Êxodo 14:1-14

(recomendamos que leia esse trecho em sua Bíblia antes de prosseguir)
 
 
Enfim começa a longa jornada. O Senhor disse a Moisés exatamente onde ir. (Isso é tudo o que nós crentes precisamos entender – Ele guia. Mas temos que obedecer). Isso talvez tenha feito Seu povo pensar que seus inimigos, os egípcios, haviam sido liquidados. No entanto, aqui estão eles, levados por um empenho equivocado, reagrupando-se e partindo em perseguição contra o povo. Os israelitas parecem estar presos numa armadilha. Em frente está o Mar Vermelho; atrás vem Faraó com seus carros e seus capitães. Que terror, que gritos de aflição! Mas o povo deve aprender que para o Senhor não existe uma dificuldade grande. Pelo contrário, quanto maior a prova, mais Deus tem a oportunidade de demonstrar Seu maravilhoso poder. 
 
Exteriormente parecia que tudo era contra os Israelitas. Até eles próprios ficaram desencorajados e com medo. De um lado a espada (Faraó) e do outro uma parede (Mar Vermelho) Que lição para nós! Quando surge uma dificuldade, uma situação que parece não ter saída, como reagimos? Muitas vezes ficarmos preocupados ou agitados. Mas o que Moisés diz para Israel? Ele começa tranquilizando a todos: “Não temais…”; então proclama como eles serão libertos: “O Senhor pelejará por vós”. Filipenses 4:6 nos diz, ” Não estejais inquietos por coisa alguma; antes, as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus, pela oração e súplicas”. Manter a paz significa não fazer nada e, ao mesmo tempo, evitar que nossa mente seja de qualquer maneira agitada. Esta batalha não dizia respeito ao povo; era entre o Senhor e os egípcios. Aquele que tinha guardado Seu povo fora da ação do anjo destruidor, não seria capaz de livrá-los das mãos dos homens? 
 
Em momentos assim, nossa incredulidade aparece, e com ela o medo. A mesma pessoa que adora ontem (Êxodo 12:27), é a mesma que hoje se deixa abater esperando pelo pior. Seguir pelos caminhos definidos por Deus pode nos levar a situações que parecem impossíveis… aos nossos olhos. Cercados pela morte por todos os lados – morte por afogamento à frente, morte por fome no deserto ao redor e morte pela espada de Faraó atrás. Mais adiante, muitos deles irão morrer no deserto, não porque Deus ou Moisés falhariam, mas “por causa da incredulidade” (Hebreus 3:19). Mas não agora. Agora vemos como a fé age. Ela coloca toda a segurança em Deus e em sua palavra. Que possamos descansar na divina promessa: “eis que Eu estou convosco todos os dias”. 
Texto baseado em diversos autores que se reuniam apenas ao Nome do Senhor no século XIX e XX.
Compartilhe...