Gênesis 50:15-26

(recomendamos que leia esse trecho em sua Bíblia antes de prosseguir)

Após a morte de seu pai, mais uma tristeza para José. Seus irmãos duvidam de seu amor. Eles pensam que agora que Jacó se foi, ele se vingará. Em outras palavras, pensavam em Jacó como sendo o protetor deles, mais do que José. Haviam desfrutado do amor, proteção e provisão de comida vinda de José por 17 anos e agora têm medo dele! Com que ternura José os tranquiliza, explicando a eles o pensamento de Deus e confirmando sua promessa de cuidar deles e de seus netos. 

Tudo isso é muito parecido conosco. O coração de cada crente logo fica com dúvidas acerca do imutável amor de Deus. Não há nada além de amor para nós. Toda a ira de Deus acerca de cada pecado que cometemos em toda a nossa vida foi descarregada sobre o Senhor Jesus. Simplesmente não sobrou nenhuma ira. Não sobrou nada além de amor! E cada ato dEle para conosco (mesmo as dificuldades) é um ato de amor (Hebreus 12:5-13). Às vezes, nós também não duvidamos do amor do Senhor mesmo depois Dele nos ter dado tantas provas?

Assim como os irmãos de José, muitos cristãos se negam a acreditar que estão totalmente perdoados (1 João 4:18). Seu coração é muito sensível a essa falta de confiança. É como se Ele estivesse nos dizendo: “Estou há tanto tempo convosco, e não me tendes conhecido” (João 14:9).

Chegamos ao fim do livro de Gênesis, ele começou com a criação perfeita de Deus e termina com um caixão no Egito. Enquanto dois capítulos são dedicados à história da criação dos céus e da terra, quarenta e oito capítulos são dedicados principalmente as vidas de homens e mulheres. Deus está interessado nas pessoas. Que conforto e desafio para aqueles que o conhecem!. 
Gênesis é como uma biografia, vimos que quase todos os mistérios de Deus são vistos em resumo aqui. Mas antes de fechar este livro, ouvimos novamente a “certeza” da fé (versículo 24). As últimas palavras de José a seus irmãos, a única de todas as suas ações que está registrada para nós em Hebreus 11:22. Mesmo no meio da abundância e do bem-estar no Egito, ele prevê a partida de seus irmãos e a transferência de seus ossos para Canaã. Que possamos imitar a fé de José! A fé de José o leva muito além do caixão no Egito. Ela alcança um dia melhor. Um dia eterno. “Deus certamente vos visitará!” Assim ele dá ordens a respeito de seus ossos. Que estes também deveriam ser levados de volta à terra (e foram – veja Josué 24:32, Êxodo 13:19). 

Na última referência vemos o valor dado por Deus à fé de José. O Egito só podia dar um caixão. Este mundo é nosso Egito. Mas podemos agradecer a nosso bendito Senhor Jesus Cristo, pois por Ele podemos dizer, “Certamente vos visitará Deus”! 

Texto baseado em diversos autores que se reuniam apenas ao Nome do Senhor no século XIX e XX.

Compartilhe...