Levítico 26:14-33

(para maior proveito, ore, leia na Bíblia os versículos indicados e medite nos comentários)

 

A única atitude segura para qualquer pessoa é acreditar em Deus. Vemos agora os tristes resultados da desobediência. Estes avisos simples se tornariam uma profecia precisa da história de Israel (e talvez da nossa também, coletivamente e individualmente).

Que desolação haveria se não obedecessem! Se nós crentes estivermos obedecendo o Senhor, certamente estaremos experimentando gozo e paz – sim, plenitude de gozo – João 15:8-11.  

Se estivermos desobedecendo, então estaremos tristes – inquietos – insatisfeitos – sós – desapontados. Como estamos? 

 

De forma séria, o Senhor tinha avisado mais uma vez ao seu povo sobre a idolatria (versículo 1). Mas, desgraçadamente, Ele precisará da palavra do profeta Amós (Amós 5:25-27) citada por Estevão (Atos 7:42-43) para sabermos que – ainda no deserto, a casa de Israel inclinou-se aos ídolos que fizeram, em particular ao abominável Moloque (ver Levítico 20:1-5). Esta é a razão de todas essas ameaças, cada vez mais severas, que foram mais tarde cumpridas sobre a nação culpada.  

 

Como é duro o coração do homem!  

Para quebrá-lo, Deus é obrigado a aplicar golpes cada vez mais fortes.  

As vezes, Ele é obrigado a nos tratar dessa mesma forma!  

Ele começa nos corrigindo com cuidado e, se não ouvirmos, sua voz se torna mais e mais insistente. Provérbios 29:1 nos adverte: “Aquele que, sendo muitas vezes repreendido, endurece a sua cerviz, Será de repente quebrantado, sem que haja remédio”. Sendo assim, vamos aprender a reconhecer imediatamente a voz do Senhor e a não recusar sua correção (Salmo 141:5). Ele nos ama, Ele nunca nos castigará além do necessário para que a lição seja aprendida. Porque Ele é fiel, persistirá até que todo esse paciente trabalho vire nossos pensamentos e os nossos corações para Ele.

Texto baseado em diversos autores que se reuniam apenas ao Nome do Senhor nos séculos XIX e XX.

Compartilhe...