Gênesis 41:37-52

(recomendamos que leia esse trecho em sua Bíblia antes de prosseguir)

Uma grande página na história de José é agora virada. Depois do sofrimento vem a glória (compare Lucas 24:26). O outrora afligido lançado na cova, o escravo em um país estrangeiro, o prisioneiro torna-se o senhor da terra (42:30), o salvador do mundo, aquele diante do qual se dobra todo joelho (versículo 43). 

Cada um destes títulos nos fala daquele que, depois de humilhado e desprezado, logo será honrado para sempre por todos os homens. Jesus, o Nazareno, foi exaltado e coroado de glória e honra por Deus (Hebreus 2:7). E como complemento supremo de todas estas glórias, José recebeu um novo nome (Filipenses 2:9) e uma esposa gentia (Efésios 5:25-27 e Atos 15:14), uma imagem da Igreja tomada entre as nações (Efésios 1:20-23). 

Os nomes de seus filhos chamam a atenção para o trabalho doloroso da alma do Salvador: Manassés, versículo 51, que significa “ele me fez esquecer” e Efraim, versículo 52, que significa “para provar uma abundância de frutos” (compare com Isaías 53:11).

Faraó liga a vida de José a Deus (versículos 38 e 39 – “Se Deus é por nós, quem será contra nós?” [Romanos 8:31]). E seguem anos de abundância (versículo 47). O mundo está passando por seus anos de abundância – a fome vem depois. Mas José armazenou para o futuro.
 
O Salmo 105:16-21 resume esta magnífica história. Antes de enviar a fome que Ele já havia decretado, Deus preparou José pelas suas aflições. José é uma figura de Cristo em Seu papel de Salvador e sustentador da vida para o mundo e para a família de Israel. (Efraim também significa “duplamente frutífero”). Que possamos então exclamar com admiração em relação ao Senhor Jesus, “Acharíamos um varão como este?” (versículo 38).

Texto baseado em diversos autores que se reuniam apenas ao Nome do Senhor no século XIX e XX.

Compartilhe...