Levítico 4:13-26

(para maior proveito, ore, leia na Bíblia os versículos indicados e medite nos comentários)
Agora começa o longo processo de se passar pelas diferentes ofertas que são descritas nos primeiros 7 capítulos deste livro. Neste capítulo 4, não era uma oferta voluntária, mas obrigatória por causa do pecado.
Quando aceitamos o Senhor Jesus como nosso Salvador, somos purificados para sempre de nossos pecados.  
Mas agora que estamos limpos, não significa que podemos viver como antes.  Agora nossa vida não pertence a nós, pois fomos comprados com o preço do sangue de Cristo.  
Leia e medite o que diz após a palavra “Porque” em 1 Coríntios 6:19-20. 
 
A salvação depende do poder purificador do sangue de Cristo, mas a comunhão com Deus depende da obra purificadora de Cristo. Sangue e água (Hebreus 10:22). 
 
Muitas pessoas não se consideram culpadas de suas faltas inconscientes; seguem pelo princípio que Deus não pode reprová-las pela sua ignorância e levará em conta as suas “boas intenções”. Que falsa ilusão! Se Deus teve que fornecer um sacrifício pelos pecados cometidos “por ignorância”, esta é a prova de que o pecador, embora ignorante, é culpado diante Dele. Veja, nossas leis têm o mesmo rigor; a ignorância (falta de conhecimento) não é desculpa. Uma violação da lei, mesmo que não intencional, me torna culpado pela sua transgressão e me expõe a uma penalidade. Aos olhos de um Deus santo, o pecado cometido permanece; não é de forma alguma desculpado por minha falta de conhecimento ou descuido. Mas eu aprendo que para cada pecado, se houver condenação, há também um sacrifício que o perdoa. Foi necessária a infinitamente grande obra da cruz para apagar a infinitamente grande ofensa feita a Deus por meus pecados, intencionais ou não, daqueles que me lembro ou daqueles que já esqueci há muito tempo. 
 
Ao colocar a mão sobre a cabeça da vítima, quem a oferecia, passava seus pecados para ela. Reconhecia-se culpado e que merecia a morte. O animal oferecido tomou o seu lugar, levou seu pecado e morreu em seu lugar. Isto é o que Jesus fez por nós, nosso Substituto perfeito.  
Texto baseado em diversos autores que se reuniam apenas ao Nome do Senhor nos séculos XIX e XX.
Compartilhe...