Diário do Cristão para a Quinta-Feira

A Língua — Parte 2

“Mas nenhum homem pode domar a língua. É um mal que não se pode refrear; está cheia de peçonha mortal. Com ela bendizemos a Deus e Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus. De uma mesma boca procede bênção e maldição. Meus irmãos, não convém que isto se faça assim” (Tiago 3:8-10).

A língua é indomável por natureza. Todo tipo de criatura foi domada pelo homem, mas nenhum homem pode domar a língua. É um mal incontrolável, cheio de veneno malicioso e mortal. Com a língua, dizemos coisas que envenenam as mentes dos outros e até colocam os crentes uns contra os outros. A língua pode ser totalmente inconsistente, pois, embora seja capaz de abençoar a Deus, também pode amaldiçoar o homem feito à semelhança de Deus.

Os cristãos devem, em fala e atos, serem consistentes com os caminhos de Deus. A língua, quando usada pela graça e restringida pelo Espírito de Deus, pode ser usada em grandes bênçãos e com grande benefício. Nada a não ser o poder do Espírito enchendo o coração com a graça de Cristo pode restringir a língua. Quando o coração estiver desfrutando da graça e do amor de Cristo, a língua falará em graça da abundância do coração.

Jim Hyland

Compartilhe...