Números 14:26-45

(para melhor proveito, ore, leia na Bíblia os versículos indicados e medite nos comentários)

  

No meio deste triste episódio, que consolo poder considerar Josué e Calebe. Eles têm “outro espírito” com eles (versículo 24). Além disso, eles não perdem sua recompensa. De toda sua geração, somente eles entram na terra. Até lá, eles irão compartilhar a pena da nação culpada: vagar pelo deserto por quarenta anos. Mas durante esta longa peregrinação, eles são continuamente encorajados pela memória da terra que já visitaram, a terra de Canaã, cujo fruto já provaram.

Moisés anuncia as notícias desagradáveis. Como o povo reage? Quando Calebe os exortou que subissem corajosamente e se apoderassem da terra, eles queriam voltar ao Egito ou falavam de perecer no deserto (Números 13:31 e 14:2). Também vivemos em uma época quando há muitos crentes que rejeitam a verdade de que Cristo é tudo, e preferem seguir adiante de modo mundano. Agora que o juízo de Deus faz com que eles voltem seus passos em direção ao Mar Vermelho e anuncia que irão morrer no deserto, eles desejam evitar a punição e respondem: “Eis que estamos aqui e subiremos…” (versículo 40). O coração do homem nunca está de acordo com Deus, principalmente quando se trata de reconhecer as falhas cometidas, submeter-se à disciplina e aceitar com humilhação as consequências de seus pecados. Apesar de Moisés dizer-lhes: “Não suba”, eles persistem e sofrem uma cruel derrota. Nos profetas, encontramos constantemente que há uma volta na fé, não para o que foi trazido provisoriamente no deserto, mas para o que foi prometido no início (isto é, para os pais). Assim, o fim será a realização do começo.

Até quando me não crerão por todos os sinais que fiz no meio deles? (Números 14:11). O povo cedeu a dúvida sobre o cuidado do SENHOR (SENHOR, em letras maiúsculas em algumas versões, representa Jeová em sua tratativa com Israel), apenas dois se apegaram a Sua Palavra. É difícil entender tamanha incredulidade e rebelião (a menos que olhemos para nós mesmos!). Em sua primeira luta contra o inimigo são derrotados, pois o Senhor não estava com eles; sem Deus age a vontade própria. Vimos nesse capítulo a loucura e as consequências da incredulidade. Incredulidade é virar as costas para Deus, seus conselhos, suas orientações, suas promessas, seu amor. Se Deus não está conosco, é inútil persistir em ir adiante, isso nos levará ao encontro do inimigo. Vimos como é perigoso permitir queixas e murmúrios de incredulidade, que o Senhor nos guarde de nós mesmos, nossa incredulidade, e não nos trate de acordo com nossa loucura.

Calebe e Josué, que figura para nós no momento que vivemos, creem em Deus, creem que Ele tem uma mão poderosa o bastante para fazê-los entrar em Canaã no devido tempo. Deus é digno de toda a confiança. Quão perfeito Ele é em seus caminhos e quão bom e certo é o fim. O que nos une a Deus, seu amor, suas promessas? Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Texto baseado em diversos autores que se reuniam apenas ao Nome do Senhor nos séculos XIX e XX.

Compartilhe...