Diferença entre Vida Eterna e Viver para Sempre.

Alguns pensamentos sobre ‘A Vida Eterna’ e o ‘Viver para Sempre’.
O jovem rico ( Mateus 19.16 )ao indagar do Senhor o que ele deveria fazer para alcançar a vida eterna, o Senhor respondeu-lhe: “Não matarás, não cometerás adultério, não furtarás, não dirás falso testemunho, honra a teu pai e a tua mãe e amarás o teu próximo como a ti mesmo”.

Isso pode soar um pouco estranho ao lembrarmos as várias vezes que João menciona a posse da vida eterna sempre relacionada ao crer no Senhor Jesus, sempre dando a entender que não são as obras que nos farão alcançar a “vida eterna” e sim a fé no bendito Salvador Jesus.

Quando o jovem rico (judeu) perguntou ao Senhor Jesus sobre vida eterna se referia à ‘vida para sempre’, pois os judeus sabiam que a Lei prometia vida eterna, ou seja, a vida aqui neste mundo aos que a obedecessem, mas até então ninguém havia vivido mais que o tempo normal de uma vida comum.

O mesmo ocorreu quando aquele ‘doutor da Lei’ ( Lucas 10.25 ) querendo colocar o Senhor à prova, perguntou-Lhe: “Mestre, que farei para herdar a vida eterna?” O Senhor novamente faz menção da Lei, e ao ouvir o doutor da Lei citá-la,o Senhor disse: “Respondeste bem; faze isso e viverás”.

A Lei: “Portanto os meus estatutos e os meus juízos guardareis; os quais fazendo-os o homem,viverá por eles: Eu sou o Senhor”. ( Lv 18.5; Ne 9.29; Ez 20.13; Rm 10.5; Gl 3.12.)
A Graça: “Quem crê no Filho tem a vida eterna”.

Não devemos confundir isso: para Israel, a esperança, as promessas e as bênçãos são todas terrenas, mas para a Igreja,são todas celestiais.

Assim também em Atos, como em todas as Epístolas do Novo Testamento, quando se faz referência acerca da ‘vida eterna’ sempre existe uma relação com o ‘conhecer Deus’ e crer na Obra e na Pessoa do Senhor Jesus.

A vida eterna está geralmente nas Escrituras em contraste com a morte. Ela é revelada no Senhor Jesus. “Ele é o verdadeiro Deus e a Vida Eterna.” “E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna, e esta vida está em Seu Filho, quem tem o Filho tem a vida: quem não tem o Filho de Deus não tem a vida.” ( 1 João 5:11,12 ). “Aquele que tem o Filho de Deus, portanto, tem a vida agora, e sabe isso pelo Espírito Santo, o Espírito da vida.” ( 1 João 5:20 ) O apóstolo João fala da vida como um estado subjetivo nos crentes, embora inseparável do conhecimento de Deus plenamente revelado como o Pai no Filho, e de fato caracterizado por isso.O Senhor disse: “E a vida eterna é esta: que Te conheçam, a Ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.” ( João 17:3 ).

O apóstolo Paulo apresenta a vida eterna mais como uma esperança diante do cristão ( Tito 1.2; 3.7 ), uma vez que entendemos que a vida eterna para o cristão refere-se à sua plenitude para a glória de Deus, quando o atual corpo, como parte da velha criação, será mudado e haverá plena conformidade com Cristo,segundo o propósito de Deus. Entretanto ela tem um presente efeito moral; o desejo de Deus é que o cristão, habitado pelo Espírito Santo, deve saber (ter o conhecimento consciente de) que ele tem a vida eterna. ( 1 João 5:13 ).Para o cristão, é evidente que a vida eterna é moralmente distinta da vida segundo a carne.Lemão

Compartilhe...