Gênesis 11:27-32, 12:1-8

(recomendamos que leia esse trecho em sua Bíblia antes de prosseguir)
 
 
Após a dispersão de Babel, Reú viveu 239 anos. Neste tempo a vida foi “encurtada”. No Salmo 90:10, Deus determinou 70 anos, e isso não mudou muito desde então. Mas o Senhor Jesus era para ser cortado na metade de Seus dias (Salmo 102:24) ou cerca de 33 anos de idade. 
  
Agora, Abrão nos é apresentado (mais tarde seu nome foi trocado para Abraão – Gênesis 17:5). 
  
Logo após o dilúvio, houve um aumento terrível da idolatria (leia Josué 24:2). Desta vez, Deus permite que o mal siga seu curso, mas Ele chama um homem para separar-se desse mal. 
“Pela fé, Abraão, sendo chamado, obedeceu… e saiu, sem saber para onde ia” (Hebreus 11:8). “Abraão saiu com os olhos fechados, mas o Deus da glória o conduzia pela mão” (J.G.B. – ver Atos 7:2). 
A ordem de Deus (versículo 1 – Sai..), acompanhada por sete promessas (versículos 2 e 3: 
far-te-ei… 
abençoar-te-ei… engrandecerei… 
tu serás… abençoarei… amaldiçoarei… 
em ti serão benditas…), são suficientes para fazê-lo sair… e quão grandes essas promessas. 
O chamado de Deus para Abraão foi um chamado bem claro para que se separasse de tudo aquilo que o homem poderia considerar valioso – seu país – seu povo e sua família. Abraão pode ser uma figura do crente cuja cidadania está no céu (Filipenses 3:20, onde a palavra “cidade” pode ser traduzida também como “cidadania”) embora vivendo nesta terra. Ele foi chamado a andar por fé, e a viver como um estrangeiro e peregrino na terra. 
A obediência é contrária aos nossos instintos naturais, mesmo quando sabemos a razão do que está sendo pedido de nós. Mas para obedecer sem compreender e sair sem saber o destino, para isso é preciso ter fé, em outras palavras, confiança absoluta Naquele que deu a ordem. 
  
Nas Escrituras, Abraão é o modelo de fé. O que caracteriza esta fé é o abandono de coisas visíveis por um objetivo invisível (2 Coríntios 4:18). Diferente dos construtores de cidades terrenas (Cain, os homens de Babel…), Abraão levanta os olhos para a cidade celestial, “cujo artífice (arquiteto) e edificador (construtor) é Deus” (Hebreus 11:10). E essa expectativa faz dele um estranho na terra. 
No versículo 7, existem duas coisas para se notar. O Senhor apareceu a Abraão quando ele chegou à terra de Canaã. Você também irá saber quando se encontra no lugar certo para adorar o Senhor. Em segundo lugar, ele edificou um altar ali, onde adorou a Deus. Houve uma resposta em seu coração. 
A partir de agora, ele só terá sua tenda e seu altar (versículo 8) testemunhando este duplo caráter de peregrino e servo, que é o caráter que tem o homem de fé em todas as épocas. 
 
Texto baseado em diversos autores que se reuniam apenas ao Nome do Senhor no século XIX e XX.
Compartilhe...