Êxodo 12:1-16

(recomendamos que leia esse trecho em sua Bíblia antes de prosseguir)
 
 
Chegamos agora ao relato da Páscoa em um dos capítulos mais importantes de todo o Antigo Testamento. A redenção anunciada agora será cumprida, ao mesmo tempo em que o mais terrível dos juízos cairá sobre o Egito. O pecado merece a morte e todos pecaram, tanto os israelitas como os egípcios. Mas para os que pertencem ao povo de Deus, um cordeiro irá morrer em seu lugar. Uma imagem clara e comovente de Jesus, “um cordeiro imaculado e incontaminado, que foi verdadeiramente destinado antes da fundação do mundo” e morto no momento indicado por Deus (1 Pedro 1:19). “Um cordeiro… o cordeiro… para si um cordeiro”; isto torna tudo pessoal. Nos apropriamos deste sacrifício; isso é o que significa comer a Páscoa (1 Coríntios 5:7-8). 
Cristo passou pelo fogo do juízo divino, o cordeiro foi assado no fogo. Depois disso nunca deveria ser assado quando guardassem a Páscoa. Era para ser cozido em água como em Êxodo 16:23. Assar coloca o cordeiro diretamente no fogo. O Senhor Jesus foi exposto ao fogo do juízo de Deus na cruz uma só vez. E pensamos em Suas dores com o doloroso conhecimento de que foi o nosso pecado que O levou lá. Isso é o significado das ervas amargas. O cordeiro foi comido por toda a família – os pais com os filhos; Cada um na casa tinha sua parte.  
Caro leitor, você também, pessoalmente, “comeu a páscoa”?  
Pela fé se apropriou da morte expiatória do Senhor Jesus?  
O momento da nossa conversão é uma data inesquecível, o ponto de partida para a vida verdadeira, o novo nascimento do filho de Deus (versículo 2). 
Texto baseado em diversos autores que se reuniam apenas ao Nome do Senhor no século XIX e XX.
 
Compartilhe...