adorando-o eles” (Lucas 24:52).

Isso é o que o Filho de Deus deseja dos que são Seus… ADORAÇÃO! A adoração vem de um coração transbordando de apreciação pela pessoa e obra de Cristo. Em várias ocasiões, lemos sobre os discípulos adorando ao Senhor enquanto estavam com Ele e ocupados com Suas glórias e atributos. Também houve muitos outros durante a vida do Senhor na terra que vieram e também adoraram.

Neste primeiro dia da semana, vamos nos perguntar: “Quanto significa para nós a pessoa e a obra de Cristo? Existe verdadeira adoração em nossos corações? Ao nos encontrarmos com outros crentes, haverá uma resposta real e genuína?”

Isso é o que deleitará Seu coração. “Então o rei se afeiçoará da tua formosura, pois ele é teu Senhor; adora-o” (Salmo 45:11).

Jim Hyland

Conforto das Escrituras para o Domingo

“Bem-aventurados os que guardam os seus testemunhos, e que o buscam com todo o coração” [1]

Bem-aventurados são aqueles que buscam com sinceridade obedecer a Palavra de Deus. Ao fazer isso, buscamos ao nosso bendito Senhor, que disse que “as Escrituras… são elas que de mim testificam” [2]. “Bem-aventurados todos aqueles que nele confiam” [3]. “Guardar os seus testemunhos” [1] é honrá-Lo. Ele disse: “Se me amais, guardai os meus mandamentos” [4], e “Se alguém me ama, guardará a minha palavra” [5]. “Bem-aventurados os que guardam o juízo, o que pratica justiça em todos os tempos” [6]. Verdadeiramente, “bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite. Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará” [7]. Esteja certo de que “sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos… [sendo] fazedor da obra… este tal será bem-aventurado no seu feito” [8, 9], pois “bem-aventurados os que ouvem a palavra de Deus e a guardam” [10].

Ouça a Palavra, e pratique-a;
Não falhe em Seu pedido por atenção;
Seu Senhor será honrado,
E você será abençoado então.

[1] Salmo 119:2; [2] João 5:39; [3] Salmo 2:12; [4] João 14:15; [5] João 14:23; [6] Salmo 106:3; [7] Salmo 1:1‑3; [8] Tiago 1:22; [9] Tiago 1:25; [10] Lucas 11:28

Diário do Cristão para o Sábado (2)

Uns aos Outros

Aqui estão algumas coisas que devem nos caracterizar como cristãos em nossos relacionamentos “uns com os outros”.

“Então aqueles que temeram ao Senhor falaram freqüentemente um ao outro” (Malaquias 3:16).

“Amardes uns aos outros” (João 13:35).

“Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros” (Romanos 12:10).

“Sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros” (Efésios 4:32).

“Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros” (Tiago 5:16).

“Sendo hospitaleiros uns para com os outros, sem murmurações” (1 Pedro 4:9).

“Cada um administre aos outros o dom como o recebeu” (1 Pedro 4:10).

“E sede todos sujeitos uns aos outros, e revesti-vos de humildade” (1 Pedro 5:5).

Aqui está algo que nunca deve nos caracterizar como cristãos em nossos relacionamentos “uns com os outros”.

“Não mintais uns aos outros” (Colossenses 3:9).

Lembre-se de que nossas interações “uns com os outros” têm mais efeito para o bem — ou para o mal — do que imaginamos.

Jim Hyland

Diário do Cristão para o Sábado

A Primeira Vez

“E, como ouviram falar da ressurreição dos mortos, uns escarneciam, e outros diziam: Acerca disso te ouviremos outra vez… Todavia, chegando alguns homens a ele, creram; entre os quais foi Dionísio, areopagita, uma mulher por nome Dâmaris, e com eles outros” (Atos 17:32,34).

Pessoas são salvas em todas as idades. Fui salvo quando menino. Conheci pessoas que foram salvas na adolescência. Conheci uma jovem que foi salva recentemente em uma reunião de pregação do evangelho com vinte e poucos anos. Conheci pessoas de meia-idade e alguns mais velhos também, e até mesmo alguns que foram salvos no fim da vida ou no leito de morte.

Mas a questão permanece: “Quando é o melhor momento para ser salvo?” Normalmente, a resposta dada é “AGORA!” Embora isso seja certamente correto, ouvi uma resposta ainda melhor de uma jovem a quem essa pergunta foi feita ao sair de uma pregação do evangelho certa noite. Sua resposta foi: “O melhor momento para ser salvo é quando você ouve o evangelho pela primeira vez”.

Quantas vezes você já ouviu o evangelho? Qual é a sua resposta? Você está salvo? Não seja como aqueles que ouviram a verdade do apóstolo Paulo e zombaram ou negligenciaram. Seja como os que creram!

Jim Hyland

Conforto das Escrituras para o Sábado

“A alegria do Senhor é a vossa força” [1]

Um cristão sem alegria é um cristão sem força, tanto para manter sua própria vida quanto para comunicar auxílio aos outros. Deus deseja que Sua alegria se apegue aos nossos corações, independente do estado das coisas ao nosso redor. “Regozijai-vos sempre no Senhor; outra vez digo, regozijai-vos” [2]. O Senhor deseja que estejamos “transbordando de gozo [alegria] em todas as nossas tribulações” [3]. Ele deseja “encher de todo o gozo [alegria] e paz em crença, para que abundeis em esperança pela virtude do Espírito Santo” [4]. Muita alegria deve estar ligada a nossa salvação, e apenas uma comunhão quebrada com o Senhor pode nos roubar essa alegria. Quando isso acontece, venhamos logo ao Senhor em confissão, orando: “Torna a dar-me a alegria da tua salvação, e sustém-me com um espírito voluntário” [5]. Circunstâncias difíceis e provações amargas não deveriam anular nossa alegria no Senhor, pois podemos estar “como contristados, mas sempre alegres” [6]. Portanto, “tende grande gozo quando cairdes em várias tentações [provações]” [7]. “E a minha alma se alegrará no Senhor; alegrar-se-á na sua salvação” [8], e assim “vós com alegria tirareis águas das fontes da salvação” [9], descobrindo que “a alegria do Senhor é a vossa força” [1].

Alegria quando o coração está sobrecarregado,
Alegria quando enfrentamos provações,
Alegria na grande misericórdia do Senhor,
Alegria nEle e em Sua graça.

[1] Neemias 8:10; [2] Filipenses 4:4; [3] 2 Coríntios 7:4; [4] Romanos 15:13; [5] Salmo 51:12; [6] 2 Coríntios 6:10; [7] Tiago 1:2; [8] Salmo 35:9; [9] Isaías 12:3

Conforto das Escrituras para a Sexta-Feira

“O mesmo Senhor da paz vos dê sempre paz de toda a maneira” [1]

Deus deseja que os corações de Seu povo redimido sejam cheios com Sua própria “paz [sempre] de toda a maneira” [1]. Ele é “o Deus de paz, que pelo sangue da aliança eterna tornou a trazer dos mortos a nosso Senhor Jesus Cristo, grande pastor das ovelhas” [2]. Na noite anterior à cruz, nosso Senhor disse aos Seus: “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize” [3]. Paz é exatamente o oposto da agitação e do medo. Deus não quer que nós estejamos continuamente agitados e preocupados com nossos problemas ou nossas circunstâncias. Eles quer que tenhamos Sua paz em nossos corações, independentemente de nossas circunstâncias. Ele nos disse: “Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus” [4]. Assim, “a paz de Deus… domine em vossos corações; e sede agradecidos” [5]. “Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme em ti; porque ele confia em ti” [6].

Paz quando há problemas?
Paz quando o coração está dolorido?
Sim, Sua própria paz para guardar-nos,
Quando em Jesus permanecemos.

[1] 2 Tessalonicenses 3:16; [2] Hebreus 13:20; [3] João 14:27; [4] Filipenses 4:6‑7; [5] Colossenses 3:15; [6] Isaías 26:3

Diário do Cristão para a Quinta-Feira

Jovens das Escrituras

Samuel

“Samuel ministrava perante o Senhor, sendo ainda jovem, vestido com um éfode de linho… E o jovem Samuel ia crescendo, e fazia-se agradável, assim para com o Senhor, como também para com os homens… E crescia Samuel, e o Senhor era com ele, e nenhuma de todas as suas palavras deixou cair em terra.
E todo o Israel, desde Dã até Berseba, conheceu que Samuel estava confirmado por profeta do Senhor” (1 Samuel 2:18,26; 3:19-20).

Samuel é um exemplo notável de homem de fé e coragem no Antigo Testamento. No entanto, é importante ter em mente que tudo começou quando ele era um menino. Em 1 Samuel, capítulo 2, lemos sobre o chamado do Senhor e o ouvido aberto e atitude obediente de Samuel. Ele também se dispôs a servir no templo sob a direção do sacerdote Eli. Como resultado, ele foi criado para ser um grande profeta e juiz e uma tremenda bênção para o povo de Deus durante toda a sua vida.

Se vamos ser usados ​​pelo Senhor, tudo começa com as pequenas coisas. “Quem é fiel no mínimo, também é fiel no muito” (Lucas 16:10). Também começa com a disposição de ouvir e obedecer à Palavra de Deus. Não temos que esperar até ficarmos mais velhos para “ministrar perante o Senhor”. Aprendamos a servi-Lo nos dias de nossa juventude.

Jim Hyland

Conforto das Escrituras para a Quinta-Feira

“O qual nos declarou também o vosso amor no Espírito” [1]

O amor com o qual somos chamados a amar uns aos outros não é mero amor humano, que é tão facilmente ofendido e resfriado; é, antes, “o amor no Espírito” [1]. É “o amor de Deus … derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado” [2]. É o mesmo amor pelo qual “se manifestou o amor de Deus para conosco: que Deus enviou seu Filho unigênito ao mundo, para que por ele vivamos” [3]. Com esse “amor de Deus” em nossos corações, podemos amar aqueles que não são amáveis, e podemos amar mesmo que não seja correspondido. E podemos amar sacrificialmente, não nos importando com o quanto isso custa para nós. Pois amar com “o amor de Deus” é caro, não apenas em coisas materiais, mas em muitos outros aspectos. Pode envolver grande carga e sofrimento. “Quem, pois, tiver bens do mundo, e, vendo o seu irmão necessitado, lhe cerrar as suas entranhas, como estará nele o amor de Deus? Meus filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas por obra e em verdade” [4]. “Amados, se Deus assim nos amou, também nós devemos amar uns aos outros” [5].

Como podemos amar os desagradáveis?
Como podemos manifestar a graça de Deus?
Ao olharmos para o nosso Senhor nas Escrituras,
E alegremente contemplarmos Sua face.

[1] Colossenses 1:8; [2] Romanos 5:5; [3] 1 João 4:9; [4] 1 João 3:17-18; [5] 1 João 4:11

Diário do Cristão para a Quarta-Feira

Proteção – Parte 2

“Em ti, SENHOR, confio; nunca me deixes confundido. Livra-me pela tua justiça. Inclina para mim os teus ouvidos, livra-me depressa; sê a minha firme rocha, uma casa fortíssima que me salve” (Salmo 31:1-2).

Como dissemos ontem, Davi, neste momento de sua vida, estava em uma posição muito vulnerável. Seu coração estava partido. Seus inimigos o perseguiam e seus amigos o haviam decepcionado. Mas ele não estava indefeso. Ele sabia que Deus é a melhor fonte possível de segurança e que um relacionamento correto com Ele é a melhor estratégia de defesa. Foi aí que ele encontrou sua segurança e proteção.

Assim como uma criança encontra confiança para clamar por seu irmão mais velho e mais forte quando ameaçada por um agressor, Davi invoca o nome do Senhor. Por estar vivendo em comunhão com Ele, ele se escondeu na segurança d’Aquele que o havia ajudado muitas vezes antes, e que o amava com um amor infalível.

Somos tão rápidos em buscar essa mesma segurança? Deus é confiável! Ele era um esconderijo seguro para Davi e também é Aquele a quem devemos nos agarrar para nossa proteção. Lembre-se de que a segurança não é encontrada na ausência de perigo, mas na presença de Deus.

Jim Hyland

Conforto das Escrituras para a Quarta-Feira

“Tende paz entre vós” [1]

Deus quer que Seus filhos vivam pacificamente, e Ele nos admoestou a “seguir a paz com todos” [2]. Tal objetivo resultará em bênção para o nosso próprio coração, “porque quem quer amar a vida, e ver os dias bons, refreie a sua língua do mal, e os seus lábios não falem engano. Aparte-se do mal, e faça o bem; Busque a paz, e siga-a” [3]. Sendo este o caso, “sigamos, pois, as coisas que servem para a paz e para a edificação de uns para com os outros” [4]. Mesmo assim, a “paz com todos” pode nem sempre ser possível, portanto “se for possível, quanto estiver em vós, tende paz com todos os homens” [5]. Não podemos ter “paz com todos os homens” diminuindo nossos padrões bíblicos de conduta, pois “a sabedoria que do alto vem é, primeiramente pura, depois pacífica” [6], e sejam ou não os homens pacíficos para conosco, devemos sempre buscar viver pelos padrões da Palavra de Deus, e “sendo os caminhos do homem agradáveis ao Senhor, até a seus inimigos faz que tenham paz com ele” [7]. “O Senhor está comigo; não temerei o que me pode fazer o homem” [8]. “Muita paz têm os que amam a tua lei, e para eles não há tropeço (nada pode ofendê-los)” [9].

Como podemos ser pacíficos
Em um mundo que não conhece Seu nome?
Estando constantemente “olhando para Jesus”,
Estando dispostos a Seu vitupério suportar.

[1] 1 Tessalonicenses 5:13; [2] Hebreus 12:14; [3] 1 Pedro 3:10‑11; [4] Romanos 14:19; [5] Romanos 12:18; [6] Tiago 3:17; [7] Provérbios 16:7; [8] Salmo 118:6; [9] Salmo 119:165