Como salvar os outros e glorificar a Deus (Judas 20-25)

“Mas vós, amados, edificando-vos a vós mesmos sobre a vossa santíssima fé”

ESTA É A MANEIRA PELA QUAL O DIABO É SUPERADO. “Se permanecerdes na Minha palavra”, disse o Senhor Jesus, “verdadeiramente sois meus discípulos; e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (João 8:31-32). A verdade e a fé formam uma unidade. A verdade apresentada a nós em sua plenitude em nosso Senhor uma vez crucificado, mas agora ressuscitado e glorificado, é nossa “santíssima fé”. Estabelecida para nós na Palavra de Deus – as Sagradas Escrituras. “Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a palavra de Deus está em vós, e já vencestes o maligno” (1 João 2:14).

“Orando no Espírito Santo”

ESTA É A MANEIRA PELA QUAL A CARNE É SUPERADA. Pois orar significa que não confiamos na carne, mas temos consciência e, pela oração, expressamos nossa dependência de Deus, e orar no Espírito Santo certamente requer andar no Espírito, e “Isso eu digo, então, ande no Espírito e NÃO cumprireis os desejos da carne” (Gálatas 5:16).

“Guardai-vos no amor de Deus”

ESTA É A MANEIRA PELA QUAL O MUNDO É SUPERADO. “Tudo que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não procede do Pai, mas procede do mundo”, e embora possa ser tudo muito atraente para aqueles que não conhecem a Deus, perde todo o seu glamour quando a glória do amor de Deus brilha sobre a alma: “Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele” (1 João 2:15).

“Esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo, para a vida eterna”

ESTE É O CAMINHO PELO QUAL O PODER QUE A TERRA PODERIA EXERCER SOBRE NÓS É SUPERADO. É a maneira pela qual somos impedidos de sermos envolvidos por seus esquemas de autoaperfeiçoamento cheios de bons argumentos que deixam Deus e Cristo de fora. Não esperamos que grandes líderes se levantem dentre os homens para corrigir as coisas, mas esperamos a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo do céu; nossas esperanças estão todas centradas Nele, e sendo assim, devemos ter uma mente celestial e não terrenal. “Pois muitos andam entre nós, dos quais, repetidas vezes, eu vos dizia e, agora, vos digo, até chorando, que são inimigos da cruz de Cristo… QUE SE CONCENTRAM APENAS EM COISAS TERRENAS. Pois a nossa pátria está nos céus, de onde também aguardamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, o qual transformará o nosso corpo abatido, para ser conforme o seu corpo glorioso, segundo o seu eficaz poder de sujeitar também a si todas as coisas. (Filipenses 3:18, 20-21 ).

NOSSA SANTÍSSIMA FÉ é a rocha inabalável sobre a qual a infinita misericórdia colocou nossos pés; e sobre a qual estamos afastados do abismo horrível da nossa imoralidade e pecado; e da lama e sujeira do espiritismo e tantas outras filosofias e ilusões anticristãs do diabo. Nela temos uma firme posição e não somos mais jogados de um lado para o outro, levados pelas agitadas marés do pensamento moderno, ou por doutrinas de homens que buscam enganar. E essa rocha é Cristo.

O ESPÍRITO SANTO habita em nós de acordo com a maravilhosa graça de Deus, e pela oração nos coloca em contato verdadeiro com o poder de Deus, de modo que somos mantidos em triunfo em nosso conflito pela fé que uma vez foi dada aos santos. Ela produz grande conforto e conduz à quietude e a confiança do coração ao saber que uma Pessoa divina, que é o Espírito da verdade, está em nós, para ser uma testemunha da verdade e nos manter na fé. Orar no Espírito Santo é simplesmente estar em comunhão com Ele.

O AMOR DE DEUS é o Sol da nossa fé, nos raios luminosos dos quais nossas almas se fortificam; é a atmosfera, o próprio “ar” da nova vida. Nele somos preservados das frias e anestesiantes influências do mundo.

A MISERICÓRDIA DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO é nossa esperança e expectativa, uma esperança que não nos envergonhará, mas que ficará mais forte e mais brilhante à medida que nos aproximamos de sua realização, porquanto o amor de Deus está derramado em nosso coração pelo Espírito Santo que nos foi dado.

Sendo assim libertados da horrível algema em que o diabo, a carne e o mundo teriam nos mantido, e mantidos livres dos emaranhados das coisas terrenas PODEMOS SALVAR OS OUTROS; ter compaixão por eles enquanto lutam e clamam por libertação. Existem duas grandes qualidades necessárias para isso: compaixão pelos homens em suas misérias, e TEMOR daquilo que causa a miséria, que é pecado; e uma terceira qualidade, ABORRECIMENTO pelas contaminações da carne. A compaixão em nós deve sempre ser cercada pelo temor e por aborrecer o mal, para que, pelo contato com ele, não nos acostumemos a isso e, portanto, pensemos pouco nestas coisas. Para sermos salvadores de outros, precisamos de coragem, energia, prontidão, pois precisamos tirá-los do fogo. A referência é aos anjos que arrastam Ló e sua esposa e filhas para fora de Sodoma. Se nos atentarmos que o mal e a contaminação do “sistema mundial” são tais que não podem ser purificadas, mas devem ser objeto do fogo do juízo de Deus, devemos temer e aborrecer mais; e veremos que o único meio seguro dessas coisas é retirá-las e colocar no lugar em que nossa mais santa fé é o fundamento, o Espírito Santo, o poder unificador e a luz e a alegria o amor de Deus – isto é, o mundo de Deus ao qual todos os Seus filhos pertencem.

Enquanto habitamos na luz da alegria do mundo de Deus, e estamos conscientes de que a moda do mundo do homem desaparece, mas o mundo de Deus permanece para sempre, podemos elevar nossa voz em louvor a Deus. PODEMOS GLORIFICAR A DEUS. Podemos atribuir glória e majestade, domínio e poder, antes de todos os séculos, agora e para todo o sempre, a Ele, pois Ele é O ÚNICO DEUS SÁBIO que não apenas estabeleceu um mundo de felicidade eterna, mas é nosso Salvador, e encontrou uma maneira pela qual Ele pode nos libertar da contaminação do mundo que está condenado e nos levar ao Seu mundo. Mas não apenas isso, Ele é capaz de nos impedir de cair, nos impedir de tropeçar e voltamos a lama da qual Ele nos tirou e nos apresentar puros de toda a contaminação, sem falhas diante da presença de Sua glória – a qual somente a perfeição da Sua própria obra pode permanecer – e isso não com vergonha e arrependimento, mas “com grande alegria”, pois então Ele mostrará a magnitude das riquezas de Sua graça em Sua bondade para conosco. Hoje é o dia das atividades dessa graça para conosco, em nós e através de nós, e é somente por essa graça que somos capazes de salvar os outros e glorificar a Deus.

J. T. Mawson

Compartilhe...