Êxodo 22:1-23:5

(recomendamos que leia esse trecho em sua Bíblia antes de prosseguir)
 
 
Do capítulo 21 até o final do capítulo 23 é mostrado os mandamentos que completam a lei. O Senhor, em Sua perfeita sabedoria, prevê tudo o que pode acontecer e entra nas circunstâncias mais simples da vida de Seu povo: a promessa de um pobre, o encontro com um boi desgarrado… Vemos Ele garantindo a defesa dos fracos, colocando-os sob Sua proteção. No capítulo 22, temos vinte e um “se”. O último versículo resume a intenção de todo ele, “ser-me-eis homens santos”. 
Era preciso haver honestidade no tratamento de uma pessoa para com outra. Dependendo do valor daquilo que era tirado ou destruído, a pessoa culpada tinha que restituir não apenas o que tomou, mas acrescentar algo. Satanás roubou honra de Deus (Gênesis 3:1-5). Cristo restaurou isso e mais do que isso por Sua vida e morte (Salmo 69:4). Satanás roubou o mundo do homem; Cristo nos deu o céu! O pagamento final de Satanás virá em Apocalipse 20:10 
A leviandade dos dias de hoje, ideias imorais, são coisas certamente condenadas por Deus. Nosso coração ama seguir por caminhos que Deus odeia.
Nos versículos 21 a 27, mostra quão cuidadoso cada um deveria ser com respeito àqueles que possuem pouco neste mundo. As três últimas palavras deste grupo de versículos são importantíssimas para os crentes lembrarem! 
Que tipo de pessoas devemos ser? (versículo 31). No versículo 28, “deuses” (versão inglesa) significa “juízes”, e “príncipe” significa algum líder importante. Estes talvez nem sempre sejam corretos, mas devemos ter muito cuidado em como falamos a respeito deles, pois Deus ouve. 
No capítulo 23, versículo 2, uma instrução solene para meditarmos: “Não seguirás a multidão”.
 
Para nós cristãos, junto com as verdades fundamentais relativas ao nosso Salvador e nossa salvação temos na inesgotável Palavra de Deus instruções para a nossa vida cotidiana. Mas, diferente do povo de Israel, o Espírito Santo nos foi dado. Ele habita no crente e faz com que ele conheça a vontade de Deus em todos os detalhes práticos de sua vida diária. Ele abre seu entendimento, mostra o que ele deve fazer e o que ele deve abster-se de fazer (1 Coríntios 6:12). A Bíblia é então algo completamente diferente de um conjunto de regras ou uma longa lista de “fazer” e “não fazer”, de proibições e autorizações. Ela revela um Deus de amor, um Pai, cujo caráter somos convidados a reproduzir. “Sou misericordioso”, diz Ele de Si mesmo no final do versículo 27. ” Sede, pois, misericordiosos, como também vosso Pai é misericordioso”, isto é o que o Senhor Jesus nos ensinará (Lucas 6:36).
Texto baseado em diversos autores que se reuniam apenas ao Nome do Senhor no século XIX e XX.
Compartilhe...