Levítico 18:1-30; 19:1-19

(para maior proveito, ore, leia na Bíblia os versículos indicados e medite nos comentários)

 

 

O capítulo 17 lidou com o pecado diretamente contra Deus; Agora o capítulo 18 fala do pecado em relação a outras criaturas, principalmente seres humanos, mas também animais (versículo 23).

A terra da qual haviam saído (Egito) e a terra para a qual estavam indo (Canaã) ambas tinham maus costumes. O contraste estava em fazer o que Deus dissera a eles que fizessem, pois Ele era o Senhor e, sendo assim, perfeito. O mundo estava vivendo em corrupção moral, como hoje, e o crente não deve se conformar a este tipo de coisa. Eles saíram do Egito, como os crentes hoje deixaram o mundo que ignora o Deus vivo. Eles, então, não deviam tomar parte no mundo com eles. Eles estavam indo para Canaã, mas os cananeus estavam vivendo em corrupção tanto quanto o Egito, pois Canaã é uma figura da cristandade, onde a profissão do cristianismo é acompanhada por muitos abusos. Estas são circunstâncias angustiantes para alguém que foi chamado por Deus a um caminho de obediência a Ele, mas devemos considerar as circunstâncias como um campo de provas. Israel foi testado em Canaã, e não podemos escapar ao teste, mas temos a Palavra de Deus para nos guardar e fortalecer (versículos 4 e 5).

Essas leis do capítulo 18 tratam de assuntos que eram moralmente errados e ainda são errados hoje. Embora o crente não esteja em nenhum sentido “sob a lei”, mas “sob a graça”, isso não significa que ele é livre para quebrar os limites da moralidade. Pelo contrário, isso significa que a graça dá a ele tanto o desejo quanto a capacidade de cumprir a justiça exigida pela lei, sem se considerar sob a autoridade da lei (Romanos 8:3-4).

Vimos no começo e no fim do capítulo 18 o anúncio de Deus: “Eu sou o Senhor, vosso Deus”. No capítulo 19, a expressão “Eu sou o Senhor” aparece 15 vezes. Mas aqui é difícil encontrar qualquer divisão de assuntos, uma vez que leis de todo tipo são encontradas umas sobre as outras. Foi sugerido que, neste caso, a razão é ressaltar que a lei é uma: há uma unidade nela que não deve ser ignorada por aqueles sob a lei. Tiago 2:10 reforça fortemente isto: “Porque qualquer que guardar toda a lei e tropeçar em um só ponto tornou-se culpado de todos”.

O capítulo 19 começa com a afirmação de Deus: “Santos sereis, porque eu, o SENHOR, vosso Deus, sou santo” (versículo 2). A santidade envolve, não apenas agir corretamente, mas amar o que é bom e odiar o que é mau.

 

As ordenanças contidas nestes capítulos têm em vista a santidade prática do povo de Deus. Elas se referem a misericórdia (19:10), honestidade e verdade (versículos 11 e 12), justiça (versículos 13 a 15), boa vontade e amor (versículos 16 a 18). É humilhante encontrar os mesmos avisos dirigidos aos cristãos nas epístolas, como aqueles enviados aos efésios e colossenses. Isto prova que a velha natureza em um filho de Deus não é melhor que em um israelita em épocas anteriores. “Não fareis segundo as obras da terra do Egito, em que habitastes, nem fareis… nem andareis…”, assim começa o capítulo 18 antes de enumerar as impurezas da carne que Deus abomina. “E digo isto…”, o apóstolo Paulo ensina aos Efésios, “que não mais andeis como também andam os gentios na vaidade de sua mente, sendo obscurecidos no seu entendimento, alienados da vida de Deus, pela ignorância que há neles por causa do endurecimento do seu coração” (Efésios 4:17-19; compare também os versículos 25 e 28 de Efésios 4 com Levítico 19:11). “Andai em amor”, conclui o apóstolo (Efésios 5:2). E é também a conclusão oferecida em Levítico 19:18: “…amarás o teu próximo como a ti mesmo”. O Senhor Jesus citou este versículo e o ilustrou perfeitamente. Por esta razão, Tiago chama de “a lei real” (a do Rei) “, de acordo com as escrituras” (Lucas 10:28-37; Tiago 2:8). 

Texto baseado em diversos autores que se reuniam apenas ao Nome do Senhor nos séculos XIX e XX.

Compartilhe...