Gênesis 22:1-12

(recomendamos que leia esse trecho em sua Bíblia antes de prosseguir)

Abraão recebeu muitas promessas de Deus e houve muito encorajamento para ele. Agora vem a grande prova de sua vida. Estará ele desejoso de fazer a vontade Deus? Essa história nos mostra que ele estava disposto a perder o que mais amava na terra, mas não perder Deus. Depois que tiver lido estes 12 versículos, vá até Hebreus 11:17-19. Tome um minuto do seu tempo para ler também os versículos 8 a 12. Deus foi satisfeito. Crer em Deus é a maior honra que podemos dar a Ele. Em Gênesis, lemos o que Abraão fez, em Hebreus 11 lemos por que ele fez.

No versículo 2, temos primeira menção de amor na Bíblia. Aqui é o amor do pai por seu filho, uma bela figura do amor de Deus por Seu Filho. Quase que as mesmas duas palavras são repetidas nos versículos 2, 3, 6, 7 e 8. Repare na frase que é repetida nos versículos 6 e 8. Você consegue ver nessa história o quanto ela se assemelha a Deus Pai indo com Seu Filho até a cruz?
Sabemos que esta história é uma imagem da cruz. 
Quem é o único Filho, aquele que o Pai ama, se não o Senhor Jesus? 

Ele deveria ser oferecido em holocausto. O local é visto de longe nos eternos conselhos de Deus. É no monte Moriá (que significa, escolhido por Deus), onde mais tarde Davi irá oferecer o sacrifício de expiação e onde o templo será construído (2 Crônicas 3:1). Este lugar de sacrifício também é ao mesmo tempo o lugar de adoração (versículo 5). Quantos motivos encontramos ali para adorar o Pai e o Filho, indo os dois juntos, em outras palavras, com um único e mesmo pensamento para realizar a obra da salvação! 

A obediência de Isaque nos lembra a obediência do Senhor no Getsêmani: “afasta de mim este cálice; não seja, porém, o que eu quero, mas o que tu queres” (Marcos 14:36). Mas, em contraste com Isaque, que simplesmente obedeceu a seu pai, o Filho se ofereceu: “Eis aqui venho, para fazer, ó Deus, a tua vontade” (Hebreus 10:9). 

Outra vez diferente de Isaque, que não sabia o que seu pai ia fazer, nos é dito:
“Sabendo, pois, Jesus todas as coisas que sobre ele haviam de vir, adiantou-se…” (João 18:4). Por último, em contraste com a voz do Anjo que parou a mão de Abraão, nenhuma voz foi ouvida no Gólgota para afastar a espada do juízo que tinha que cair sobre o Filho de Deus.

O Senhor Jesus Se entregou como um sacrifício perfeito a Deus. Hebreus 9:26 e 10:12. Esta história é uma fraca figura do sacrifício perfeito na cruz do Calvário. Nosso bendito Salvador foi até o fim. Nenhum substituto foi encontrado para Ele. A pergunta feita no versículo 7 não fica totalmente respondida até o Evangelho de João, capítulo 1, versículos 29 e 36.

Texto baseado em diversos autores que se reuniam apenas ao Nome do Senhor no século XIX e XX.

https://meditacoessobreoantigotestamento.blogspot.com/2020/03/genesis-2122-34.html

Compartilhe...