Levítico 11:29-47

(para maior proveito, ore, leia na Bíblia os versículos indicados e medite nos comentários)

 

 

Observando os répteis e os animais que “deslizam” sobre a terra, reconhecemos certos aspectos e perigos morais que devemos tomar cuidado. Somente alguns que são proibidos são mencionados aqui, contudo nos versículos 41 a 43 isso é ampliado para incluir todos os animais que rastejam de qualquer tipo. Estes são uma figura de pessoas que possuem um caráter repulsivo. A doninha e o rato prejudicam as plantas jovens, destruindo as raízes; as diferentes espécies de lagartos sugerem talvez as inúmeras maneiras em que as pessoas “desfilam” para atrair a atenção; o camaleão sugere aqueles que sempre assumem o estilo do ambiente em que estão: comportam-se como cristãos entre cristãos, e como homens do mundo na companhia das pessoas do mundo. Nos versículos 41 a 43 também deixa claro que todas os animais rastejantes eram proibidos para Israel. Mas não são agora que a graça foi declarada em Cristo Jesus nosso Senhor (1 Timóteo 4:4), se forem recebidos com ações de graças. Isso nos lembra que mesmo o mais repugnante dos seres humanos pode ainda ser salvo pela fé no Senhor Jesus.

 

Os versículos 32 a 40 mostram como os melhores e mais úteis equipamentos podem ser estragados por aquilo que vem da “serpente”. Que o Senhor nos ensine a vigiar nossas almas e a fazer uso da provisão inalterável que Ele deixou a nossa disposição: uma cisterna, uma fonte de água, imagens da Palavra divina, permanecendo sempre limpas. Uma fonte que produz muita água não seria contaminada pela carcaça morta (versículo 36), isso nos diz que a Palavra e o Espírito de Deus são superiores à morte e não podem ser contaminados por ela, pois a água fala da palavra de Deus e sua fluência fala da energia do Espírito de Deus ao dar poder à palavra.

Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti (Salmo 119:11). Um israelita piedoso sempre teve o cuidado de se preservar de todo alimento comum ou imundo (Atos 10:14). Que tenhamos uma consciência sensível para distinguir entre o que é espiritualmente limpo do que é impuro, entre o que pode alimentar a nossa alma e o que pode envenená-la. Podemos dizer que um crente que é cuidadoso com o que lê, escuta e vê, mantém-se limpo deste mundo. Deus quer o Seu povo limpo. Assim este capítulo tem uma boa instrução para nós. A Palavra de Deus é alimento limpo, leia 1 Pedro 2:2, onde “racional” significa “puro”. 

A razão solene para esta separação rigorosa encontramos no versículo 45 do nosso capítulo: “para que sejais santos; porque Eu sou santo”.

Texto baseado em diversos autores que se reuniam apenas ao Nome do Senhor nos séculos XIX e XX.

Compartilhe...