Números 7:89-8:1-14

 

(para maior proveito, ore, leia na Bíblia os versículos indicados e medite nos comentários)

 

 

O versículo 89 nos revela o segredo de “Moisés, o homem de Deus” (Salmo 90). É a oração. Considere ele sob o peso de suas esmagadoras responsabilidades, angustiado pelos murmúrios do povo, retirando-se na escuridão e no silêncio do tabernáculo para conversar com Deus. Ele ouvia “a voz” e “Ele lhe falava”. Pensemos em Jesus que, muito antes do amanhecer ou da chegada da noite, após o cansaço do dia anterior, partia sozinho para um lugar apartado para orar (Marcos 1:35; 6:46). É esse vínculo com Cristo no santuário na presença de Deus, embora em segredo, que mantém a verdadeira luz do testemunho.

 

O candelabro era a única fonte de luz no tabernáculo. Era a primeira sala – “o santo lugar”. Deus é luz (1 João 1:5), Jesus era a luz do mundo (João 9:5) e o Espírito Santo é o azeite (o poder) que capacita a luz a brilhar. Sete lâmpadas nos falam que era algo perfeito. Vemos nisto que a luz de nossa vida, o que dizemos e fazemos, é para a glória do Senhor somente. Leia e medite em Mateus 5:14-16. Que responsabilidade e privilégio temos! Devemos lembrar que a luz do Espírito é a luz através de nós, Seu povo. O Espírito de Cristo é para brilhar tanto no que oferecemos quanto no serviço ativo, temos esse privilégio. Somente assim, as palavras do Senhor, em Mateus 5:16, serão cumpridas em nós.

 

Mas por que o candelabro (ou candeeiro) é mencionado novamente no início do capítulo 8 entre as ofertas dos bens no capítulo 7 e a consagração dos levitas nos versículos seguintes? Não é para mostrar que a luz divina sonda e aprecia em igual medida tanto o que se oferta como a pessoa, e igualmente o serviço e aquele que o realiza? Os levitas precisam ser preparados para o serviço do Senhor. Somente água, e não sangue, é usado. Veja João 13:6-10. A água é como a Palavra de Deus. Os crentes precisam da Palavra para se manterem limpos (Efésios 5:25). Lembre-se de que os sacerdotes eram para a adoração a Deus, mas os levitas (neste capítulo) eram para o serviço. Deus conhece o valor de nossa devoção, da qual fala essa cena de consagração. E os levitas foram apresentados por Aarão como uma oferta de movimento, como para permitir que esta luz divina brilhe sobre cada um deles, sem deixar nada na escuridão. Se houvesse a menor mancha em suas roupas, teria sido notado imediatamente. Quão importante é nos mantermos diante de Deus para servi-lo (por exemplo, 1 Reis 17:1).

 

Os levitas eram separados, mas conectados com todos os israelitas. Deus mostrou claramente que Ele era Aquele a quem os levitas pertenciam. Assim como nós hoje fomos separados para servir ao Senhor (1 Tessalonicenses 1:9 – convertidos para servir). Que alegria quando, por um lado, reconhecemos completamente os direitos do Senhor e, por outro, encontramos o nosso lugar. Não nos encontramos empobrecidos porque é do Senhor, mas muito mais enriquecidos, porque as Suas coisas são nossas.

 

Texto baseado em diversos autores que se reuniam apenas ao Nome do Senhor nos séculos XIX e XX.

Compartilhe...