Êxodo 10:1-11

(recomendamos que leia esse trecho em sua Bíblia antes de prosseguir)

 

 

“Pequei”, admite Faraó (Êxodo 9:27). Isso é um arrependimento verdadeiro? Não. Assim que cessou a saraiva, ele continua pecando (Êxodo 9:34) e propositalmente endurece seu coração. Mas dali em diante é o Senhor quem endurece o seu coração (versículo 1). Quão sério é isso! Deus fala uma vez, duas vezes, (Jó 33:14) e ainda mais vezes. Então um dia é tarde demais, Sua paciência tem tempo e limite. 

 

Leitor, quantas vezes Deus falou com você?

 

Assim diz o SENHOR…: Até quando recusas humilhar-te diante de mim? Isso é o que muitos crentes hoje não estão querendo fazer! Mas é a única “estrada” para a bênção de Deus na vida (medite em Tiago 4:9-10).

 

Agora são os gafanhotos que ameaçam a já arruinada terra do Egito. Os servos de Faraó argumentam com ele que o Egito estava sofrendo. Eles não se importavam com Deus. José salvou o país, Faraó está arruinando-o. Do mesmo modo, Satanás arrasta o mundo até sua perdição, seu derradeiro desastre.

 

Agora uma nova sugestão é oferecida a Moisés: que somente os adultos saiam para realizar a festa. As crianças permanecerão na terra. Esta é a maneira pela qual Satanás se esforça para manter seu domínio sobre as almas através de afeições naturais e laços familiares. Faraó estava querendo deixar os homens de Israel saírem de modo que tivessem que voltar para seus lares e suas famílias. Faraó não queria a separação total do povo de Deus. Satanás é assim hoje. Mas leia novamente a bela e impressionante resposta de Moisés no versículo 9. Nenhum membro da família da fé, por menor que seja, deve permanecer em poder do Inimigo. 

 

Jovens, não pensem que o cristianismo é apenas assunto de seus pais. A casa cristã forma uma entidade, um todo, e é por isso que lhe pedem que siga os seus princípios, que se adapte aos seus costumes e as suas renúncias, mesmo que ainda não tenha pessoalmente compreendido o valor e a necessidade de tudo isso.

 

 

Texto baseado em diversos autores que se reuniam apenas ao Nome do Senhor no século XIX e XX.

 

 

Comentários de L. M. Grant sobre as pragas 

 

Praga no. 8 – Gafanhotos (versículos 1 a 20)

 

Novamente o Senhor lembra a Moisés que Ele próprio endureceu o coração de Faraó e os corações de seus servos, a fim de mostrar publicamente os Seus sinais diante deles, bem como que as grandes obras de poder de Deus podem ter um efeito muito real na geração atual de Israel e nas gerações vindouras para que percebessem que era realmente o Senhor da glória vivo que estava tratando com eles (versículo 1 e 2).

 

Moisés e Arão se puseram novamente diante do faraó para repetir a exigência de Deus, que ele se humilhasse perante o Senhor e deixasse ir Israel. Eles o deixam com o aviso de que caso ele ainda se recusar, Deus traria um enxame de gafanhotos na terra do Egito, que cobriria a face da terra e consumiria tudo o que sobrou no Egito. Eles também encheriam as casas, causando angústia como nunca tinha acontecido (versículos 3 a 6).

 

A advertência era alarmante o suficiente para os servos de Faraó que eles próprios apelam para que faraó deixar ir Israel em vez de continuar a sofrer os severos sofrimentos de Deus (versículo 7). Perguntaram-lhe se ainda não sabia que o Egito está destruído. Por isso Faraó trouxe Moisés e Arão outra vez, dizendo-lhes que Israel pode ir, mas com reservas. Quem são aqueles que iriam? Moisés respondeu: “Havemos de ir com nossos meninos e com os nossos velhos; com os nossos filhos, e com as nossas filhas, e com as nossas ovelhas, e com os nossos bois havemos de ir; porque festa do SENHOR temos” (versículo 9). Não tem acordo. O crente deve ser para o Senhor, sua casa e tudo o que possui também. Que todo filho de Deus tenha o mesmo propósito de coração como Moisés.

 

Mas Faraó não aceitou isso. Ele tentou intimidar Moisés, advertindo-o de que se todos eles saíssem, eles teriam sérios problemas e implicariam que não podiam depender de qualquer ajuda real do Senhor estando com eles (versículo 10). Ele só daria permissão para que os homens fossem sabendo que logo retornariam por causa de suas famílias. Moisés e Arão foram expulsos da presença de Faraó (versículo 11). Esse é o orgulho obstinado de um homem ímpio do mundo, influenciado por Satanás!

 

Por ordem do Senhor, Moisés estendeu sua vara sobre a terra do Egito e o vento oriental soprou dia e noite trazendo consigo um enxame de gafanhotos como nunca antes fora, nem depois virão (versículo 14). Toda a terra do Egito sofreu com isso, toda a sua vegetação verde foi completamente consumida (versículo 15). O choque a Faraó foi tão grande que ele chamou apressadamente para Moisés e Aarão, dizendo-lhes novamente que tinha pecado contra o Senhor e contra Israel e implora que pudessem perdoar o seu pecado desta vez e pedir ao Senhor para tirar este terrível sofrimento.

Através da intercessão de Moisés, Deus novamente deu alívio ao Egito, enviando um vento ocidental fortíssimo que levou todos os gafanhotos com ele para afogá-los no Mar Vermelho (versículo 19). No entanto, em Seu governo soberano, Deus endureceu o coração do Faraó, de modo que ele ainda se recusava a permitir que Israel partisse.

Compartilhe...