Conforto das Escrituras para a Segunda-Feira

“Oh! quem me dera asas como de pomba! Então voaria, e estaria em descanso.” [1]

Todos nós já não passamos por tempos em que, sobrecarregados por situações e circunstâncias que nos oprimem e desencorajam, desejamos poder deixar todas as coisas difíceis para trás para estar “em descanso”? Davi escreveu essas palavras em um tempo em que ele podia dizer: “O meu coração está dolorido dentro de mim, e terrores da morte caíram sobre mim. Temor e tremor vieram sobre mim; e o horror me cobriu… Eis que fugiria para longe, e pernoitaria no deserto. ( Selá. ) Apressar-me-ia a escapar da fúria do vento e da tempestade”. Mas não podemos escapar das nossas aflições e problemas. Não podemos “escapar da fúria do vento e da tempestade” [2, 3]. É certo que há tempos em que o Senhor se agrada em mudar as coisas, de modo que as coisas que nos machucam são removidas. Mas na maior parte do tempo ele nos diz: “A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza” [4]. “Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou” [5]. “E será aquele homem como um esconderijo contra o vento, e um refúgio contra a tempestade, como ribeiros de águas em lugares secos, e como a sombra de uma grande rocha em terra sedenta” [6].

As tempestades da vida vêm sobre nós
E açoitam com fúria e força,
Em meio a elas Sua graça nos mantém firmes
E assim nosso barco mantém-se em rota.

[1] Salmos 55:6; [2] Salmos 55:4-5; [3] Salmos 55:7-8; [4] 2 Coríntios 12:9; [5] Romanos 8:37; [6] Isaías 32:2

Compartilhe...