Profundeza das águas

“Salve-me, ó Deus; porque as águas entraram até a minha alma… entrei na profundeza das águas, onde a corrente me leva” (Salmo 69: 1-2)

Que grito agonizante de desespero! Davi, que escreveu essas palavras, estava sentindo essa pressão vinda de Deus e então clamou por ajuda. Mas ele não percebeu que, em tipo, estava falando e sentindo o que nosso Senhor Jesus experimentou em relação com o Calvário. A horror da ira de Deus contra o pecado era tão terrível que Jesus sentiu como se estivesse se afogando em um oceano turbulento.

A oração de Jonas nas entranhas do peixe incluía esses sentimentos: “As águas me cercaram até à alma, o abismo me rodeou, e as algas se enrolaram na minha cabeça” (Jonas 2:5). Ele também é uma figura do Senhor submerso nas águas do julgamento de Deus naquelas três horas de trevas quando “Ele mesmo levou em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro” (1 Pedro 2:24).

Jamais conheceremos toda a extensão do que Jesus sofreu, mas sempre podemos agradecer a Ele por suportá-lo por nós.

Baseado nos textos de Jim Hyland

Compartilhe...