Gênesis 24:1-14

(recomendamos que leia esse trecho em sua Bíblia antes de prosseguir)
A morte de Sara nos sugere Israel sendo colocado de lado (o povo de qual descendeu o verdadeiro Isaque), após a ressurreição do Senhor (Gênesis 22). Para garantir a semente da promessa, Abraão, o “pai de muitas nações”, tem um plano em mente cuja narrativa registra cuidadosamente a preparação para a viagem: dar uma esposa para seu filho. Mas agora entra uma terceira pessoa; o servo mais velho de sua casa, “um que tinha o governo de tudo o que possuía”, uma impressionante figura do Espírito Santo enviado a terra para reunir os que constituirão a Igreja, a noiva de Cristo. Assim, o Pai, o Filho e o Espírito Santo, que trabalharam juntos na criação, também trabalham juntos na escolha, chamada e reunião dos redimidos que estão unidos a Cristo ressuscitado. Esta noiva será buscada em um país distante. É entre aqueles “que… estavam longe” que Deus escolheu e chamou companheiros para Seu Filho (Efésios 2:13).

O versículo 11 diz que “Ele parou fora da cidade, junto a um poço de água quando as moças saíam para buscar água”. Que solene, “fora da cidade”, fora do arraial, junto a um poço de água, poço de água nos fala da Palavra de Deus, e no momento em que iam buscar água, talvez leitura ou ouvir da Palavra de Deus (Romanos 10:17). “Toda Escritura é divinamente inspirada e proveitosa”, 2 Timóteo 3:16.

No versículo 13, nos diz que ele está “em pé junto à fonte de água”. Esse em pé nos fala de alguém aguardando pacientemente, como o Senhor Jesus em pé em Atos 7:56. Podemos meditar muito tempo nestas cenas. Em Apocalipse, o Senhor Jesus está assentado no trono, nesta posição Ele está em caráter de juiz, a espera acabou.

Que modelo de dependência temos neste servo de Abraão. Na casa de seu senhor, aprendeu a conhecer o SENHOR, com quem agora trata pessoalmente. Ele dirige sua oração a Ele (Ouvirás de manhã a minha voz, Jeová; De manhã te apresentarei a minha oração, e ficarei de vigia – Salmo 5:3). Antes de empreendermos qualquer coisa, que possamos falar primeiro ao Senhor sobre isso.

No versículo 14, o sinal da “escolhida”, ela daria de beber não somente a ele, mas a seus 10 camelos. Depois de uma longa viagem no deserto o que eles, homem e animais, mais precisavam era água e essa mulher estaria disposta a servi-los, não fornecendo apenas um gole, mas água em abundância. Serviço, benevolência e muito da “palavra de Deus” deveria ser uma das características da noiva.

Texto baseado em diversos autores que se reuniam apenas ao Nome do Senhor no século XIX e XX.

Compartilhe...