Conforto das Escrituras para a Terça-Feira

“Sejam agradáveis as palavras da minha boca e a meditação do meu coração perante a tua face, Senhor, Rocha minha e Redentor meu!” [1]

“Examina-me, Senhor, e prova-me; esquadrinha os meus rins e o meu coração” [2], “pois tu, ó justo Deus, provas os corações e os rins” [3]. “O Senhor está no seu santo templo, o trono do Senhor está nos céus; os seus olhos estão atentos, e as suas pálpebras provam os filhos dos homens. O Senhor prova o justo; porém ao ímpio e ao que ama a violência odeia a sua alma” [4]. Não é algo fácil confiantemente pedir ao Senhor que “sejam agradáveis as palavras da minha boca e a meditação do meu coração perante a tua face” [1], mas é algo muito necessário, e algo que trará grande bênção. Em outras partes, o Senhor nos diz que “enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá? Eu, o Senhor, esquadrinho o coração e provo os rins; e isto para dar a cada um segundo os seus caminhos e segundo o fruto das suas ações” [5]. “Provaste o meu coração; visitaste-me de noite; examinaste-me, e nada achaste; propus que a minha boca não transgredirá” [6], “não havendo ainda palavra alguma na minha língua, eis que logo, ó Senhor, tudo conheces” [7]. “Meditarei nos teus preceitos, e terei respeito aos teus caminhos” [8].

Quero minha vida em honra a Ele,
Que entregou-Se a Si mesmo por mim,
“A meditação do meu coração”
Que pura e fiel seja.

[1] Salmo 19:14; [2] Salmo 26:2; [3] Salmo 7:9; [4] Salmo 11:4-5; [5] Jeremias 17:9-10; [6] Salmo 17:3; [7] Salmo 139:4; [8] Salmo 119:15

Compartilhe...