Levítico 16:15-22

(para maior proveito, ore, leia na Bíblia os versículos indicados e medite nos comentários)
 
 
O sacerdote entrava dentro do véu, cercado por uma nuvem de incenso, enquanto o povo com medo esperava do lado de fora. Será que o Senhor aceitaria o sacrifício? Se algo não estivesse em ordem, Aarão pereceria como seus dois filhos mais velhos? Que alívio quando ele reaparecia, seu serviço estava cumprido! Profeticamente, esta cena será cumprida quando, vindo em glória para Israel, Cristo “aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para a salvação” (Hebreus 9:28). 
 
A expiação se aplicava a todo o tabernáculo… desde o mais elevado (o interior do santuário) até o altar (fora, diante do portão). Isto por causa da impureza do povo. Qual o significado disso? É tão maravilhoso para nós saber que não importa quão descuidados e fracos sejamos, temos uma posição perfeita para com um Deus santo. Tudo por causa da obra de Cristo… primeiro para Deus, depois para nós. Podemos assim desfrutar de uma ADORAÇÃO PURA. 
 
Faltava se ocupar com o bode vivo. O primeiro bode, aquele em que a sorte do Senhor havia caído, morria como um sacrifício (versículos 8 e 9), uma oferta pelo pecado diante de Deus. O outro era chamado de bode emissário. Sobre sua cabeça, Aarão colocava ambas as mãos, e confessava sobre o bode vivo todos os pecados do povo, ele levava o pecado que estava na consciência das pessoas. É por isso que todos os pecados eram confessados sobre sua cabeça e ele os levava para sempre para uma terra não habitada (leia Salmo 103:12 e Hebreus 8:12 que está citando Jeremias 31:34). O bode vivo levava para o deserto todos os pecados, e nunca mais era visto. Cristo é visto em ambos os bodes. O primeiro bode servia para fazer expiação, o “bode expiatório”, era para todos. O segundo nos fala de substituição, uma vítima levando os pecados de muitos (Hebreus 9:28), mas isto é apenas para aqueles que confessam os seus pecados (versículo 21) pela fé no valor da vítima. O sacrifício de Cristo tem esse duplo caráter. 
 
O bode morto é uma figura da morte de Cristo. O outro bode é uma figura de nossos pecados levados por Cristo, para nunca mais serem novamente lembrados por Deus. Israel não reconheceu o sacrifício de Cristo, embora tenha realmente sido para esse povo, o resultado desse sacrifício não será aplicado a Israel até que finalmente se volte para o Senhor.
 
Texto baseado em diversos autores que se reuniam apenas ao Nome do Senhor nos séculos XIX e XX.

 

Compartilhe...