Levítico 8:22-36

 

(para maior proveito, ore, leia na Bíblia os versículos indicados e medite nos comentários)
 
 
Neste capítulo, encontramos novamente Arão e seus filhos juntos e isso eleva os nossos pensamentos Aquele que não se envergonha de nos associarmos a Ele e nos chamar Seus irmãos. Que Deus nos guarde em todos os nossos modos e caminhos de sermos vergonha perante o mundo do nosso relacionamento com Jesus (2 Timóteo 2:13). 
 
Nestes capítulos, muitas vezes se fala de ofertas movidas. Virar um objeto permite que ele seja totalmente visto por todos os lados. Somos, assim, convidados a apresentar para Deus todos os aspectos do sacrifício excelente que trazemos diante Dele, falando de Jesus em todas as suas diferentes glórias e da Sua obra em seus diferentes caráteres. 
 
O peito do carneiro da consagração, a parte especial de Moisés, também era movido. Portanto, somos capazes de admirar em seus muitos aspectos as afeições de Cristo que eram a fonte e o poder de Sua consagração a Deus. “Eu amo o Pai”, disse Jesus, “faço como o Pai me mandou” (João 14:31). Em nossas vidas, a mesma causa produzirá o mesmo resultado. Só o amor despertará a verdadeira consagração, em outras palavras, um profundo sentimento de que o Senhor tem todos os direitos sobre nossos corações e é digno de completa devoção. 
O carneiro da consagração. Aarão e seus filhos devem ser completamente para Deus. E assim é com todos os crentes hoje (reconhecemos o descuido que está por toda a parte entre os crentes, mas isto explica porque somos tão fracos). O versículo 24 estende os direitos do Senhor sobre nossas orelhas, nossas mãos e nossos pés, figuras da obediência, atividade e caminhar.  
Orelha (o que se ouve – acima de tudo, ouvir a Palavra de Deus),  
polegar (o que é feito – suas obras devem ser consagradas a Deus),  
pés (onde a pessoa vai – sua caminhada também consagrada a Ele).  
Tudo deve ser para o Senhor. O ouvir, o fazer e o caminhar era absolutamente verdade no Senhor Jesus, assim é absolutamente verdade para os crentes desde sempre. Consagração significa estar devotado a uma pessoa ou algo. Que possamos viver consagrados a Cristo em nossa vida! 
A consagração completa dos sacerdotes é realizada quando Moisés aspergiu o azeite da unção sobre Arão e suas vestes, e sobre seus filhos e suas vestes. Assim Aarão foi ungido duas vezes, primeiro sozinho (versículo 12), depois junto com seus filhos. Sua primeira unção é típica de Cristo sendo ungido pelo Espírito quando João o batizou (Mateus 3:16). Sua segunda unção é típica do que Pedro fala em Atos 2:33. Quando Cristo foi exaltado à direita de Deus, Ele recebeu do Pai a promessa do Espírito Santo, o que Ele imediatamente compartilhou com Seus santos, enviando-o no Pentecostes.
Cristo recebeu o Espírito antes de Seu sacrifício, mas os santos de Deus somente puderam recebê-Lo depois que Cristo derramou Seu sangue por eles. Nossos pecados devem primeiro ser limpos pelo Seu sangue antes que o Espírito possa vir a nós. O próprio Cristo, sendo sem pecado, recebeu o Espírito sem o derramamento do Seu sangue; mas depois, para se identificar com os Seus santos em graça, compartilhou o valor de Seu sangue derramado com eles e o dom do Espírito Santo. 
 
Com tudo feito, os sacerdotes ainda não tinham permissão para fazer qualquer serviço para o povo: foram ordenados a permanecer no tabernáculo. “…da porta da tenda da congregação não saireis por sete dias” (versículo 33). Nas escrituras, o número 7 significa algo espiritualmente completo. Costuma estar relacionado ao bem e à perfeição. Deste modo, isto nos fala de nossa total separação do mundo, e para Deus. Palavras sérias para considerarmos. Deus exige santidade de cada crente. Eles devem primeiro aprender o que significa estar no lugar da comunhão com Deus antes de realizarem qualquer serviço, seja para Deus ou para outras pessoas. Como isso é verdade para nós também. Somente estando em uma comunhão calma e sustentada com Deus podemos estar preparados para representá-lo corretamente neste mundo. Isso era tão importante que, se desobedecessem, eles estariam sujeitos a pena de morte (versículo 35). No versículo 36, porém, nos é dito que Arão e seus filhos fizeram todas as coisas que o SENHOR ordenara.
Texto baseado em diversos autores que se reuniam apenas ao Nome do Senhor nos séculos XIX e XX.

Compartilhe...