Gênesis 32:22-32

(recomendamos que leia esse trecho em sua Bíblia antes de prosseguir) 

Uma segunda noite memorável é escrita na história de Jacó. Um homem o encontra e luta com ele. Jacó persiste em lutar e em atracar-se ao anjo (na verdade o Senhor) até que lhe seja dada uma bênção. Sua coxa é tocada e pelo resto de sua vida ele andou mancando (versículo 31). Esta luta com o anjo é como um resumo de toda a sua vida anterior. Ele sempre procurou bênção por seus próprios esforços; e isso é oposto a Deus. Agora ele prova que a força do homem não pode vencer nem prevalecer. Um toque de Deus (versículo 25) e sua força é completamente destruída. Jacó agora é forçado a deixar de confiar em si mesmo. Ele está aprendendo esta verdade básica da vida do crente: “Quando sou fraco, então sou forte” (2 Coríntios 12:10). E é nesse momento que ele triunfa ao declarar pela fé: “Não te deixarei ir, se me não abençoares” (versículo 26, Oseias 12:4). Que vitória para a oração! Ele obtém bênção na forma deste nome de Israel (lutar com Deus, mas Deus prevalece), que é tão grande nos conselhos de Deus, nas Escrituras e na história, que nos fala de Cristo, o Vencedor, o Príncipe e o verdadeiro Israel de Deus.

Queridos cristãos, Deus quer fazer de nós vencedores. Se Ele nos impede no caminho de nossa própria vontade e tira nossa força carnal, é para nos dar Seu poder.

Jacó se lembrará de Peniel. Sua cana o lembrará continuamente. Seu quadril foi deslocado, mas sua alma foi liberta (Romanos 7: 24-25). Quando chegamos ao fim de nós mesmos e o Senhor nos toca de algum modo que nos faça sentir nossa fraqueza, então nunca mais “andamos” do mesmo modo. O nome de Jacó é mudado, e também seu caráter. O Senhor nos mudou? Ou será que continuamos a mesma pessoa obstinada, presunçosa, que costumávamos ser?

Texto baseado em diversos autores que se reuniam apenas ao Nome do Senhor no século XIX e XX.

Compartilhe...