Gênesis 7:17-24; 8:1-5

(recomendamos que leia esse trecho em sua Bíblia antes de prosseguir)
 
Finalmente, a paciência de Deus chegou ao fim. Mas após fechar a porta, Deus ainda espera 7 dias, para o caso de alguém se voltar a Ele. Jesus foi visto em pé, esperando caso Israel resolvesse voltar-se para Ele, mesmo depois de ter voltado para o céu (Atos 7:56). Nós, crentes, estamos neste período de tempo. A porta continua aberta. Deus está esperando pelos últimos que serão salvos antes de agir. A vinda do Senhor Jesus para nós (crentes) será o fim do dia da graça. Então a porta será fechada.
 
As ondas de Seu julgamento foram derramadas sobre a terra. Se não fosse a arca que estava sendo construída, nada teria previsto isso. Tudo parecia estar indo muito bem. O mundo continuava no seu curso alegre. Eles comiam e bebiam, casavam e davam-se em casamento. Eles não perceberam nada, diz o Senhor Jesus, até que veio o dilúvio, e os levou a todos (Mateus 24:37-39). Um destino tão terrível quanto súbito atingiu aqueles que permaneceram insensíveis aos convites da graça de Deus. E este relato, registrado na Palavra de Deus, foi feito pela própria boca do Senhor Jesus, a mais solene advertência para se “acertar” com Deus.
 
Hoje, cada pessoa é convidada a tomar o seu lugar na arca, em outras palavras, encontrar em Cristo um abrigo da ira de Deus. Mas se nós possuímos Nele este lugar de absoluta segurança, nunca esqueçamos que Ele passou através das terríveis águas do juízo de Deus em nosso lugar. “todas as tuas ondas e vagas têm passado sobre mim” (Salmo 42:7).
 
O juízo caiu sobre cada pessoa viva, cada animal e pássaro fora da arca. E assim é hoje, nenhuma pessoa que já tenha escutado o evangelho da graça de Deus terá uma segunda chance após o Senhor Jesus voltar.

Em meio a este “desastre” sem precedentes, Noé e sua família desfrutam de uma paz perfeita. Se as águas sobem ou descem, a arca não naufragará; nem o crente que permanece em Cristo.

Texto baseado em diversos autores que se reuniam apenas ao Nome do Senhor no século XIX e XX.

Compartilhe...