Conforto das Escrituras para a Sexta-Feira

“Estes são os animais, que comereis… todo o que tem unhas fendidas, e a fenda das unhas se divide em duas, e rumina, deles comereis.” [1]

Temos aqui não somente as instruções de Jeová para Israel “para fazer diferença entre o imundo e o limpo; e entre animais que se podem comer e os animais que não se podem comer” [2], mas também “tudo o que dantes foi escrito, para nosso ensino foi escrito, para que pela paciência e consolação das Escrituras tenhamos esperança” [3]. O animal limpo “tem unhas fendidas… e rumina” [1]. Ambas as coisas devem ser verdadeiras. Se o animal tivesse uma das características, mas não a outra, ele era impuro. O pé e a boca devem estar corretos. Não basta dizermos que conhecemos e amamos o Senhor; nosso andar diário deve demonstrar isso. Não é suficiente tentar andar retamente, sem confessar o Senhor Jesus com nossa boca. “Vede prudentemente como andais, não como néscios, mas como sábios” [4]. “Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne” [5]. Deus chama os que são Seus para “andarmos em novidade de vida” [6], e também que “a vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibais como vos convém responder a cada um” [7]. Ele nos diz para “falar o que convém à sã doutrina” [8] e a “fazer veredas direitas para os vossos pés, para que o que manqueja não se desvie inteiramente, antes seja sarado” [9].

Nossos pés nos caminhos de Sua escolha,
Nossos lábios cheios das palavras de Sua graça,
Apontará aos outros a Cristo Jesus,
Que salva a todos que olham em Sua face.

[1] Levítico 11:2-3; [2] Levítico 11:47; [3] Romanos 15:4; [4] Efésios 5:15; [5] Gálatas 5:16; [6] Romanos 6:4; [7] Colossenses 4:6; [8] Tito 2:1; [9] Hebreus 12:13

Compartilhe...