Conforto das Escrituras para a Quinta-Feira

“O Senhor… nunca falta” [1]

“A tua benignidade, Senhor, chega até os céus, e a tua fidelidade até as nuvens” [2], “todos os teus mandamentos são fiéis” [3], e “Deus é fiel” [4] e digno de toda a nossa confiança. “Deus não é homem, para que minta; nem filho do homem, para que se arrependa. Porventura, tendo ele dito, não o fará? ou, havendo falado, não o cumprirá?” [5] “Não vos sobreveio nenhuma tentação, senão humana; mas fiel é Deus, o qual não deixará que sejais tentados acima do que podeis resistir, antes com a tentação dará também o meio de saída, para que a possais suportar” [6]. Mas suponha que nós, que O conhecemos, não tomemos Seu “meio de saída [de escape]”, e cedemos à tentação. Mesmo “se somos infiéis, ele permanece fiel; porque não pode negar-se a si mesmo” [7]. E “se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” [8]. Esse “Deus, que não pode mentir, prometeu” [9]. “Mas fiel é o Senhor, o qual vos confirmará e guardará do maligno” [10]. “Seca-se a erva, e murcha a flor; mas a palavra de nosso Deus subsiste eternamente” [11]. “As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; novas são cada manhã; grande é a tua fidelidade” [12].

Ele é fiel e verdadeiro à Sua Palavra,
Nosso Deus acima no céu;
Seus caminhos são temperados com bondade;
Seu trato é todo com amor.

[1] Sofonias 3:5; [2] Salmo 36:5; [3] Salmo 119:86; [4] 2 Coríntios 1:18; [5] Números 23:19; [6] 1 Coríntios 10:13; [7] 2 Timóteo 2:13; [8] 1 João 1:9; [9] Tito 1:2; [10] 2 Tessalonicenses 3:3; [11] Isaías 40:8; [12] Lamentações 3:22‑23

Compartilhe...