Conforto das Escrituras para a Quinta-Feira

“Ensina-me, Senhor, o teu caminho, e andarei na tua verdade; une o meu coração ao temor do teu nome.” [1]

Para o crente “piamente viver em Cristo Jesus” [2], “andar em Espírito, e não cumprir a concupiscência da carne” [3], e “se revestir do Senhor Jesus Cristo, e não ter cuidado da carne (não fazer provisão para a carne)” [4], deve haver uma determinação piedosa para conhecer e fazer a vontade de Deus, o que foi bem expressado na oração de Davi citada acima: “Ensina-me, Senhor, o teu caminho, e andarei na tua verdade” [1]. “Faze-me saber os teus caminhos, Senhor; ensina-me as tuas veredas. Guia-me na tua verdade, e ensina-me, pois tu és o Deus da minha salvação; por ti estou esperando todo o dia” [5]. E mesmo quando desejamos conhecer e fazer Sua vontade, quão apropriada é a oração para “unir o meu coração ao temor do teu nome” [1], pois devemos nos lembrar que, na pessoa salva, não há apenas o “novo homem, que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e santidade” [6], mas há também “o velho homem, que se corrompe pelas concupiscências do engano” [7]. Devemos ser capazes de dizer: “Escolhi o caminho da verdade; propus-me seguir os teus juízos [ordenanças]. Apego-me aos teus testemunhos” [8]. Assim encontraremos o coração unido “ao temor do teu nome” [1]. Este será nosso único propósito, e podemos dizer com Davi: “Uma coisa pedi ao Senhor (desejei do Senhor)” [9], e com Paulo: “uma coisa faço” [10].

“Une o meu coração ao temor do teu nome”,
Ó Tu, meu Salvador e Senhor;
Eu desejo poder andar na verdade,
Em obediência à Tua própria Palavra.

[1] Salmo 86:11; [2] 2 Timóteo 3:12; [3] Gálatas 5:16; [4] Romanos 13:14; [5] Salmo 25:4‑5; [6] Efésios 4:24; [7] Efésios 4:22; [8] Salmo 119:30‑31; [9] Salmo 27:4; [10] Filipenses 3:13

Compartilhe...