Conforto das Escrituras para a Quarta-Feira

“Eu, porém, Senhor, tenho clamado a ti, e de madrugada te esperará a minha oração… Por que escondes de mim a tua face?” [1]

Muitas vezes quando oramos, Deus não nos dá uma resposta imediata, mas exercita e amplia nossos próprios corações enquanto estamos “orando no Espírito Santo” [2] antes de nos dar aquilo pelo que estamos orando. Há outras ocasiões em que nossas orações não são respondidas por causa de pecado não julgado em nossas vidas, pois “se eu atender à iniquidade no meu coração, o Senhor não me ouvirá” [3]. Certamente “a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem agravado o seu ouvido, para não poder ouvir. Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça” [4]. A desobediência à Palavra de Deus corta nossa comunhão com Deus, pois “o que desvia os seus ouvidos de ouvir a lei, até a sua oração será abominável” [5], enquanto “a oração dos retos é o seu contentamento” [6]. Poderia ser verdade sobre nós que “pedis, e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites” [7]? Assim, “quando estiverdes orando, perdoai, se tendes alguma coisa contra alguém, para que vosso Pai, que está nos céus, vos perdoe as vossas ofensas. Mas, se vós não perdoardes, também vosso Pai, que está nos céus, vos não perdoará as vossas ofensas” [8].

Devemos orar no Espírito,
Com corações recém limpos pela Palavra;
Podemos então esperar Sua resposta,
Enquanto oramos com profunda da paz no coração.

[1] Salmos 88:13-14; [2] Judas 20; [3] Salmo 66:18; [4] Isaías 59:1‑2; [5] Provérbios 28:9; [6] Provérbios 15:8; [7] Tiago 4:3; [8] Marcos 11:25-26

Compartilhe...