Conforto das Escrituras para o Domingo

“Desgarrei-me como a ovelha perdida; busca o teu servo, pois não me esqueci dos teus mandamentos” [1]

Antes de termos sido salvos pela graça de Deus, está escrito que “todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o Senhor fez cair sobre Ele a iniquidade de nós todos” [2]. Mas agora, graças a Deus, é dito de nós que conhecemos o Salvador que “éreis como ovelhas desgarradas; mas agora tendes voltado ao Pastor e Bispo das vossas almas” [3], Aquele que diz: “As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheço-as, e elas me seguem; e dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão” [4]. Mas embora estejamos para sempre seguros sob sua proteção, ainda temos a capacidade de “desgarrar-nos como a ovelha perdida” [1] e agir como uma pessoa não salva, pois ainda temos dentro de nós aquela natureza carnal que é comum a todos os homens, na qual “não habita bem algum” [5]. Portanto, somos exortados: “Revesti-vos do Senhor Jesus Cristo, e não tenhais cuidado da carne em suas concupiscências” [6]. Mas, graças a Deus, quando nós, que O conhecemos, nos “desgarramos como a ovelha perdida” [1], “nosso Senhor Jesus Cristo, grande pastor das ovelhas” [7], nos chama de volta para Sua comunhão, quando Lhe “confessamos os nossos pecados” [8].

Estou seguro para sempre em Seu rebanho;
Nenhum poder pode dali me arrebatar;
No entanto, Ele sempre vigia a minha alma,
Para me restaurar quando eu me desgarrar.

[1] Salmo 119:176; [2] Isaías 53:6; [3] 1 Pedro 2:25; [4] João 10:27-28; [5] Romanos 7:18; [6] Romanos 13:14; [7] Hebreus 13:20; [8] 1 João 1:9

Compartilhe...