Adoração

“Então, Maria, tomando uma libra de unguento de nardo puro, de muito preço, ungiu os pés de Jesus e enxugou-lhe os pés com os seus cabelos; e encheu-se a casa do cheiro do unguento” (João 12:3).

Maria, que antes estivera aos pés de Jesus como aprendiz (Lucas 10:39), e que recentemente chorara a Seus pés por luto (João 11:32), agora é encontrada a Seus pés como adoradora. Ela vem silenciosa e humilde, com um coração transbordando, e unge os pés do Senhor com unguento muito caro e enxuga os pés abençoados com os cabelos.
Seu ato proclama que, em sua opinião, nada do que possui é bom o suficiente para Cristo. Ela gasta sobre Ele toda gota do caro unguento, e põe à disposição Dele aquilo que é a glória de uma mulher – o cabelo dela. Só Ele é digno! 
Ela não estava naquele momento pensando nos pobres ou na bênção dos outros; ela estava totalmente absorta com Cristo. Isso, de fato, é adoração: mas, mesmo assim, aquele que é absorvido com Cristo trará bênçãos a outros; por isso lemos: “A casa encheu-se do cheiro do unguento”.

Baseado nos escritos de Jim Hyland

Compartilhe...