Será que somos um Judas?

“Então, Judas, o que o traíra, vendo que fora condenado, trouxe, arrependido, as trinta moedas de prata aos príncipes dos sacerdotes e aos anciãos, dizendo: Pequei, traindo sangue inocente. Eles, porém, disseram: Que nos importa? Isso é contigo” (Mateus 27:3-4).

A história de Judas nos apavora. Por cerca de três anos ele acompanhou o Senhor. Durante esse tempo ele teve oportunidade suficiente para reconhecer suas inclinações más e se arrepender. Mesmo quando ele traiu seu Mestre com um beijo, a maneira como o Senhor se dirigiu a ele: “Amigo, a que viste?” (Mateus 26:50), revela como Ele ainda o buscou em amor. Mas Judas não deu atenção a isso. Somente quando Jesus foi condenado a morte, Judas foi tomado de arrependimento. Mas esse arrependimento foi apenas em relação as consequências de sua ação. Ele não se arrependeu da maldade em seu coração. 
Hoje não corremos o risco de trair o Senhor para crucificá-lo. Ainda assim, podemos conhecê-Lo muito bem por meio da Bíblia; podemos conhecer o caminho da salvação e o triste fim daqueles que negligenciam ou rejeitam essa salvação; podemos fingir ser um verdadeiro seguidor de Cristo e, ainda assim, ser um Judas. O Senhor disse: “Arrependam-se e creiam no evangelho” (Marcos 1:15). Nós já?

Baseado nos escritos de Jim Hyland

Compartilhe...