Conforto das Escrituras para o Domingo

“A ti agradou livrar a minha alma da cova da corrupção; porque lançaste para trás das tuas costas todos os meus pecados” [1]

Para o cristão que percebe algo do horror que um Deus santo tem do pecado, e de como estávamos espiritualmente “mortos em ofensas e pecados” [2], não há nada pelo que agradecemos a Deus mais do que pelo conhecimento de que “lançaste para trás das Tuas costas todos os meus pecados” [1]. Quando um homem perdoa outro homem, ele desculpa a penalidade; quando Deus perdoa, Ele executa a penalidade. Isto Ele fez quando “Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus” [3]. Os pecados do crente, com a condenação que lhes acompanhava, se foram para sempre. “Assim como está longe o oriente do ocidente, assim afasta de nós as nossas transgressões” [4], e Ele diz que “serei misericordioso para com suas iniquidades, e de seus pecados e de suas prevaricações não me lembrarei mais” [5]. “Tu lançarás todos os seus pecados nas profundezas do mar” [6], “porque lhes perdoarei a sua maldade, e nunca mais me lembrarei dos seus pecados” [7]. Querido crente no Senhor Jesus Cristo, regozije-se no fato de que seus pecados estão perdoados para sempre, e nEle que disse: “Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões… e dos teus pecados não me lembro” [8].

“Bem-aventurado aquele… cujo pecado é coberto”,
E pelo “precioso sangue de Cristo”,
Que levou embora para sempre o pecado,
O pagamento não é exigido duas vezes.

[1] Isaías 38:17; [2] Efésios 2:1; [3] 1 Pedro 3:18; [4] Salmo 103:12; [5] Hebreus 8:12; [6] Miqueias 7:19; [7] Jeremias 31:34; [8] Isaías 43:25

Compartilhe...