Alegria e Fruto

Alegria

No livro dos Salmos, existem diversas formas de palavras que expressam “alegria”. Palavras tais como bem-aventurado, alegria, gozo, deleite, regozijo, etc. Juntas, essas palavras aparecem de uma forma ou de outra mais de cem vezes em 150 salmos. Para mim, isto certamente indica que Deus deseja que sejamos um povo alegre. Ele não deseja que andemos tristes e, como dizem, “pra baixo”. Salomão fala de um crente feliz no livro de Provérbios: “O que confia no Senhor, esse é bem-aventurado” (Provérbios 16:20).

Muitas vezes no Novo Testamento somos encorajados a sermos contentes. No livro de Filipenses nos é dito “regozijai-vos, sempre, no Senhor” e, caso não tenhamos conseguido pela primeira vez, “outra vez digo: regozijai-vos” (Filipenses 4:4).

Uma coisa importante para se lembrar no que diz respeito a este assunto é o que disse uma vez um irmão mais velho em Cristo: “A raiz da alegria é a submissão! Submissão é o desejo de deixar de lado minhas vontades e por outro lado agradar meu Senhor e Salvador, Jesus Cristo”. Em outras palavras, a submissão à vontade do Senhor é o que traz verdadeira alegria e gozo a nossas vidas, não importa qual seja a circunstância.

Você é um crente feliz e alegre?

Fruto

“Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança” (Gálatas 5:22,23).

Nem todos temos o dom de pregar e ensinar, ou de tomar parte de um ministério público. No entanto, todos podemos gerar o fruto do Espírito. “Porque o fruto do Espírito está em toda a bondade, e justiça e verdade” (Efésios 5:9).

O fruto não é necessariamente o que dizemos, embora inclua nossas palavras. Fruto é o reflexo e reprodução de Cristo em nossas vidas, e o brilho dos atributos dessa gloriosa pessoa que é nosso Salvador, Amigo e Senhor.

O fruto cresce silenciosamente nas árvores do pomar, sem qualquer alarde ou grande discurso. Lenta, silenciosamente, e com o alimento adequado, ele se transforma em algo útil e proveitoso. É isto o que o Senhor deseja para cada um dos que são Seus.

O fruto é sempre o resultado da proximidade com o Senhor. Ele Próprio disse: “Estai em mim, e Eu em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim” (João 15:4). Que possamos ficar perto dEle e darmos “muito fruto” (João 15:5).

Baseado nos textos de Jim Hyland

Compartilhe...