Conforto das Escrituras para a Segunda-Feira

“Destruindo os conselhos (imaginação), e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo” [1]

“Mas, o que sai da boca, procede do coração, e isso contamina o homem. Porque do coração procedem os maus pensamentos” [2]. Deus quer que Seus filhos redimidos tenham o tipo correto de pensamentos, e Ele nos disse para “que haja em vós o mesmo sentimento [ou mesma mente] que houve também em Cristo Jesus” [3]. Isto também é posicionalmente verdadeiro sobre o próprio Deus, pois “nós temos a mente de Cristo” [4], mas Deus deseja que nós, em nossa experiência diária, estejamos com “a mesma mente que houve também em Cristo Jesus” [3], “levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo” [1], pois está escrito do homem que, “como imaginou no seu coração, assim é ele” [5]. Assim, “confia ao Senhor as tuas obras, e teus pensamentos serão estabelecidos” [6]. Será que podemos verdadeiramente dizer ao Senhor: “Odeio os pensamentos vãos, mas amo a tua lei” [7]? “O Senhor conhece os pensamentos do homem, que são vaidade” [8]. “Os pensamentos dos justos são retos, mas os conselhos dos ímpios, engano” [9]. “Na multidão dos meus pensamentos dentro de mim, as tuas consolações recrearam a minha alma” [10].

De meus pensamentos vêm minhas ações;
Molda-os, Senhor, por Tua Palavra,
Para que Cristo, meu Senhor e Salvador
Possa em mim ser visto e ouvido.

[1] 2 Coríntios 10:5; [2] Mateus 15:18-19; [3] Filipenses 2:5; [4] 1 Coríntios 2:16; [5] Provérbios 23:7; [6] Provérbios 16:3; [7] Salmo 119:113; [8] Salmo 94:11; [9] Provérbios 12:5; [10] Salmo 94:19

Compartilhe...