Prefácio

Uma das questões mais confusas para os jovens cristãos de hoje em dia é compreender o que a Bíblia ensina sobre romance. Enquanto sabemos que a preciosa Palavra de Deus é imutável, o mundo em que vivemos está em tamanhas trevas morais – mudando e piorando seus padrões morais com tanta frequência – que torna-se difícil, para dois cristãos que se apaixonam, discernir os padrões de conduta que honram a Deus.

Certamente o mundo não carece de seus próprios padrões – a maioria deles são completamente ímpios em sua essência, e geralmente modelados após o estilo de vida decadente de artistas e atletas populares, ou daqueles proeminentes em outras áreas da sociedade. A moralidade, ou melhor, a completa falta dela no mundo em que vivemos, não fornece qualquer padrão afinal. A moral do homem é construída sobre as areias movediças da opinião pública, em vez da imutável rocha da Bíblia. Por causa disso, a esfera do amor e romance humano tornou-se um dos exemplos mais gritantes da tristeza e da corrupção resultante de um espírito semelhante ao encontrado no livro de Juízes: “cada um fazia o que parecia reto aos seus olhos.” (Jz 21:25)

Hoje em dia o amor romântico (pelo menos o que o mundo considera como sendo amor) se tornou o motivador e justificador para permitir todo tipo de comportamento corrupto e abominável e luxúria desenfreada.

Por esse motivo, sem a maravilhosa luz – divina e imutável – da preciosa Palavra de Deus, a perspectiva para um casal cristão buscando desfrutar plenamente do entusiasmo e admiração de um romance de uma forma que não só provê um profundo prazer, mas também glorifica a Deus, seria desalentador. Mas foi Deus quem criou o coração e afeições humanas, o mesmo que disse “Não é bom que o homem esteja sozinho” (Gn 2:18), que proveu, em Eva, uma companhia para encher e satisfazer o coração de Adão. Logo devemos estar certos de que, enquanto nosso amoroso Deus e Seus padrões nunca se alteraram (e nunca se alterarão), podemos, com confiança, abrir Sua Palavra seguros de que ela contém toda a orientação e instrução divina necessária para cada aspecto e detalhe do maravilhoso e excitante mundo do romance, namoro e noivado.

Introdução

As Primeiras Coisas Primeiro

Antes de começarmos, é muito importante entender o que queremos dizer com os termos “romance”, “cortejo” e “namoro”. Na cultura norte-americana estas palavras (“romance”, “courtship” e “dating”, em inglês) são muitas vezes utilizadas como sinônimos. Mas isto pode causar confusão uma vez que elas têm significados bastante diferentes dependendo da pessoa (ou sociedade) que as usa. As questões que os cristãos precisam determinar são: se e como Deus usa estas palavras em Sua Palavra.

Primeiro de tudo, devemos notar que nenhuma dessas palavras é encontrada nas versões Almeida Corrigida e Revisada Fiel e Almeida Revista e Atualizada, duas das melhores traduções da Bíblia em português. As palavras correspondentes em inglês também não são encontradas nas versões King James ou Darby’s New Translation. Mas isto não é necessariamente significante. Por exemplo, constantemente ouvimos que a palavra “Trindade” não existe na Bíblia, apesar de se referir a uma doutrina cristã fundamental e essencial encontrada em todo o Novo Testamento.

Sendo assim, mesmo que não possamos encontrar essas três palavras na Bíblia, podemos também encontrar ao que elas se referem no decorrer de suas páginas divinamente inspiradas.

Qual o Significado?

Romance é simplesmente o maravilhoso relacionamento que toma lugar entre um homem e uma mulher cujos corações foram atraídos um pelo outro. Talvez o livro na Palavra de Deus que melhor descreve um relacionamento romântico piedoso é Cânticos de Salomão.

Lembre-se também que o romance nunca deveria terminar depois do casamento! O amor romântico que desabrochou antes do casamento deve se desenvolver e crescer durante toda a união. “Alegra-te com a mulher da tua mocidade… e pelo seu amor sejas atraído perpetuamente” (Pv 5:18-19). “Maridos, amai vossas mulheres” (Ef 5:25; Cl 3:19).

Cortejo ( courtship, em Inglês) é um termo formal que descreve as ações que tomam lugar em um relacionamento romântico. Um exemplo notável é o cortejo visto em Gênesis 29:18-20. Jacó amou (romance) Raquel e concordou em servir seu pai Labão por sete anos (cortejo) para tê-la como esposa. Não pensamos em cortejo em nossa sociedade Ocidental como um trabalho – mas que era isso o que significava na cultura em que Jacó e Raquel viviam!

Namoro (dating, em Inglês) é de fato apenas uma outra palavra, mais comumente usada, para cortejo. Podemos dizer que ir a um encontro (going on a date, em Inglês) é uma das atividades em um cortejo. Além disso, também dizemos com frequência que, quando um homem e uma mulher se atraem um pelo outro e começam a “cortejar”, eles estão “namorando” ou “em um namoro firme”.

Uma Nota de Cautela

Apesar dos três termos serem usados aqui, aqui vai uma palavra de cautela sobre namoro. Se você pensa em namoro apenas como uma atividade casual e recreacional que pessoas jovens “apenas fazem” para se divertir – fazendo-o com vários parceiros diferentes antes de levar a sério – você está fazendo algo que não tem a aprovação das Escrituras. Não me parece que há princípios na Palavra de Deus que encorajam ou dão orientação para este tipo de namoro “casual” ou “recreacional”. O namoro vem apropriadamente após ter havido muita oração, procurando a orientação do Senhor para um companheiro para a vida, e recebendo uma resposta a suas orações ao encontrar seu coração atraído pelo outro. É algo alegre e ao mesmo tempo sério de se fazer.

Lemos em Provérbios 4:23, “Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida”. O coração é muito sensível e se machuca com facilidade. O que alguém pode querer como nada mais do que um “namoro casual” pode ser algo muito sério para o outro. Corações partidos e esmagados trazem resultados solenes e trágicos. Tomem muito cuidado com o coração e afeições do outro, pois Deus ama cada um de Seus queridos filhos e não se agradará de alguém que engana os outros pelas suas afeições.

Jugo Desigual

O que segue neste livreto em relação a relacionamentos românticos entre dois jovens é apresentado assumindo-se que ambos os parceiros são crentes no Senhor Jesus Cristo. Um cristão se envolvendo romanticamente com um incrédulo está absolutamente e sempre errado. Nosso amoroso Pai, que se deleita em abençoar, faz a seguinte pergunta ao coração:“Porventura andarão dois juntos, se não estiverem de acordo?” (Am 3:3). Em 2 Coríntios 6:14 Ele dá este comando solene e inalterável a Seus queridos filhos: “Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis”. Amado jovem! Se você realmente deseja uma vida e casamento felizes, sejam obedientes a Ele.

Neste momento deve haver aqueles que, lendo isto, estão, por ignorância, vontade própria, ou ensino ruim, em um “jugo desigual” romântico com um incrédulo. Enquanto a Palavra de Deus é completamente capaz de abordar cada condição em nossas vidas, devemos, em fieldade a Ele, dizer que um tal relacionamento não representa um resultado de ser conduzido pelo Espírito de Deus. Suplicamos, a qualquer um que se apresenta em tal relacionamento, que corra para o Senhor com um coração quebrantado e contrito de espírito (Salmo 34:18). Lá você encontrará sabedoria assim como misericórdia e graça, a fim de ser ajudado em tempo oportuno. (Hb 4:16)

Um Alerta Amoroso

Devo também amorosamente alertar aos nossos amáveis jovens a serem muito cuidadosos antes de se comprometerem em um relacionamento com alguém que professa, sem muita firmeza, sobre sua salvação, ou sobre conhecer a Deus ou sobre ir à igreja, coisas desse tipo. Quando as afeições do coração se tornam envolvidas com o outro, é muito fácil dizer as coisas certas – as coisas que o parceiro quer ouvir. Uma pessoa não salva pode, motivada por ganhar o coração do outro e procurando agradá-lo(a) e fazê-lo(a) feliz, dar evidências externas de ser um cristão. E para alguém que é cristão e está sendo procurado pelo outro, tais palavras boas e lisonjas podem facilmente enganar o coração se o crente não estiver confiando totalmente no Senhor.

Em Mateus 7:22-23 (ver também Lucas 13:25), o Senhor Jesus falou daqueles que dizem dEle dizendo “Senhor, Senhor”, mas Sua solene resposta a eles será, “nunca vos conheci; apartai-vos de mim”. Querido jovem crente, eu apelo para que você se lembre que muitos falam de Deus, da igreja e da Bíblia – podem até dizer que são salvos ou nascidos de novo, ou palavras aceitáveis como estas. No entanto, eles podem não ter uma verdadeira vida em Cristo afinal. É fácil falar e agir com religiosidade, mas impossível viver em Cristo a não ser que seja um crente verdadeiro. A única segurança contra o sofrimento que certamente virá de tal situação solene é se lançar sobre o bendito Senhor Jesus em humilde submissão e dependência de Sua perfeita sabedoria. Lembre-se, “o que confia no seu próprio coração é insensato” (Pv 28:26).

Que o Senhor dê a cada jovem o propósito do coração de se curvar diante de Sua preciosa Palavra em vez de se deixar levar pelas tendências e desejos de seus corações. Um namoro e casamento felizes dependem da realidade com Deus e da submissão de coração de ambos os parceiros.“Se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as fizerdes” (Jo 13:17)

O Maravilhoso Mundo do Namoro

Estamos seguros em 2 Timóteo 3:16 de que “toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa…”. Em Pv 4:1 lemos, “Ouvi, filhos, a instrução do pai, e estai atentos para conhecerdes a prudência”. Salmos 119:10,11 mostra o desejo e interesse que devemos ter ao ler a Palavra de Deus. “Com todo o meu coração te busquei; não me deixes desviar dos teus mandamentos. Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti.”

Apesar do encontro e namoro com aquela “pessoa especial” serem momentos emocionantes e maravilhosos, além da obediência e submissão à preciosa Palavra de Deus, existem perigos reais de cair em pecados que desonram ao Senhor Jesus – pecados que podem causar trágico naufrágio na vida dos jovens crentes. Por isto é vital encontrar aqueles princípios morais na Bíblia que se aplicam a relações românticas. Como toda palavra de Deus é pura, viva, e poderosa, o Espírito é capaz de trazer delas princípios que incidem sobre as circunstâncias individuais e únicas de cada pessoa.

Vamos abrir no primeiro capítulo da Bíblia onde eu acredito que o relato da criação contém um baú de tesouro rico de princípios morais que podem dar orientação divina àqueles que estão entrando no mundo bonito e emocionante do namoro. O namoro não é um fim em si mesmo – mas é, sim, o feliz meio pelo qual duas pessoas são trazidas ao maravilhoso relacionamento do casamento.

Deus criou a instituição do casamento para o desfrute e bênção do homem (e como uma bela figura de Cristo e a igreja). Ele também deu instruções e princípios destinados a guiar aqueles que habitam neste maravilhoso mundo e no mundo que leva a ele, o namoro. Estes princípios asseguram que devemos desfrutar, na maior medida possível, todos os desejos de Deus para nossa felicidade e bençãos (veja Gn 1:22, 2:18 e 5:2)

​1. Nota do tradutor: pelo fato do termo “cortejar” não ser muito utilizado no cotidiano brasileiro, tanto o termo courtship quanto dating serão traduzidas como namoro no decorrer do texto.↩

Dia Primeiro

No Início

V.1 “No início, Deus”

Não há melhor princípio do que este para dar orientação para todos que começam um romance. Talvez você se pergunte se os sentimentos que você encontra pelo outro em seu coração estão realmente certos – você se pergunta “é este(a) realmente a pessoa certa”? Você pode estar se perguntando “como eu vou saber quando a pessoa certa aparecer?” Ou talvez você esteja preocupado(a) sobre como fazer com que aquela pessoa especial saiba que você está interessado(a) nela. O que você vai fazer para conhecê-la? Você pode estar em dúvidas sobre aonde ir naquele primeiro encontro. Todas estas são questões importantes! A resposta a elas começa, amado jovem, lembrando-se que “No início Deus”. Faça dEle – Seus pensamentos, Sua Palavra – o ponto de partida para todas as suas ações.

“Ó Deus, tu és o meu Deus, de madrugada te buscarei” (Sl 63:1)

Um Equilíbrio Adequado

V. 1 “… criou os céus e a terra”

Um namoro precisa de um equilíbrio adequado entre o espiritual (“céus”) e o natural (“terra”). Um namoro que conduz ao casamento é de Deus, porém dado para ser desfrutado na natureza – isto é, nesta vida. O casamento não é uma condição espiritual mas sim um gozo natural.“Porque na ressurreição nem casam nem são dados em casamento; mas serão como os anjos de Deus no céu.” (Mt 22:30). No entanto, para esta terra, o namoro e o casamento devem ser guiados pelos princípios celestiais. “Guiar-te-ei com os meus olhos.” (Sl 32:8)

Um casal pode decidir sair para andar de bicicleta e curtir um piquenique. Isso é natural – alegrias apropriadas para esta terra. No entanto, o que eles vestirem nesse passeio de bicicleta e como devem agir um com o outro quando estiverem sozinhos deve ser guiado pelos céus. A ambos aspectos – céus e terra – deve ser dado o lugar apropriado em um romance. Um namoro caracterizado apenas pelo céu é tão espiritualmente irreal como um namoro caracterizado apenas pela terra, que é moralmente perigoso.

Um Namoro Estável e Livre de Ansiedade

Assim como houve ordem e progressão adequadas na criação do mundo físico de Deus, assim deve haver um desenvolvimento ordenado e estável em um romance. “Deus não é Deus de confusão” (1 Co 14:33) – nem em Sua criação do universo, nem nos princípios divinos que Ele dá para guiar um namoro.

Com muita frequência, os romances “vai-e-vem” típicos da sociedade ocidental são mais cheios de problemas, contendas e disputas do que alegria. O namoro cristão não deve ser igual a uma novela barata. Os princípio que Deus dá, se seguidos por dois crentes em seu romance, trará alegria, amor crescente, confiança e estabilidade.

Se um jovem cujo coração está atraído por outro está incerto se tais sentimentos são mutuamente compartilhados por aquela pessoa especial, haverá muita angústia como resultado. Quanta ansiedade e infelicidade é causada pela falta de confiança nas afeições ou intenções do parceiro em um namoro!

Mantenham o espírito dos romances mundanos, contaminados pelo flerte, ciúme, incerteza e infidelidade, fora de seu namoro. “Saí do meio deles, e apartai-vos” (2 Co 6:17). Tais ações ímpias e profanas como as praticadas em relacionamentos mundanos não têm parte no belo tecido que compreende um verdadeiro romance cristão.

Confusão, Erros e Pecado

V. 2 “E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo.”

Você já se sentiu assim ao se perguntar sobre alguém por quem você possui, ou possuiu, afeições? Talvez você se pergunte, “Será que ela é realmente a pessoa certa pra mim?“ ”Será que aquele cara / garota é o(a) escolhido(a) de Deus para ser o(a) companheiro(a) da minha vida?” Tantas questões podem estar enchendo seu coração de confusão e trevas quanto aos seus sentimentos por outra pessoa, ou os dela por você.

Talvez você esteve envolvido em um namoro e então, por algum motivo, a coisa toda começou a desmoronar, quase sem aviso. Agora você está sofrendo. O relacionamento acabou em desastre e coração partido e tudo parece escuro e sem esperanças. Parece impossível que um dia você será feliz de novo. Pior ainda, talvez o pecado moral tenha sido permitido naquele relacionamento. O que em um momento parecia tão belo, tão correto, apenas conduziu a tristeza, culpa e devastação.

Com tudo tão escuro e sem forma, as coisas podem parecer impossíveis enquanto você se pergunta: “Depois de fazer uma bagunça como essa, como posso esperar que Deus me traga a pessoa certa para minha vida?” Lembre-se, meu amado jovem, que Deus é o “Deus de esperança” (Rm 15:13). Em Jr 32:27, o Senhor pergunta “Acaso haveria alguma coisa demasiado difícil para mim?” Deus é o Deus da segunda chance!

Luz e Esperança

Não sabemos o que aconteceu para que aquela criação original e perfeita citada no versículo 1 fosse estragada, mas ela entrou em total ruína. No entanto, Deus não permitiu que Sua criação permanecesse naquele condição vazia e de trevas (“sem forma e vazia”, na versão ACF). Tampouco quer Deus que seu coração e sua vida permaneçam em um estado sem forma e vazio. “Sara os quebrantados de coração, e lhes ata as suas feridas.” (Sl 147:3). Ele amavelmente nos diz que “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça.” (1 João 1:9). E Ele nos assegura que não desprezará um “coração quebrantado e contrito” (Sl 51:17).

Não há necessidade de se desesperar tendo a benção dEle na sua vida, amado jovem. Mas há uma grande necessidade de se achegar a Ele e ouvi-Lo, sabendo que Ele é amor puro e que Ele sempre recebe, de braços abertos, filhos que retornam a Ele em um espírito arrependido, humilhado e contrito (Sl 34:18, Sl 51, Pv 28:13, Lc 15:11-32)

Se houver confissão e arrependimento, você pode estar certo de que nosso gracioso Deus lhe dará uma resposta de paz (Gn 41:16) no que diz respeito a uma companhia para a vida. Confie nEle!

Você Pode Começar de Novo

V. 2 “E o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas. ”

A água nas Escrituras muitas vezes sugere instabilidade e confusão (Lc 21:25). Talvez seja exatamente assim que você se sente agora sobre o efeito de um romance anterior ou a incerteza sobre o começo de um novo. Tudo pode parecer escuro, sem forma, perdido, mas lembre-se que Deus está pessoalmente e intensamente interessado em você. É tão interessante que Ele sabe exatamente quantos cabelos você tem na cabeça (Lc 12:7). Assim como Seu Espírito se movia com interesse divino sobre a desolada cena de Gênesis, assim Ele hoje se preocupa com as condições do seu coração e da sua vida.

Em outra tradução (J.N.D.), o Espírito de Deus está registrado como “pairando” ou “meditando” sobre a cena de desolação. Por que Deus simplesmente não desistiu, destruindo toda a criação e então começando tudo de novo? Porque não é este o coração de nosso maravilhoso e amável Deus! Ele se deleita em tornar belo algo que estava em condições de ruína! “A quebrada ligarei, e a enferma fortalecerei” (Ez 34:16).

Se o pecado e a desobediência marcaram seu namoro, arrependa-se e confesse isto ao seu Pai. Se há confusão e trevas na sua vida em relação a romances, confie e se submeta à fé no seu Pai. Ninguém pode fazer melhor para você do que Ele! “Confiarei em ti.” (Sl 56:3)

Luz Para Um Novo Começo

V. 3-5 “E disse Deus: Haja luz; e houve lu_z. E viu Deus que era boa a luz; e fez Deus separação entre a luz e as trevas. E Deus chamou à luz Dia; e às trevas chamou Noite. E foi a tarde e a manhã, o dia primeiro. ”

Repare que é Deus que age. Ele, que é a Luz (1 Jo 1:5) diz, “ Haja luz”. A luz é a primeira coisa que deve caracterizar um namoro entre dois cristãos – a luz moral. Como foi Deus quem disse “Haja luz”, esta é uma questão inegociável para aqueles que desejam um romance feliz, emocionante e gratificante. “Porque noutro tempo éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor; andai como filhos da luz” (Ef 5:8)

Não se deixe enganar pelo espírito iníquo deste mundo que faz de heróis aqueles cujas vidas são cheias de corrupção e sujeira moral, as quais Deus chama de abominação.Tal perversidade não é o padrão para um romance piedoso pois pertence às trevas, não à luz.

Assim que você se encontrar iniciando um namoro sério com outro crente, sempre lembre-se que seu Pai deseja que seu namoro seja caracterizado pela luz. Lemos que “viu Deus que era boa a luz”. Ele está observando (com carinhosos e amáveis olhos de um Pai) tudo o que acontece em seu romance. Não permita ação alguma em seu namoro que não possa estar na completa luz de Sua amável presença. “Tu és Deus que me vê” (Gn 16:13).

Não Há “Meia-Luz”

Deus é o Único que tem o direito de fazer uma clara e distinta diferença entre luz e trevas. Ele chamou a luz de “dia” e as trevas de “noite”. Ele também separa moralmente entre o que é bom (luz) e o que é pecado (trevas). Deus é infinito e soberano, estabelecendo os padrões para o certo e o errado em seu namoro. Lembre-se que no namoro (assim com em todas as outras coisas), Deus não tolera algo como uma meia-luz: ou há trevas, ou há luz.

Deixe a luz e as trevas claramente divididas em seu romance. Este é o primeiro dia – o maravilhoso e excitante começo de um namoro cristão. Você descobrirá que a Palavra de Deus identifica claramente aquilo que responde à luz moral e às trevas morais. Leia-a sempre com muita oração e cuidado!

O presente mundo perdeu tanto o temor a Deus que tentará te convencer que qualquer tipo de conduta é aceitável em um namoro. Qualquer coisa que pareça fazer sentir-se bem é aceitável – e encorajado – nos relacionamentos românticos do mundo. De fato, nossos assim chamados países cristãos chegam a ter certas leis de moralidade baseadas no conceito ímpio de “adultos com consentimento” (termo referente a adultos que consentem em realizar práticas sexuais ilícitas entre si). Isso tudo mostra que o que Deus chama de pecado é considerado um comportamento aceitável entre aqueles que consentem com tal conduta!

Isso tudo é uma loucura tão triste! Nosso Deus estabeleceu os padrões do dia (certo) e noite (errado) nos relacionamentos românticos entre duas pessoas. Ele separou claramente o dia da noite. Não permita que a falta de padrão moral piedoso e a tolerância ao mal deste mundo confundam as claras distinções que Ele fez para a conduta no namoro.

Enfim, não se deixe enganar! Um cristão não pode usar os distorcidos padrões de conduta do mundo para guiar um romance. O Senhor Jesus disse, “Deixai-os; são condutores cegos. Ora, se um cego guiar outro cego, ambos cairão na cova.” (Mt 15:14)

CONTINUE LENDO

Dia Segundo

Romance Não Funciona Debaixo da Água

V. 6-8 “E disse Deus: Haja uma expansão no meio das águas, e haja separação entre águas e águas. E fez Deus a expansão, e fez separação entre as águas que estavam debaixo da expansão e as águas que estavam sobre a expansão; e assim foi. E chamou Deus à expansão Céus, e foi a tarde e a manhã, o dia segundo.” A água não tem forma nem força. Ela se conforma à forma do recipiente em que está contida. Sem tais paredes para a aprisionar, a água se torna uma poça disforme. Quem deseja um namoro que não tenha forma ou força para tal? Compromissos sérios são necessários para criar e manter um relacionamento sério. Um compromisso vitalício entre duas pessoas não durará se não tiver a capacidade de permanecer em sua própria força. O mundo encoraja e tolera muitos tipos de condutas pecaminosas como sendo aceitáveis para um casal “apaixonado”. A maioria desses padrões logo acabam levando jovens ao pecado da imoralidade. Nunca permita que seu namoro seja formado pelos pensamentos do mundo pois isto é como tentar construir um namoro na água. “E não sede conformados com este mundo” (Rm 12:2).

O Que é o Firmamento?

A fim de preparar um lugar adequado e estável para a Terra, Deus criou um firmamento chamado céu – ele separou as instáveis águas abaixo e acima. À medida que um jovem percebe que sentimentos por outra pessoa estão se desenvolvendo em seu coração, muitas questões aparecerão. Por exemplo, “Como eu vou saber se ele ou ela é a pessoa certa pra mim?” “Aquele pelo qual tenho sentimentos sente o mesmo por mim?“ ”Será que somos compatíveis quanto aos interesses e desejos de seguir ao Senhor?” O que você precisa é de um firmamento para separar, das águas de pensamentos e ideias confusas, algo que trará clareza e estabilidade ao coração. O firmamento que faz isso na vida de um jovem deve ser chamado de céu, pois a sabedoria e moral do homem nunca poderia prover respostas a suas perguntas, ou estabilidade para um namoro cristão feliz. Quão vital é que um jovem crente descanse na imutável sabedoria celestial encontrada na Palavra de Deus. Lá – e não nas areias movediças das opiniões dos homens – é onde a estabilidade duradoura para um romance é encontrada. “Filho meu, atende à minha sabedoria; à minha inteligência inclina o teu ouvido;“ (Pv 5:1). ”Não apliques nisso a tua [própria] sabedoria.” (Pv 23:4).

Dia Terceiro

Construindo Sobre um Alicerce de Fé

(V. 9-10) “E disse Deus: Ajuntem-se as águas debaixo dos céus num lugar; e apareça a porção seca; e assim foi. E chamou Deus à porção seca Terra; e ao ajuntamento das águas chamou Mares; e viu Deus que era bom.” Você não pode construir nada usando água como alicerce – e certamente também não um namoro feliz e duradouro. Na criação, de modo a existir um mundo com plantas, árvores, animais e o homem, Deus primeiro criou a terra seca, que proveu o alicerce necessário para suportar tudo o que Deus iria colocar em Sua bela criação.

Namoro de Super Mercado

No mundo de hoje em dia é considerado aceitável sair namorando várias pessoas, se divertir, e não namorar a sério apenas com um cara ou uma garota – como se fosse o mesmo que ir a um super mercado comprar uma caixa de cereais. Há tantas escolhas diferentes que se você achar que não gosta do gosto de um, você pode tentar outra! É exatamente esta a ideia do homem sobre como encontrar uma companhia para a vida. “Sair às compras” antes de se casar é o conselho do mundo. Quanto mais caras / garotas você namorar, mais fácil será saber quando você encontrar a “pessoa certa”. Tal raciocínio é muito tolo – o mesmo que construir uma casa sobre a água em vez de firmá-la na terra seca.

O Que é Terra Seca?

Em uma aplicação moral, terra seca é a fé e obediência à preciosa Palavra de Deus. A Bíblia é sólida, imutável e o único lugar seguro para basear sua vida e suas decisões. “As minhas palavras não hão de passar” (Lc 21:33). Uma fundação sólida na qual construir um belo e vitalício relacionamento com outra pessoa pode somente ser construída de modo seguro na terra seca da imutável Palavra de Deus. A fé confia somente em Deus para prover sabedoria e orientação para seu namoro. “Sem fé é impossível agradá-Lo” (Hb 11:6). A obediência é o efeito natural da fé em Deus e do amor pelo Senhor Jesus. “Se me amais, guardai os meus mandamentos” (Jo 14:15) A fé é acrescentada, fortalecida e guiada por orações e leituras bíblicas diárias. “Para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria dos homens, mas no poder de Deus” (1 Co 2:5). Você se questiona se tem fé suficiente? Leia Lucas 17, começando do versículo 5 (onde os discípulos pedem ao Senhor para acrescentar sua fé).

Não Faça Bagunça com Lama

A terra seca perde seu caráter quando misturada com água. No momento que a água é adicionada, o resultado é lama. É tão impossível construir um alicerce duradouro sobre a lama quanto sobre a água. Não tente misturar os santos padrões divinos da Palavra de Deus (terra seca) com os imundos e impuros padrões do mundo (água)1. Você irá terminar apenas com uma bagunça na lama! Ambos não podem se misturar com melhores resultados do que tentar colocar “vinho novo em odres velhos” (Mt 9:17). Não tente anexar suas definições ao que Deus já chamou de “terra seca” e “água”. Os pensamentos dEle são infinitamente superiores aos seus (Is 55:8-9). Às vezes, quando crentes são apanhados pelo espírito do mundo, eles são tentados a modernizar ou dar nomes diferentes aos princípios de Deus. Por exemplo, o mundo diz que, quando um homem e uma mulher não casados vivem juntos, eles estão “coabitando” ou tendo um(a) “companheiro(a)”, ou fazendo “um compromisso de amor”. No entanto, Deus chama o sexo fora do casamento de pecado da fornicação. Tentar misturar os padrões morais para um romance do mundo com os padrões santos e puros de Deus só pode trazer desastres. Tome cuidado para não criar lama moral em seu namoro! E lembre-se que o que Deus cria e nomeia é bom. Mudar Seus padrões para se adequarem às vontades do mundo apenas fará você entrar em uma “bagunça pegajosa”! “Que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?” (2 Co 6:14)

O Namoro Precisa de Relva

V. 11-13 “E disse Deus: Produza a terra relva, ervas que deem semente, e árvores frutíferas que, segundo as suas espécies, deem fruto que tenha em si a sua semente, sobre a terra. E assim foi. A terra, pois, produziu relva, ervas que davam semente segundo as suas espécies, e árvores que davam fruto que tinha em si a sua semente, segundo as suas espécies. E viu Deus que isso era bom. E foi a tarde e a manhã, o dia terceiro.” A terra seca da fé em Deus e em Sua Palavra quanto a relacionamentos cristãos produz resultados pacíficos e agradáveis. Mas se você seguir os pensamentos do mundo sobre romance e moralidade, seu relacionamento não será capaz de produzir relva. Quando um namoro é estabelecido pela fé, há três coisas maravilhosas que se desenvolverão (crescerão) disto: (1) relva, (2) ervas que dão sementes, e (3) árvores frutíferas que dão frutos. Estas três coisas irão aparecer, moralmente, nesta mesma ordem em um namoro cristão piedoso. Dois crentes que estão namorando devem primeiro se certificarem de que estão produzindo “relva”. No Salmo 23 aprendemos que a relva (pastos verdejantes) traz descanso e paz. Em Mc 6:39, antes do Senhor Jesus alimentar a multidão, Ele lhes dá um lugar de descanso sobre a relva verde. Amados jovens, veja nisto que seu namoro deve ser caracterizado, desde o princípio, por paz e descanso. “E a paz de Cristo domine em vossos corações” (Cl 3:15). Quão rapidamente um romance cristão pode ser arruinado quando um dos parceiros força o outro a ir além de sua consciência ao expressar afeto. Nenhuma relva pode crescer (nenhum descanso ou paz serão encontrados) em um relacionamento onde há uma constante ansiedade por causa de ações inadequadas de um para com o outro.

Quem Planta a Relva Primeiro?

As Escrituras nos ensinam que o homem é quem deve iniciar um namoro. Temos o exemplo perfeito e divino em Ef 5:25 ; “Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela” . Alguém observou uma vez que “o amor, no sentido correto, começa no coração do homem, e então ele corteja a garota que ama.” Vamos tomar a história de Rute. Seu coração, assim como o de sua sogra, Noemi, obviamente desejavam que Boaz a notasse e a desejasse como esposa. No entanto, quando Rute parece incerta sobre como se aproximar de Boaz, Noemi sabiamente diz: “Espera, minha filha, até que saibas como irá o caso, porque aquele homem não descansará até que conclua hoje este negócio.” (Rt 3:18). Veja, é responsabilidade de Boaz, como homem, de iniciar um namoro com Rute, como resultado do amor que ele sentia por ela. Rute, como apontou Noemi, estaria fora de seu lugar se tentasse iniciar um relacionamento com Boaz (Devemos notar aqui que, talvez, era o que normalmente acontecia em Moabe. Talvez as mulheres daquela terra iniciassem relacionamentos românticos com homens… mas não era algo de Deus).

Não Queime a Grama

Amado jovem, tenha cuidado quanto a atiçar os fogos da paixão em seu namoro. Uma vez atiçados, eles podem rapidamente explodir em uma incontrolável tempestade de fogo de luxúria que irá rápida e tragicamente destruir a alegria e felicidade que Deus tem em vista para vocês. Em 1 Co 7, o apóstolo Paulo responde questões que novos cristãos, que eram acostumados a estilos de vida imorais (como os que são comuns na nossa sociedade atualmente) antes de serem salvos, fizeram em relação a romance e casamento. Seu primeiro comentário é, “Bom seria que o homem não tocasse em mulher” (1 Co 7:1). Isto pode parecer bastante restritivo. Porém o pensamento (que é muito mais claro no original em grego) é que um homem não deve tocar em uma mulher de modo a “acender o fogo da paixão”. Em 1 Timóteo 5:22, Paulo disse ao jovem Timóteo, “Conserva-te a ti mesmo puro”. Quão vital é que ambos os parceiros em um namoro cristão cuidem para que o contato físico em seu romance seja mantido em pureza e honra a Deus. Um grande perigo para jovens cristãos hoje em dia é de se tornarem endurecidos pela imoralidade e impureza deste mundo. A maior parte da sociedade ocidental – especialmente nas áreas de marketing, esportes e entretenimento – é baseada em sensualidade explícita e temas sexualmente imorais. Se você se deixar levar por esse espírito, amado jovem cristão, isto irá rapidamente diminuir a pureza em que você deve, como um filho de Deus, exercer em seu namoro. Há uma grande diferença entre desfrutar de um “namoro gramado” e experimentar um que está sendo destruído pelos fogos de uma paixão desenfreada. “Fugi da prostituição / fornicação” (1 Co 6:18)

Proporcionando Relva para a Jovem

Um jovem que, continuamente, força sua namorada a uma familiaridade física na qual ela não se sente confortável, está destruindo a primeira coisa que deve ser encontrada na terra seca de um namoro cristão – a relva. Tal conduta da parte do jovem demonstra uma falta de respeito por uma irmã em Cristo como um vaso mais fraco (1 Pe 3:7), e falta de pureza (veja 1 João 3:3). Nenhum romance pode ser pacífico e tranquilo se a garota precisa estar constantemente em guarda contra os avanços físicos de seu namorado. Apliquem esta verdade – “Deixe a paz de Deus dominar” (Cl 3:15) – em todas as suas atividades no namoro. Que divertimento terá sua namorada se, ao se preparar para ficar sexta-feira à noite com você, seu coração estiver cheio de preocupação sobre quão longe você poderá tentar pressioná-la fisicamente naquele momento? Como você espera que ela confie sua vida a você como sua esposa se ela não pode nem confiar em você estando em sua companhia durante algumas horas de namoro? Irmãos, aprendam a ser homens – verdadeiros homens de Deus! Desenvolva um cuidado, uma consideração e uma preocupação para com os sentimentos da irmã que você está namorando. Mais ainda – preocupe-se com o que o Senhor Jesus pensa de suas ações em relação à sua namorada. Quando você começa a namorar uma jovem irmã, você começa a lidar com umas das coisas mais frágeis e delicadas encontradas na criação – um coração humano. Não brinque com o coração e com as afeições de uma filha de Deus!

Quem Vem Primeiro?

Não você, rapaz! Nem seus sentimentos, pensamentos e desejos. Deus e Seus pensamentos devem vir primeiro, então os sentimentos de sua namorada, e então os seus. Atentem, irmãos, que seus desejos devem ser sempre formados e guardados pela Palavra de Deus e que você não deve, egoisticamente, forçar seu próprio caminho em seu namoro. Ao agir como um homem de Deus, totalmente submisso e controlado por Seus pensamentos, sua companheira desenvolverá uma confiança crescente em você, aprendendo que pode confiar nas suas ações e julgamento enquanto namoram. Não permita que a luxúria e a paixão destruam a relva!

Quem é o Responsável?

Você é o homem. Ser a cabeça é sua responsabilidade. “E o homem é a cabeça da mulher” (1 Co 11:3). Deus espera que você tome a responsabilidade de liderar seu namoro, assim como você, um dia, irá liderar sua casa. “Portai-vos varonilmente” (1 Co 16:13). Você acha, querido jovem irmão, que a resposta de nosso amável Pai à oração fervorosa de uma irmã para um companheiro piedoso e responsável seria alguém em quem ela não pode confiar, que deseja apenas ter “bons momentos”, e que não tem interesse em agir com pureza em um romance? Às vezes brincamos sobre como um pai se sente quando sua filha sai em seu primeiro encontro. Pense por um momento o quanto mais Deus se preocupa com aquela jovem – Sua filha comprada com Seu próprio sangue – que você está chamando para namorar! Mais uma vez dizemos, esteja sempre em oração e cuidadoso.

Luxúria e Natureza

Amado jovem, você, especialmente, terá que lidar a cada momento com as “concupiscências carnais”, que são obras do “velho homem”. Lembre-se que há uma grande diferença entre a luxúria que nossa carne produz, e os sentimentos de amor carinhoso e a alegria produzida no coração por aquela pessoa especial. Além disso, a intimidade física que é perfeitamente normal e encorajada por nosso Deus na união conjugal é totalmente inaceitável – é, de fato, pecado – em um namoro. O pecado – aquele que produz em nós maus desejos e concupiscências que são contrários a Deus – já foi tratado na cruz (Gl 2:20). Agora temos que viver nossas vidas na realidade do que Deus fez com nossa velha natureza ímpia. Diariamente, devemos “considerarmos como mortos para o pecado” (Rm 6:11). Lembre-se que a carne não é confiável. Procure a graça de Deus para manter seu namoro moralmente puro o tempo todo. Nunca nos foi dito que estamos mortos para a natureza. O namoro e o casamento fazem parte do maravilhoso reino da natureza que Deus deu ao homem para seu prazer e deleite. Não há nada errado com os sentimentos de excitação e atração que você tem pela sua namorada – seria muito estranho se você não os tivesse. Mas a forma como você expressa esses sentimentos deve ser sempre guiada pelos padrões impostos na Bíblia – nunca expressados de acordo com as concupiscências da carne. Se seu namoro é de Deus e você deseja que seja feliz, empolgante e alegre, assim como Ele também deseja, certifique-se de que você está, diligentemente, fazendo a relva de paz e descanso crescer em seu romance!

Proporcionando Relva para o Rapaz

Queridas irmãs, quanta relva (paz e descanso) você consegue fazer crescer em um namoro se você se veste imodestamente, revelando que sua conduta é do tipo “vem cá!” – uma tentação constante para seu namorado para iniciar ações que vão além dos limites da modéstia e pureza física? O flerte e a provocação sexual não é um esporte inofensivo, nem é seu lugar ficar perseguindo ou provocando um rapaz dessa maneira. Pv 7 dá um exemplo solene de uma mulher que persegue um rapaz e o pega. A Palavra de Deus chama esta mulher de prostituta e o resultado de suas ações causam a morte moral do rapaz! O mundo encoraja uma mulher a tomar a iniciativa – a dar o primeiro passo – para com um jovem. Você é ensinado por este mundo que seu corpo é nada mais que um objeto para excitar a luxúria do homem – que degradante! Uma mulher cristã piedosa não é caracterizada por tais coisas. Você deve mostrar, não seu corpo, mas um espírito manso e tranquilo (1 Pe 3:4). A história de Rebeca em Gn 24 é um bom exemplo da modéstia que deve caracterizar cada querida jovem irmã. É claro, as garotas cristãs também têm a carne. Querida jovem irmã, você é capaz de tentar iniciar um romance ao flertar e seduzir um rapaz tanto quanto uma mulher do mundo. Você deve, diariamente, julgar suas tendências más da carne, como morta para elas, e recusar-se a agir de acordo com elas. Não provoque seu namorado a situações que são contrárias a Deus e que são desconfortáveis para ele. Você também, querida irmã, tem a responsabilidade de proporcionar relva em seu namoro.

Real Beleza e Real Vaidade

No mundo, a mulher virou o principal ídolo da luxúria. Ela é constantemente mostrada diante do homem de maneira calculada para seduzi-lo e dominá-lo. Roupas (ou melhor, a falta dela), maquiagem, perfumes, e tantas outras coisas são, muitas vezes, produzidas unicamente com a finalidade de permitir que a mulher se torne mais eficaz como objeto de luxúria. Quão frequentemente nos anúncios do mundo às mulheres encontramos a sutil mensagem de que seu objetivo é “levá-lo à loucura” de luxúria e paixão pelas suas roupas e ações. Atratividade, limpeza e vestuário elegante são, é claro, vitalmente importantes. A Bíblia incentiva a se cuidar em Provérbios 31:22: “Faz para si cobertas de tapeçaria; seu vestido é de seda e de púrpura.” Mas enquanto roupas legais e flagrâncias agradáveis são boas, vejam bem, queridas irmãs, que você não deve usá-las para os propósitos corruptos para as quais são geralmente usadas no mundo. De todo modo, cuide bem do corpo que Deus confiou a você. Mas nunca use nenhuma dessas coisas para mostrar seu corpo de maneira sensual. Lembre-se que a Palavra de Deus te instrui a ser modesta. Seja especialmente cuidadosa com as roupas que você usa. Hoje em dia, a moda, muitas vezes, propositalmente revela ou acentua a sexualidade feminina, e com o único propósito de atiçar os homens. Tais estilos de roupa, se vestidos em seu namoro, irão certamente matar a relva. “Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia, não com tranças, ou com ouro, ou pérolas, ou vestidos preciosos, ” (1Tm 2:9)

Mandando Sinais

Vamos falar um pouco mais sobre o envio de sinais. Em Gênesis 26:8 lemos, “Isaque estava brincando com … sua mulher”, não com sua namorada! Há sinais entre um homem e sua esposa que levam a uma conduta romântica que é excitante, perfeitamente normal e apropriada – MAS SOMENTE na união do matrimônio. Você não terá um namoro “gramado” se, por seu vestido, palavras e ações, enviar sinais que encorajam seu namorado a tentar brincar inapropriadamente. Irmãs, vocês possuem uma capacidade muito marcante de “atiçar um fogo” pelas suas palavras, suas roupas e seus modos. Procure a ajuda do Senhor para que você possa fazer a relva verde crescer em vez de acender um fogo em seu relacionamento que a acabe queimando. Quanta paz seu namorado terá – ou será desfrutada em seu namoro – se, quando estiver namorando com ele, você ficar mandando sinais que o confundam e o convençam a tomar uma conduta errada? Leia os Cânticos de Salomão cuidadosamente. Você verá que as expressões e ações de amor maravilhosas e belas entre os dois registrados ali são apenas para serem apreciados no casamento.

Olhos Para Ele

Os olhos mandam mensagens poderosas – “Enlevaste-me o coração com um dos teus olhares”(Ct 4:9). “Desvia de mim os teus olhos, porque eles me dominam.” (Ct 6:5). No namoro, você deve ter olhos apenas para uma pessoa em especial. Se um rapaz atraiu seu coração, certifique-se de não continuar a olhar para outros rapazes. E assegure-se que estes seus olhos não estão falando para ele agir contrariamente à Palavra de Deus! A Palavra de Deus dá alertas bem claros sobre a “mulher estranha” e o que ela tenta fazer a um homem com seus olhos. “Nem te prendas aos seus olhos.” (Pv 6:25). Não use seus olhos daquele modo! Como você pode fazer a relva crescer, queridas irmãs, se sua conduta e ações propositalmente se destinam a provocá-lo ou a ver quão longe você pode forçá-lo? Não seja ousada. Esta é uma mentira que você constantemente ouve do mundo que encoraja as mulheres jovens a se vestirem ousadamente, a usar linguagem ousada, e a agir de modo ousado para com os homens. Se você seguir qualquer destas ações você pode depois colocar toda a culpa por uma trágica queda moral no seu namorado dizendo: “Eu nunca quis que aquilo acontecesse”. “Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará.” (Gl 6:7)

Satisfeita Consigo Mesma

Às vezes uma garota – insatisfeita com sua aparência – pode, imprudentemente, provocar ou forçar seu namorado por causa da tremenda pressão que ela sente de atingir os padrões mundanos de atratividade. Mas lembre-se que este princípio – “os que se comparam consigo mesmos” são para os “sem entendimento.” (2 Co 10:12) O perigo é que uma irmã que não sente que está à altura dos padrões de beleza do mundo pode se sentir pressionada em seu namoro a tornar-se mais atraente, por uma questão de “auto-estima”. Mas, na verdade, a raiz disso é o orgulho. Constantemente, agir de maneira inconveniente ao exigir garantias de seu namorado de que você é linda e sedutora não permitirá que a relva cresça em seu namoro.

Você é Melhor que Hollywood

Nenhum de nós pode se comparar muito favoravelmente com as estrelas e modelos de Hollywood que são constantemente vistas em público. Estes corrompidos ídolos são sempre apresentados na mídia incrivelmente atraentes e bonitos. Mas nunca se esqueça, querida jovem irmã, que essas deusas da imoralidade que são tão selvagemente populares por uns poucos anos de suas vidas (quando são jovens) são horrivelmente manchadas, imundas e impuras. Seus estilos de vida são uma abominação para Deus. Se você não deseja agir como elas (e você certamente não deveria), então pare de tentar parecer com elas. Deus em Sua soberania deu-lhe este corpo único. Ele está contente e satisfeito com o que lhe deu. “Mas Deus dá-lhe o corpo como quer.” (1 Co 15:38). Esteja satisfeita com o que Deus está satisfeito e cuide disto. É algo inestimável. Não há outro como este no mundo inteiro. Se você está descontente com o corpo que Deus lhe deu, antes de tentar os métodos de Hollywood para melhorá-lo, por que não gastar um tempo falando com seu Criador? Deixe que seu Pai, que te fez e que te ama, saiba tudo sobre seu descontentamento e então busque Sua graça para se sentir satisfeita com os atributos físicos únicos que Ele achou por bem dar a você. Não vá além dos hábitos sensatos e saudáveis de cuidado pelo corpo que Deus confiou a você para serem usados para Sua honra. “Enganosa é a beleza e vã a formosura, mas a mulher que teme ao SENHOR, essa sim será louvada.” (Pv 31:30). Isto não significa que é errado ser atraente. Deus nos conta em Sua Palavra sobre várias mulheres piedosas (como Sara e Rebeca) que eram muito belas. Mas a beleza é vã porque ela não permanecerá. O que permanece e traz benefícios permanentes é “o temor ao Senhor”.

Encabeçamento para as Irmãs?

Amadas irmãs, entendam que o mundo em que vivemos tem derrubado completamente o pensamento de que o homem é o cabeça (Gn 3:16). Ele ensina e encoraja as mulheres (de incontáveis maneiras) a usar seus atributos físicos para ganhar e manter controle e domínio sobre o homem. (Considere a história sobre o que Dalila fez a Sansão, como um exemplo notável – Jz 16). As mulheres são ensinadas a tomar o controle usando de sua feminilidade e sedução quase que como armas de guerra! Tome cuidado para não permitir isso em seu namoro. Nenhum relva pode crescer em um ambiente que é contrário aos pensamentos de Deus. Em vez da relva da paz, você acabará colhendo as ervas daninhas da tensão.

Não Pise na Grama

Muitas das atividades do mundo, conduzidas em um namoro, podem facilmente danificar a macia relva do namoro cristão. Há muitos lugares e muitas coisas que o mundo faz que um casal cristão não poderia jamais, em boa consciência, encontrar descanso e paz. Não vou fazer uma lista de de atividades aceitáveis em um namoro. Esta é sua responsabilidade diante do Senhor e faz parte da vida de oração e leitura da Bíblia que deve caracterizar você e o seu parceiro. No entanto, não apele para os padrões do mundo em suas atividades no namoro só porque parece ser algo legal ou excitante. Esteja sempre preocupado com os pensamentos e sentimentos de seu parceiro. Acima de tudo, preocupe-se com os pensamentos dAquele que os criou e os juntou. Uma palavra sobre atividades aceitáveis. Eu encorajaria aos jovens casais a aprenderem sobre a alegria de servirem ao Senhor juntos, tanto no trabalho de evangelização ou de ministério aos irmãos.“Sabeis que a família de Estéfanas … se tem dedicado ao ministério dos santos” (1 Co 16:15). Há inúmeras formas de servir ao Senhor e ao Seu querido povo enquanto se experimenta toda a alegria e emoção do namoro. Por outro lado, por favor, considere isto. Deus nunca direciona seus queridos filhos a ir a lugares onde serão cercados por impureza, luxúria, corrupção, ou violência – nem a um lugar que fará seus corações serem atraídos pelo amor a este mundo. Tome cuidado quanto a onde você faz crescer a relva em seu namoro. “Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele.” (1 Jo 2:15)

Alimento para a Satisfação

Se seu namoro é caracterizado pela “relva” (paz e tranquilidade), em consequência serão produzidas “plantas”. As plantas são um tipo do que satisfaz o coração em um namoro.“Melhor é a comida de hortaliça, onde há amor.” (Pv 15:17). Um romance cristão deve prover uma satisfação profunda e crescente para ambos os parceiros.

É Saboroso para Ambos?

Algumas vezes já vi dois jovens começarem a namorar, e os interesses de um dos parceiros gradualmente consumirem todo o relacionamento. Só porque um cara é realmente interessado em consertar carros não significa que todo encontro deveria acontecer na garagem onde trabalha! Tais namoros acabam fazendo a garota se tornar não mais importante do que uma das ferramentas necessárias para o rapaz praticar seu hobby ou passatempo. “O amor não busca os seus interesses” (1 Co 13:4-5). E, é claro, esse tipo de interesse (ou falta dele) manda uma mensagem inconfundível e dolorosa à moça. Enquanto ir a uma loja de auto-peças ou passar uma noite juntos trabalhando em um carro possa ser muito divertido para um casal de vez em quando, isto se tornará muito pouco atraente para a irmã caso se torne o único tipo de atividade no namoro. As plantas não podem se devenvolver e dar frutos onde as ervas daninhas do egoísmo estão crescendo. Não se aproveite dos desejos da sua namorada de agradá-lo, querido jovem irmão. Assegure-se de que seu namoro inclua atividades que alimente e satisfaça a ambos.

Variedade é Saudável

Não entre na rotina de sempre fazer as mesmas coisas no namoro. Assim como Deus nos deu uma ampla variedade de boa comida para comer, assim também deve haver uma variedade de experiências a serem apreciadas em um namoro (Veja 2 Samuel 17:27-29 como um exemplo da rica variedade de comida que Deus dá para satisfazer aos seus no deserto). Será preciso um tempo para pensar em oração para planejar atividades novas e divertidas, mas vale a pena por seu parceiro, e parte da diversão e emoção do namoro é planejar novas atividades e experiências.

Árvores para dar Força

Depois de haver paz (grama) e satisfação (plantas), então as árvores (força e glória) irão se desenvolver e dar frutos (um sentimento crescente de amor um pelo outro) em seu namoro. Muitas vezes ouvimos jovens dizerem depois do primeiro ou segundo encontro: “Estou apaixonado(a)!”. Todos sabemos que árvores não crescem e produzem frutos tão rapidamente. Elas se desenvolvem por um periodo de tempo (em um namoro pode ser um periodo longo ou curto, mas é um tempo de definitivo desenvolvimento e crescimento). Quando um namoro se desenvolve e amadurece apropriadamente, os doces frutos e a força de um amor verdadeiro e duradouro é o maravilhoso resultado. Namoros cristãos também possuem uma força que, enquanto a árvore está a dar frutos, será capaz de suportar os ventos das provações e testes que fazem parte de todo relacionamento romântico. Romances cristãos necessitarão da força divina para suportar os fortes ventos da influência do mundo, assim como outras dificuldades que irão aparecer. Mas então, depois disso tudo, que coisa bonita de se contemplar! Um romance entre dois crentes que é caractericado pela grama, plantas e árvores e está fundada sobre um chão sólido e seco. Que Deus conceda o propósito do coração, a fé e a submissão a Sua vontade a cada querido jovem casal, que possam desfrutar de seus relacionamentos como Deus pretende, da maneira mais plena e contente. ​1. Apesar da água, em geral, ser encontrada, nas Escrituras, como figura da Palavra de Deus (ver Ef 5:26), aqui o contexto tomado é o da criação, sendo a terra seca um local onde pode-se firmar um alicerce, o que não pode ser feito na água.

Dia Quarto

Luminares para o Caminho

V 14-19 “E disse Deus: Haja luminares na expansão dos céus, para haver separação entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais e para tempos determinados e para dias e anos. E sejam para luminares na expansão dos céus, para iluminar a terra; e assim foi. E fez Deus os dois grandes luminares: o luminar maior para governar o dia, e o luminar menor para governar a noite; e fez as estrelas. E Deus os pôs na expansão dos céus para iluminar a terra, E para governar o dia e a noite, e para fazer separação entre a luz e as trevas; e viu Deus que era bom. E foi a tarde e a manhã, o dia quarto.” Espere um minuto!! Deus já não havia criado (lá no dia primeiro) uma separação entre luz e trevas? Sim, Ele tinha. Mas lá Ele estava trazendo luz divina a um cenário de trevas, sem forma e vazio. Deus é Luz (1 Jo 1:5) e o que Ele é e o que Ele faz nunca pode ser caracterizado pelas trevas. Assim também um romance cristão não deve ser caracterizado por trevas morais. Mas agora, no dia quarto, havendo já aquela luz moral, e uma separação entre ela e as trevas, há uma coisa mais: a divisão entre dia e noite. Vamos considerar que o dia sugere o pensamento de trabalho e atividade, enquanto a noite sugere um tempo de inatividade e descanso. “Importa que façamos as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; vem a noite, quando ninguém pode trabalhar.” (Jo 9:4)

Um Romance em Amadurecimento

Um namoro verdadeiramente dirigido por Deus precisa de tempos de atividade (dia) e tempos de descanso (noite). Também precisa de estações para brotar, crescer e se desenvolver, necessitando de anos para amadurecer. Apesar de eu não estar falando de um tempo cronologicamente real, cada período de tempo é muito importante de se observar. Às vezes, jovens casais que estão no resplendor inicial de excitação de um novo relacionamento com aquela pessoa especial parecem não serem capazes de estarem separados um do outro. Onde está um, ali está o outro também. Isto pode parecer muito bonito e romântico, mas isto irá rapidamente estirpar e fazer murchar o relacionamento. Indo mais adiante, tal conduta tende a sufocar as estações e anos em que o romance cresce e amadurece. Encontramos tal princípio em Mc 4:28: “Primeiro a erva, depois a espiga, por último o grão cheio na espiga”. Isto não siginifica que um romance não pode ocorrer mais rapidamente do que o tempo real. Onde existe um sentimento verdadeiro de que o Senhor está guiando em direção ao casamento, eu, pessoalmente, sinto que mais curto é melhor que mais longo. Mas mesmo em romances curtos, se ordenados de acordo com os princípios de Deus, os princípios morais de dias e noites, estações e anos serão encontrados em seus lugares apropriados.

Não Se Separem – Apenas Deem um Tempo

À medida que um namoro cresce, haverá momentos em que precisará de um descanso – a “noite”. Eu certamente não quero dizer que os sentimentos de afeição pelo outro e sua demonstração devem sempre estar descansando. Eles devem continuar crescendo. Mas às vezes é necessário um descanso das atividades de namoro. Sempre estar juntos a cada minuto de cada dia não é algo sábio ou moralmente saudável em um namoro cristão. Se você acha que simplesmente não consegue ficar longe de seu parceiro – nunca pode ter um momento livre para qualquer outra coisa além de estar em sua companhia, procure a ajuda do Senhor para descobrir o que está fora de equilíbrio.

A Necessidade de Luz Durante o Descanso

Durante os momentos de descanso de um namoro, os parceiros não estão livres para agir como se eles não estivessem namorando. Mesmo à noite, se a lua está brilhando, é bastante fácil ver para aonde se está indo. A escuridão (pecado) permitida em qualquer um dos parceiros quando não estão juntos é tão ruim quanto permitida ao estarem juntos. Tal subsídio ao pecado certamente terá efeitos nocivos sobre o namoro. Lembre-se de que você não pode ser mais espiritual em seu namoro com seu parceiro (dia), do que quando você está sozinho (a noite) com Deus. O que uma pessoa é em público forma sua reputação, mas o que ela é no particular com Deus, forma seu caráter. Sendo os mesmos, tanto juntos como separados, cria confiança em cada parceiro – um ingrediente vital para um namoro feliz e frutífero. “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos. E vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno. ” (Sl 139:23-24)

Sendo uma Estrela

Você pode traçar um caminho à noite, mesmo se não há luz da lua, ao seguir as estrelas. Queira Deus que cada um que esteja em um namoro, ou planejando entrar em um, tornem-se tal estrela. Quão maravilhoso será se seu romance estabelece um exemplo piedoso (luz estelar) pela qual os outros podem encontrar orientação e direção para seus namoros. A submissão à vontade de Deus e a obediência à Sua Palavra irá resultar em um namoro cristão que não apenas será feliz para os parceiros, mas também será um guia para outros. “A fé dos quais imitai” (Hb 13:7).

Dia Quinto

O Surgimento da Vida

V 20-23 “E disse Deus: Produzam as águas abundantemente répteis de alma vivente; e voem as aves sobre a face da expansão dos céus. E Deus criou as grandes baleias, e todo o réptil de alma vivente que as águas abundantemente produziram conforme as suas espécies; e toda a ave de asas conforme a sua espécie; e viu Deus que era bom. E Deus os abençoou, dizendo: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei as águas nos mares; e as aves se multipliquem na terra. E foi a tarde e a manhã, o dia quinto.” A vida nas águas é criada. Eu mencionei anteriormente que devemos considerar que as águas e os mares podem sugerir os pensamentos e opiniões do mundo sobre namoro. Tais pensamentos – o mesmo espírito deste mundo ímpio – sempre proverá um ambiente hostil para namoros cristãos. No entanto, se um namoro é de Deus, irá prosperar e e viver até mesmo em tais circunstâncias adversas. Provações e dificuldades (que certamente virão) nunca deveriam afogar um namoro direcionado por Deus. Não sei se alguma vez testemunhei algo tão majestoso e gracioso como a visão das baleias se movendo através da água em aquários marinhos gigantes. A água é o meio pelo qual este majestoso animal exibe sua graça enquanto se move. E as belas cores e variedades da vida no oceano são indescritíveis! Provações que se apresentam em seu romance deveriam simplesmente ser os meios pelos quais sua beleza, graça e força espiritual são exibidas.

O Namoro Não é Livre de Dores

O mundo apresenta uma concepção de romance muito falsa, ensinando que quando duas pessoas se apaixonam, tudo será sempre feliz e excitante. Ele sugere que “o amor significa nunca ter que dizer que você está arrependido”. Estes tipos de princípios falsos e ímpios não podem sustentar o amor verdadeiro através das provações e testes. Amados jovens, o namoro em que você está – ou o que você está orando para começar – é, de fato, uma esfera maravilhosa e emocionante. E apesar de um namoro não enfrentar conflitos sempre, ele certamente irá se deparar com as águas da adversidade de vez em quando. No entanto, se seu relacionamento é direcionado pelos princípios de Deus, você e seu parceiro descobrirão que tais tempos de provações produzem e sustentam as mais belas e impressionantes demonstrações de um amor verdadeiro e vivo. “Do comedor saiu comida, e do forte saiu doçura” (Jz 14:14).

Esperanças e Sonhos Vivos

Depois que Deus criou vida abundante nas águas Ele criou as aves que voam nos céus. Vamos compará-las às esperanças, sonhos e planos que deveriam ser uma parte maravilhosa e normal de um romance cristão. Tais esperanças se tornam realidade e vida, de acordo com a vontade de Deus, através da oração. Juntos, ambos os parceiros devem estar planejando e pensando sobre seu futuro casamento, carreiras, família e as tantas outras coisas que compõem o belo tecido da vida de casados. Embora devamos sempre manter diante de nós a abençoada esperança do retorno de nosso Senhor, o planejamento, o compartilhamento de esperanças e sonhos, e a oração em conjunto sobre eles nunca podem faltar no namoro. Nosso Senhor Jesus deseja que Sua noiva esteja pensando em tudo que a aguarda, e o Espírito Santo “há de receber do que é meu (de Cristo) e vo-lo há de anunciar” (Jo 16:15). Quantas vezes lemos sobre aquelas esperanças que pertencem a nós – esperanças de vê-Lo, estando com Ele e parecendo com Ele, compartilhando de toda Sua glória na casa do Pai por toda a eternidade. O Senhor deseja que tenhamos comunhão com Ele ao gozarmos de nossa abençoada esperança – esperança esta que nos é realmente assegurada. Como o coração de Rebeca deve ter se enchido de emoção à medida que o servo, que havia gasto aqueles dias sombrios naquela longa viagem através do deserto, contava a ela das glória de seu futuro marido e de tudo que lhe pertencia, e de tudo o que seria dela como sua esposa. Quantas esperanças e sonhos devem ter agitado em seu coração.

Sem Esperanças ou Sonhos é Sinal Vermelho

Se um dos parceiros em um namoro reluta em orar sobre, sonhar com, e planejar para o futuro junto com o outro, seria bom ser bastante hesitante em continuar o relacionamento (veja Lucas 14:28-30 para entender este princípio). Não é normal que um namoro cristão sério não demonstre esse tipo de vida “nos céus”. Um namoro não pode sobreviver se um dos parceiros é egoísta demais para pensar e planejar para o futuro com sobriedade e em oração. É claro que o Senhor Jesus pode vir a qualquer momento – Ele prometeu isto. Mas enquanto se espera e se olha para Seu retorno, um casal que está em um relacionamento romântico sério deve também estar planejando para seu futuro caso o Senhor nos deixe aqui por enquanto. Acima de tudo, que o seu namoro seja um em que a oração em conjunto por direção, ajuda e sabedoria seja uma parte natural e valorizada. “Orando em todo o tempo” (Ef 6:18)

Dia Sexto

Namoro Concluído

V. 24, 25 “E disse Deus: Produza a terra alma vivente conforme a sua espécie; gado, e répteis e feras da terra conforme a sua espécie; e assim foi. E fez Deus as feras da terra conforme a sua espécie, e o gado conforme a sua espécie, e todo o réptil da terra conforme a sua espécie; e viu Deus que era bom.” Chegamos agora ao que podemos chamar de conclusão do namoro. Deus está prestes a introduzir o homem e a mulher em Sua criação – como marido e mulher (que é o principal objetivo do namoro). Antes disto, no entanto, Deus popula a terra seca com criaturas vivas, assim como as águas e os céus foram populados por elas.

O Romance Precisa de Animais

A terra seca é a base sobre a qual a vida é apresentada na criação, e é o último (ou, poderíamos dizer, o mais alto) lugar em que o namoro é apresentado. Anteriormente, a vida foi apresentada no mar (o namoro prosperando diante dos problemas) e no ar (o namoro apropriadamente inclui esperanças, planos e sonhos). Agora temos criaturas vivas – condições que são necessárias para que um namoro termine em um casamento feliz e vibrante.

“Rebanho” no Namoro

Há três categorias de vida animal que populam a terra seca – o rebanho, os répteis, e as feras da terra. Vamos olhar para eles como princípios que devem ser realidades vivas em um namoro, antes que se inicie a vida de casados. Sem eles, eu temo que os relacionamentos de matrimônio correm um risco solene de naufrágio e ruína. Vamos olhar para o rebanho como representando a vida que alimenta e sustenta um casamento. Lembrem-se, amados jovens, de que é tão impossível para duas pessoas viverem somente à base de amor como é impossível para elas viverem sem amor. Assim o futuro marido deve ter condições de prover o amparo financeiro e o cuidado da mulher com quem ele pretende se casar.

O Que é o “Rebanho”?

Simplesmente não é normal que um jovem não tenha capacidade ou desejo de produzir rebanho… isto é, sem perspectivas de emprego… sem habilidades empregáveis… sem modos adequados de suportar sua futura esposa – ou, pior ainda, sem preocupações sobre sua situação. Tome cuidado, querida irmã, ao fazer um compromisso para a vida quando houver dúvidas se seu casamento pode ser sustentado financeiramente. Estabilidade financeira não é a mesma coisa que riqueza financeira. Estar preocupado quando à estabilidade financeira é muito diferente de procurar ficar rico. Um é nascido do amor ao dinheiro, que provém da cobiça e ganância, enquanto o outro é nascido do amor por uma mulher. Um é pecado – enquanto o outro é encorajado por Deus. Isto não contradiz Fp 4:19 – “O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus”. Temos sempre que confiar em Deus para suprir nossas necessidades, mas isto não significa que não temos que trabalhar. A providência de Deus para um emprego adequado para um marido é Sua maneira divina de suprir as necessidade de um casamento. Quantas dificuldades e estresse desnecessários casais jovens enfrentam no namoro e, depois, no casamento, quando há uma falta de preocupação apropriada sobre “rebanho”! Proporcionar “rebanho” para suportar um casamento é sua responsabilidade, querido jovem irmão. Você se lembra da advertência de Josué? Esforça-te, e tem bom ânimo (Js 1:6). Deus te fez homem – aja como tal! “No suor do teu rosto comerás o teu pão, até que te tornes à terra; porque dela foste tomado; porquanto és pó e em pó te tornarás.” (Gn 3:19) “Porque, quando ainda estávamos convosco, vos mandamos isto, que, se alguém não quiser trabalhar, não coma também.” (2Ts 3:10)

Rebanho Supervalorizado

Por outro lado, as irmãs devem ser cuidadosas ao começar um relacionamento sério com um jovem que tenta atrair sua atenção e afeição gabando-se pelo tanto que tem. Um jovem piedoso deveria, em vez disto, mostrar quem é. É muito mais importante descobrir a profundeza de sua espiritualidade do que o tamanho de sua conta bancária ou o valor de seus pertences. Irmãos, vocês também precisam tomar cuidado com uma jovem que é atraída e mostra suas afeições baseada no quão caro é o carro que você dirige e as roupas que você veste, ou baseada no quanto você pode se dar ao luxo de gastar com ela. Tal garota não demonstra as qualidades que caracterizam aquela maravilhosa e piedosa mulher sobre qual lemos em Pv 31- a que Deus chama de mulher virtuosa. Ser extremamente atraída ou influenciada por possessões materiais é como tentar colocar o rebanho na criação antes de haver luz ou terra seca ou relva para suportá-lo. Enquanto que finanças e possessões são algumas das considerações importantes que são parte de um namoro normal, nunca deve-se permitir que elas se tornem a única base para iniciá-lo. Nem podem elas, por si mesmas, trazer felicidade ou o amparo emocional necessário para um compromisso de casamento vitalício. “A avareza nem ainda se nomeie entre vós, como convém a santos” (Ef 5:3)

Quem Provê o Rebanho?

Muitas vezes, antes do casamento, uma irmã está em algum tipo de emprego. No entanto, o continuamento de seu trabalho em período integral não está de acordo com o cristianismo normal. Embora haja períodos em que a esposa possa continuar por um tempo em algum tipo de emprego fora, não está de acordo com a ordem de Deus que o casamento seja baseado na necessidade da esposa dedicar sua vida a um emprego integral fora de casa. Em circunstâncias normais, o que Paulo diz em 1Tm 5:14 deveria caracterizar a responsabilidade do fornecimento de rebanho em um romance – “Quero, pois, que as que são moças se casem, gerem filhos, governem a casa“. É ao marido1 que é avisado, como crente, a ”ter cuidado dos seus, e principalmente dos da sua família” (1Tm 5:8) Lembrem-se, amados jovens, é um bom treinamento, bem como um excelente indicador de caráter, que um jovem suporte o encargo financeiro em um namoro, assim como será sua responsabilidade levar o mesmo encargo no casamento.

O Preço do Rebanho

Muitas vezes parece, nas atuais circunstâncias econômicas, que um casal jovem não pode realmente se sustentar financeiramente ao menos que ambos planejem trabalhar em período integral. No entanto, Deus nunca dá a Seus filhos instruções ou princípios que são impossíveis de se seguir. O que é realmente necessário, muito mais do que ambos os parceiros trabalharem integralmente, é que o homem faça preparativos sóbrios e sérios para “prover para si próprio”. Ele é especialmente responsável por cuidar para que seu namoro e casamento seja caracterizado por ter rebanho suficiente. “Prepara de fora a tua obra, e aparelha-a no campo, e então edifica a tua casa.” (Pv 24:27). A mulher e a família não podem ser suportados pelo salário ganho em um restaurante de fast food. Não há nada errado ou desonroso em ter tal emprego. Ele pode fornecer treinamento e disciplina excelentes para futuras responsabilidades. No entanto, querido jovem irmão, se você vai aceitar a responsabilidade do casamento e da família, certifique-se de ter se equipado com as habilidades necessárias para conseguir um emprego que pague um salário adequado.

Coisas Pequenas, Porém Importantes

Em seguida vêm os “répteis” – humildes criaturas. Apesar de poderem ser insignificantes, é vital que a vida dos répteis seja também demonstrada em um namoro cristão. Existem inúmeros pequenos detalhes e interesses que afetam ambos os parceiros em um namoro – inúmeras maneiras de um parceiro servir ao outro sem perceber. Estas coisinhas são os minúsculos fios de tecido que compõem todo o tecido da vida – fios que eventualmente formam a bela vestimenta de um casamento cristão. O casamento não pode ser sustentado em felicidade apenas por ter muito rebanho. Nem pode prosperar se houver constante estresse pelo medo de não haver rebanho suficiente. Porém, se o emprego do homem e o quanto ele ganha são os únicos interesses verdadeiros existentes em um namoro, algo está terrivelmente fora de equilíbrio, e tempos tristes vêm adiante. Suponha, por exemplo, que antes de se casarem, sempre que Jacó voltava do campo e falava com Raquel sobre seu dia, ela não demonstrasse qualquer interesse em como as ovelhas estavam, ou onde Jacó havia alimentado o rebanho naquele dia, as dificuldades que encontrou, ou o quão cansado ele ficou por trabalhar para ganhá-la. Ou, suponha, que Jacó não demonstrasse nem mesmo o menor interesse no vestuário que Raquel passou o dia costurando, no que aconteceu entre os membros da família enquanto ele estava longe, que comida ela preparou naquele dia, ou em qualquer dos inúmeros detalhes da casa. Obviamente, se essas coisas tivessem sido desse jeito seria difícil acreditar que os sete anos de trabalho duro de Jacó para ganhar o direito de se casar com Raquel pareceram-lhe somente alguns dias pelo amor que ele tinha por ela. Pequenos detalhes, coisas insignificantes – estes devem ser de interesse de cada parceiro em um namoro e no casamento. Seria apropriado que um parceiro não demonstrasse absolutamente nenhum interesse nas pequenas coisas que interessam ao outro, ou não fizesse esforço algum para servir ao outro em silêncio, em vários aspectos que poderiam passar despercebidos? Tal namoro provavelmente não é, verdadeiramente, algo vivo e crescente. Certamente não é um namoro que está pronto para culminar em um casamento. A vida demonstrada pelos “répteis” é vital. “Esta fez o que podia…” (Mc 14:8)

Coisas Grandes e Importantes

A “fera da terra” é a última criatura vivente mencionada antes do homem ser criado. Estas devem também caracterizar um namoro cristão. As feras da terra representam aquelas decisões importantes que terão um impacto duradouro no casamento – decisões sobre estilo de vida, moradia, localização geográfica, emprego, tamanho da família, e muitas outras. Apesar de parecer óbvio que tais decisões tomem parte em um namoro maduro, às vezes um casal jovem pode não dar a atenção apropriada às “feras da terra”. Tristes conflitos podem resultar de um namoro que não possui este sinal de vida. Quão importante é que ambos os parceiros estejam juntamente, em oração, envolvidos em cada grande decisão! Enquanto o homem deve manter o encabeçamento e direção, isto não implica que ele deva ignorar as vontades e desejos da mulher com quem planeja se casar. Ele assume a responsabilidade, toma a liderança, mas sua noiva deve saber confiadamente que seus pensamentos e desejos são amavelmente e seriamente considerados – que ela faz parte de cada decisão importante feita em seu casamento. “O coração do seu marido está nela confiado” (Pv 31:11)

Domínio Sobre as Circunstâncias

A criação está agora completa. O homem é criado – macho e fêmea – e colocado em um belo cenário, o jardim do Éden. Eles estão lá na imagem e semelhança de Deus, para ter domínio sobre tudo o que foi preparado. Assim é com um casal que está culminando seu namoro em casamento. Eles devem possuir domínio sobre, e não ser dominados pelas, circunstâncias de seu romance, casamento e do lar que estão estabelecendo. E à medida que um jovem casal anda no temor de Deus eles encontrarão toda a luz e direção necessária, de modo a desfrutar deste que é o mais abençoado dos relacionamentos naturais instituídos por Deus para o homem. Cada evento que compõe o tecido de um namoro deve ser preparado para e direcionado à “criação” do “macho e fêmea” (a união conjugal). Foi mencionado anteriormente que o namoro não é uma espécie de esporte recreacional! Ele nunca deve ser visto com uma atividade casual – algo que é somente uma parte normal dos anos da juventude e que não precisa ser levado à sério. O namoro é justamente a atividade que conduz a uma união vitalícia – dois se tornando um. Oh! amados jovens leitores, levem esse relacionamento muito à sério! Uma vez unidos em um feliz casamento, o homem e sua esposa, juntos, exercem domínio sobre tudo o que toma lugar em seu domínio. Em Gn 2, Adão e Eva são colocados em um belo jardim (que podemos ver como uma figura da união conjugal) onde a Adão é dada a responsabilidade de “guardá-lo”. A obediência em oração aos princípios de Deus é o caminho no qual vocês exercitarão este domínio e guarda sobre seu namoro e casamento. Rebanho, répteis e as feras do campo, apesar de necessários e corretos, nunca devem exercer domínio e controle sobre um namoro ou casamento cristão – o homem é quem deve ter o domínio sobre toda a criação. “E viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom… E havendo Deus acabado… descansou.” (Gn 1:31, 2:2). Que a cada jovem que leia esta meditação seja dada graça para seguir a Palavra de Deus, aplicando suas instruções e princípios ao maravilhoso e excitante mundo do namoro. Tal caminho trará alegria ao casal cristão e, o mais importante, não entristecerá o coração de Deus, que os uniu. Aquele doce descanso pode ser desfrutado quando as coisas são feitas assim! “Ninguém despreze a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza.” (1Tm 4:12) ​1. A opinião do autor neste ponto não se reflete na do tradutor. Não encontrei a ideia de que este versículo em particular se refira ao marido.

Perguntas Sobre Namoro

Desde a primeira edição deste texto vários jovens (e alguns mais velhos também) fizeram algumas perguntas excelentes no que diz respeito à maravilhosa esfera do namoro cristão. Sumarizei estas questões e espero que elas e as respostas dadas possam ser de benefício e ajuda àqueles interessados no assunto.

Perguntas Sobre Namoro (Parte 1)

“Eu venho realmente orando por um(a) companheiro(a) para a vida. Quero que o Senhor me traga alguém especial, mas Ele não parece estar respondendo a minhas orações. Nada está acontecendo. O que há de errado?” Esteja certo de que algo está acontecendo – o Senhor ouviu suas orações e sabe de seus desejos. No entanto, a fé não tenta pôr um limite de tempo de quando o Senhor reponderá. Ele espera pacientemente e com confiança até que o Senhor se agrade de conceder o seu desejo. No Salmo 37 nos é dito para confiarmos e nos deleitarmos no Senhor, confiar nosso caminho a Ele e então descansar e esperar para que o Senhor nos dê Sua perfeita e amável resposta. Nem sempre é fácil descansar e esperar pelo Senhor, mas fazendo-o estamos honrando a Ele, pois esta é uma prova de sua fé e confiança nEle. Você se lembra do que Adão fez para encontrar uma companheira para a vida dele? Absolutamente nada! Ele somente dormiu – ele estava completamente inativo – enquanto Deus preparou sua companhia. Talvez seja isto que o Senhor está fazendo para você no exato momento em que você pensa que nada está acontecendo. Ele quer que você durma – isto é, deixe tudo com Ele e confie nEle para te trazer a pessoa certa no tempo certo. O Senhor Jesus “tudo faz bem” (Mc 7:37). Ele entende perfeitamente os desejos do seu coração. Além disso, é exatamente durante estes momentos em que nada parece estar acontecendo que o Senhor está trabalhando para formá-lo em um homem de Deus – alguém em quem Ele possa confiar o cuidado e bem-estar de outra dentre Suas preciosas ovelhas como sua companhia para a vida. Mas isto pressupondo que sua vida não está afligindo o coração do Senhor. Nosso Deus é um Pai perfeito, de todo amoroso e de todo sábio. Mas se um filho desobediente pede a Ele alguma coisa, Ele pode não conceder o desejo. Um pai sábio não dá um regalo a uma criança travessa. Veja se sua vida e seus caminhos são totalmente submissos ao Senhor Jesus Cristo.

Perguntas Sobre Namoro (Parte 2)

“Eu conheço um monte de garotas (rapazes) cristã(o)s legais, mas como posso saber qual delas(es), se algum(a) delas(es), é a escolha do Senhor para mim?” Através de sincera e contínua oração e leitura da Palavra de Deus. Em Prov. 4:23 lemos: “Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida.”. Muitas vezes os jovens permitem muito rapidamente que seu coração se torne ligado a outro, antes mesmo de terem procurado a mente do Senhor através da oração e da leitura. Mais tarde, essas relações muitas vezes desmoronam, resultando em dor e corações partidos. Alguém disse muito bem, certa vez, que é importante observar como uma jovem trata seu pai e como um jovem trata sua mãe. Tais ações são um indicador bastante preciso de como eles vão tratar seu cônjuge. “Honra teu pai e tua mãe” (Ef 6:2). Considere também a questão da compatibilidade. Deus faz uma pergunta muito indagadora em Am 3:3 – “Andarão dois juntos se não estiverem de acordo?”. Casar-se com um cristão é, naturalmente, a base fundamental e essencial para um casamento feliz. No entanto, ter práticas semelhantes em relação ao serviço do Senhor, carreira, moradia, família, finanças, e muitas outras coisas, é também fundamental para que dois crentes andem em feliz acordo um com o outro, experimentando o deleite de um alegre e pacífico casamento. Embora enganando Sansão, as palavras de Dalila fornecem um princípio de vital importância: “Como dirás: Tenho-te amor, não estando comigo o teu coração ?” É muito importante que os jovens descubram, antes de entrar em um relacionamento sério, se o coração de seu parceiro está com eles em seus exercícios diante do Senhor. “O simples dá crédito a cada palavra, mas o prudente atenta para os seus passos.” (Pv 14:15)

Perguntas Sobre Namoro (Parte 3)

“Eu realmente me sinto atraído por uma jovem cristã e ando sentindo isto a algum tempo. Mas eu não sei se ela está interessada em mim, e tenho medo de ser rejeitado. Como faço para que ela saiba que eu tenho sentimentos por ela?” “Sejam homens de coragem, sejam fortes.” (1 Co . 16:13). De fato, é algo assustador se aproximar de uma jovem irmã pela qual você tenha desenvolvido sentimentos e contar a ela o que você sente. E o pensamento de ser rejeitado por alguém que tem atraído seu coração pode fazer seus joelhos, que uma vez foram fortes, virarem geleia! Mas Deus te criou como um homem e Ele quer que você aja como tal. Ele lhe dará graça para isso. Como é que um homem age? Ele assume a liderança, ele faz o primeiro movimento para expressar seu interesse por uma jovem. Rute foi aconselhada por sua madrasta sobre Boaz, “Espera, minha filha, até que saibas como irá o caso, porque aquele homem não descansará até que conclua hoje este negócio.” (Rt 3:18). Digo mais uma vez: você é o homem, e a você cai a responsabilidade de iniciar um namoro ao expressar seu interesse por uma irmã. Há, naturalmente, uma infinidade de maneiras de expressar o seu interesse, e o Senhor irá guiá-lo para o caminho certo, por circunstâncias particulares. Não existem regras para isso, apenas a direção de Deus. Gostaria de acrescentar uma coisa. É bom (embora talvez nem sempre possível) que os pais da jovem saibam sobre suas intenções. Nossa sociedade incentiva os jovens, especialmente moças, a serem pensadores independentes e a agir de forma independente. Mas o princípio da independência não é encontrada na Palavra de Deus. Em vez disso, encontramos lá: “na multidão de conselheiros há segurança” (Pv 11:14). Além disso, lemos sobre Jacó que, quando expressou seu amor e desejo de ter Raquel como sua esposa, falou com seu pai primeiro (Gn 29:15). Você ainda sente medo de que seus sentimentos se tornem conhecidos pela garota que você gosta? Você não está agindo como um homem! Você vai precisar da sabedoria de Deus para saber quando e como expressar esses sentimentos, mas mantê-los escondidos não é o que um homem de Deus faz. Além disso, não é justo que a jovem não fique sabendo de seus sentimentos. É claro que ela pode dizer que não está interessada – o Senhor permite que ela tenha uma vontade em relação a um companheiro para sua vida – assim como perguntaram à Rebeca: “Irás tu com este homem?”. Ela poderia ter dito “não, eu não vou”, o que teria marcado o fim do assunto. Essa foi uma decisão dela e, no caso de Rebeca, ela disse, “Eu irei”. Mas o homem (neste caso, o servo de Abraão) fez a pergunta, não a mulher. Seja homem, querido jovem irmão, seja homem!

Perguntas Sobre Namoro (Parte 4)

“E se um rapaz cristão pelo qual tenho sentimentos parece estar interessado em mim mas é muito tímido para dizer ou fazer algo sobre isso? Eu não deveria mandar alguns sinais ou fazer alguma coisa para iniciar um namoro? Afinal, eu quero que ele saiba que estou interessada também.” Parte da minha resposta será a repetição do que foi dito anteriormente. É papel do homem iniciar um namoro com uma mulher, não o inverso. Nosso precioso Salvador e Senhor nos deixou um exemplo perfeito a seguir em Efésios 5:25: “Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela”. O Senhor Jesus veio procurar o perdido, Ele foi quem iniciou a obra e esforço que resultou em crentes sendo unidos a Ele para sempre, membros de Seu corpo e de Sua noiva. Foi o Senhor Jesus que profeticamente respondeu em Is 6:8: “A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Então disse eu: Eis-me aqui, envia-me a mim.” Em 1Tm 2:9-15 e 1 Pe 3:1-6, as mulheres são ensinadas a terem um espírito modesto e calmo, não fazendo ou vestindo coisas que façam dela um objeto de atenção. A submissão e a modéstia de espírito são raras qualidades nas mulheres hoje em dia, mas devem ser mostradas na vida de cada mulher cristã. É realmente fora do caráter de uma mulher de Deus tomar a liderança, especialmente na esfera do namoro. Em Provérbios é a mulher estranha (uma mulher moralmente corrupta) que inicia um relacionamento com um jovem com as lisonjas de seus lábios. O caráter dessa mulher imoral é “tomar as iniciativas” em um relacionamento, ato que é comum e prevalente no atual mundo Ocidental. Mas tal modo de vida e perversidade nunca deveria caracterizar uma mulher cristã. Certamente, não há nada de errado em falar com ele sem provocá-lo, retornando um sorriso ou gesto amigável sem flertar. O Senhor sempre dará sabedoria para sua conduta. Mas não é seu papel “tomar iniciativas” se você deseja manter sua dignidade e lugar apropriado como uma mulher de Deus. E, bem francamente, se o jovem age como se estivesse interessado mas não parece querer iniciar um namoro, talvez ele não esteja tão interessado quanto você pensa, ou não é maduro o suficiente para estar em um relacionamento sério. “Espera no Senhor, anima-te, e ele fortalecerá o teu coração; espera, pois, no Senhor.” (Sl 27:14)

Perguntas Sobre Namoro (Parte 5)

“Eu não vejo por que namorar várias garotas (ou rapazes) cristã(o)s diferentes antes de conseguir algo sério seja errado. De que outro modo posso descobrir quem é realmente a pessoa certa para mim?” Tal pensamento está de acordo com a sabedoria do mundo, mas não com a sabedoria de Deus. Pode parecer algo natural e sábio analisar os preços de várias lojas antes de tomar uma decisão. Mas uma irmã não é um carro, nem um móvel, nem um computador. A ideia de “comparação de preços” para um companheiro para a vida não tem fundamento bíblico. Uma irmã deve ser tratada em toda pureza como um vaso mais fraco. O namoro casual e recreacional pode facilmente tirar vantagem de seus carinhosos sentimentos e é, na sua raiz, algo muito egoísta. Isso satisfaz apenas um desejo superficial por meio um relacionamento que deveria ser iniciado com sobriedade e no temor de Deus. O pior de tudo: tais namoros desconsideram a importância da fé no Senhor e da oração para que Ele te guie à pessoa certa. Entrar sobriamente em um relacionamento com uma irmã com a consciência de que ela possa se tornar sua companheira para a vida é muito diferente de namorar uma irmã para que você tenha o que fazer na sexta-feira à noite. Não mexa com os sentimentos delicados e facilmente arrasados de uma jovem irmã se você não possui intenções sérias. (Se você é uma irmã, não aceite namorar com um rapaz que você não poderia jamais imaginar como um potencial companheiro para a vida). É possível que, em um relacionamento sério, os parceiros percebam que sua amizade não parece estar destinada a se desenvolver em um compromisso vitalício. Estando em oração, cuidadosos e completamente honestos um com o outro é o caminho seguro, e guardará seus corações de serem devastados. Prov. 6:1-51 nos dá excelentes instruções e princípios sobre como lidar sóbria e cuidadosamente com um relacionamento que não está indo para a frente. Acima de tudo, não “faça as compras” por aí ao lidar com as afeições do coração de um outro cristão. Meninas, vocês podem quebrar o coração de um jovem irmão também. Sejam cuidadosos!

Perguntas Sobre Namoro (Parte 6)

“Há algo errado em namorar com um rapaz cristão pelo qual tenho sentimentos, mesmo que nenhum de nós esteja pronto para um relacionamento sério? Não podemos apenas namorar como bons amigos até que saibamos que estamos prontos para algo sério?” Eu acredito que namoro seja somente para aqueles que estejam sérios em seus sentimentos pelo outro. Prov. 24:27 nos instrui a “preparar de fora a tua obra, e aparelhá-la no campo, e então edificar a tua casa.”. Está claro, pelo princípio encontrado aqui, que o namoro vem depois de haver capacidade e desejo de iniciar e manter um relacionamento sério. Se você não se sente pronto para algo sério, ou se o cara que você gosta não está pronto para um relacionamento sério, isto provavelmente levará a um namoro arruinado e infeliz, deixando um ou ambos de vocês com o coração partido. Lucas 14:28-32 nos fornece um importante princípio sobre fazer as contas antes de começar um projeto para verificar se ele pode ou não ser completado com sucesso. Eu te exorto a, primeiramente, sentar, antes de namorar um rapaz pelo qual você sente algo, e considerar, em oração, se o Senhor está te guiando a um relacionamento que pode ser sustentado. Se você não tem paz sobre a questão de um namoro sério poder ser sustentado, ou se você apenas não tem certeza, então é melhor não começar a construir algo que você não pode ter certeza de que ficará completo. Não estou dizendo que você não pode manter uma amizade com um rapaz que você gosta. Vocês podem certamente conversar um com o outro, compartilhar seus exercícios espirituais e buscar encorajar um ao outro no Senhor. Esse tipo de coisas tende a mostrar se há possibilidade ou não de um relacionamento sério.

Perguntas Sobre Namoro (Parte 7)

“O que há de errado em apenas ter uma boa amizade com uma garota (ou rapaz) sem nenhum interesse em se tornar envolvido romanticamente? Bons amigos podem realmente ajudar um ao outro através de algumas provas da vida cristã, não podem?” Eu penso que é muito difícil e moralmente perigoso para um homem e uma mulher serem apenas “bons amigos” sem pensamentos de envolvimento romântico. Tal princípio é apresentado bem claramente no livro de Rute. Em Rt 2:8, Boaz fala para ela permanecer junto às moças. Apesar de estar em um lugar onde ela poderia facilmente se misturar e formar amizades com os homens, Boaz a alertou a ficar com suas moças. Além disso, Boaz adverte seus jovens a não tocar em Rute, mostrando que, quando homens e mulheres formam amizades um com o outro, sentimentos românticos e intimidades são muito propensos a se desenvolverem. Rute não parece entender a importância do que Boaz disse a ela depois, pois ao conversar com sua sogra, Noemi, ela diz: “Também ainda [Boaz] me disse: Com os moços que tenho te ajuntarás, até que acabem toda a sega que tenho.” (Rt 2:21). Noemi imediatamente percebe o erro de Rute e sabiamente diz: “Melhor é, filha minha, que saias com as suas moças” (Rt 2:22). Isto não significa que os jovens não podem ser amigáveis um com o outro, mas que se tornar um amigo chegado sugere algo mais profundo, um relacionamento mais íntimo do que a mera amizade. Lemos que “o óleo e o perfume alegram o coração; assim o faz a doçura do amigo pelo conselho cordial”(Pv 27:9). Uma amizade íntima tal como esta não seria apropriada entre um homem e uma mulher que não estão romanticamente interessados um pelo outro. O amigo mais chegado do Rei Davi provavelmente foi Jônatas, mas há outros dois que são também mencionados como sendo seus amigos – Husai e Natã, ambos homens. A Palavra de Deus é estranhamente silenciosa sobre homens e mulheres que não estão romanticamente envolvidos um com o outro sendo amigos chegados. Além disso, no Novo Testamento o Apóstolo Paulo alerta Timóteo (um jovem) que, quanto ao trato às moças, ele deveria olhar para elas como irmãs em Cristo (não como amigas chegadas) e falar com elas em toda a pureza (1Tm 5:2). O mundo no qual vivemos desenvolveu uma atitude muito casual sobre relacionamentos entre homens e mulheres. As linhas de separação em tais relacionamentos, que são claramente encontradas nas Escrituras, vêm sendo ofuscadas graças, em grande parte, à indústria de entretenimento e mídia. Ao mesmo tempo, a infidelidade conjugal, o divórcio e a completa imoralidade corre crescente e desenfreada. Eu gostaria de, sinceramente, pedir que você, voluntária ou casualmente, não arranje amizades próximas com membros do sexo oposto. Perceba, também, que ser excessivamente amigável com um rapaz ou uma moça acaba por enviar sinais errados. Você pode até não pretender, com tais amizades, nada além de serem apenas bons amigos, mas o outro pode entender sua simpatia e confidência como um desejo por um relacionamento romântico. O fim de tal situação é o coração machucado de um de vocês, ou de ambos. Imagine esta terrível situação: começar um namoro com uma pessoa pela qual seu coração se sente atraído e descobrir que ela é uma amiga muito chegada de um outro cara (ou garota). Como você se sentiria sabendo que o cara pelo qual você se apaixonou tem uma amiga muito chegada com a qual ele também conversa, e que também é uma garota? Deus não é o autor da confusão e tal situação é baseada em confusão moral e emocional, mesmo que não haja nenhum pecado moral envolvido nesse relacionamento. Um princípio muito importante é encontrado em Gn 7:2: “… o macho e sua fêmea”. Deus providenciou uma companheira para o macho – sua fêmea – mas não há nenhum abono para “o macho, sua fêmea e sua amiga fêmea”.

Perguntas Sobre Namoro (Parte 8)

“Eu conheço um certo rapaz (ou garota) cristão legal que está interessado em mim, mas eu não sinto nada por ele (ela). Será que o Senhor espera que eu me case com alguém pelo qual não tenho sentimentos só porque ele é cristão e está interessado em mim?” Não. Ele permite que você tenha uma vontade própria nesse assinto. Perguntaram a Rebeca “Irás tu com este homem?” – ela não foi obrigada, como se dissessem “Irás com este homem!”(Gn 24:58). O mesmo princípio é encontrado em 1 Co 7, onde é permitido a uma viúva ou viúvo cristão casar-se de novo – ele/ela tem a liberdade de se casar com quem deseja, desde que seja no Senhor (1 Co 7:39). O Senhor que criou cada um de nós sabe que temos personalidades únicas que responderão de diferentes maneiras a diferentes pessoas. Ele não nos fez todos iguais. O princípio é encontrado em 1 Co 15:38, onde lemos que “Deus dá-lhe o corpo como quer, e a cada semente o seu próprio corpo”. Assim, em graça, o Senhor permite um certo arbítrio quando se trata de uma companhia para a vida, apenas alertando que sua escolha deve ser no Senhor – isto é, deve ser um cristão compatível com exercícios e desejos pelo Senhor similares.

Perguntas Sobre Namoro (Parte 9)

“Eu já tentei de todas as maneiras fazer com que um cara (ou garota) cristã(o) perceba que eu não tenho sentimentos por ele(a) e que não estou interessada(o) em um relacionamento, mas ele(a) não desiste. E agora?” Antes de qualquer coisa, certifique-se de que você está enviando sinais claros e inequívocos de que você não está interessada em um relacionamento romântico. E procure não conversar, mesmo que de maneira amigável, com alguém que tem uma queda por você. Às vezes gostamos que os outros sintam isso por nós, mesmo que nós não tenhamos a intenção de se envolver romanticamente. Peça ao Senhor que te ajude a julgar suas ações que podem estar enviando mensagens erradas para aquele que está interessado em você. Caso, ainda assim, o cara não aceite um “não” como resposta, você precisa procurar seus pais e/ou irmãos para te ajudarem. Lemos que “na multidão de conselhos há segurança” (Pv 11:14). Também somos lembrados que “em todo o tempo ama o amigo e para a hora da angústia nasce o irmão” (Pv 17:17). Confie em seus pais e em seus irmãos e busque o conselho piedoso e a ajuda. Se uma garota não aceitar “não” por resposta você pode considerar falar com os pais dela para se certificar de que eles entendem que você não quer ferir o coração de sua filha, mas que você não tem sentimentos por ela. E, acima de tudo, em todos os seus pensamentos, aproxime-se do Senhor Jesus para obter sabedoria. Ele não vai te desapontar, mas quer de você completa obediência e confiança. Não lide com tal situação em um espírito de frustração ou raiva. “A resposta branda desvia o furor” (Pv 15:1). “E ao servo do Senhor não convém contender, mas sim, ser manso para com todos” (2Tm 2:24). Lembre-se que aquele a quem você está dizendo “não” pertence a Cristo e é infinitamente precioso para Ele. A maneira que você trata essa pessoa importa muito, não apenas para ela, mas também para seu precioso Salvador. Seja delicada(o)!

Perguntas Sobre Namoro (Parte 10)

“Há realmente alguma orientação clara na Bíblia quanto ao modo que devo agir com minha/meu namorada(o)? Quais são os limites aceitáveis que Deus estabelece para o contato físico antes do casamento?” Claro que existem. E embora a Bíblia não seja um manual de “como fazer isso” para o romance, ela é cheia de princípios que o Espírito de Deus aplicará se você e seu parceiro(a) buscarem andar em submissão e obediência à Sua Palavra. O romance é muito emocionante – de forma apropriada – pois os mais profundos sentimentos e paixões do coração são tocados e exercitados um para com o outro em um namoro sério. Por causa disso ambos precisarão muito estar diante do Senhor – tanto individualmente quando juntos – para procurar Sua ajuda e sabedoria para sua conduta romântica. Por exemplo, torne um hábito orar antes de sair para namorar. Ore pela ajuda do Senhor para que suas condutas de um para com o outro Lhe sejam agradáveis, acima de qualquer reprovação, e para que vocês tratem um ao outro com toda a pureza. Há intimidades físicas desfrutadas entre um homem e uma mulher que fazem parte da maravilha e beleza da união matrimonial. Pv 5:18,19 é apenas uma das passagens que encorajam tais gozos da intimidade física dentro do casamento. O livro de Cantares de Salomão é outra bela série sobre o mais profundo tipo de expressões românticas de amor entre um marido e uma esposa. Mas tais alegrias, claramente, não devem ser experimentadas fora do vínculo matrimonial. Portanto, você nunca precisará da sabedoria do Senhor para os tipos de conduta física que são apropriados dentro de seu namoro antes do casamento. Em Pv 30:18,19, quatro coisas são mencionadas que são maravilhosas demais para se compreender completamente. Uma delas refere-se aos modos de um homem com uma moça.Isto sugere aos nossos corações que, enquanto o Senhor fornece toda a sabedoria e graça necessária para um namoro feliz e emocionante, o contato físico no namoro é um assunto muito pessoal e muito privado entre um homem e uma mulher – uma questão de exercício pessoal diante somente de Deus. É claro que a Palavra de Deus é muito clara quanto a certos tipos de conduta. A intimidade sexual antes do casamento é fornicação – algo que Deus chama de pecado. No entanto, o mesmo ato, quando dentro de uma união matrimonial, faz parte da alegria natural com a qual Deus abençoou a esfera do casamento. A Palavra de Deus também deixa muito claro que qualquer contato físico – um toque – entre um homem e uma mulher não casados deveria ser evitado. Em 1 Co 7:1, onde Paulo diz: “bom seria que o homem não tocasse em mulher”, o sentido no original grego é de não tocar em uma mulher de modo a acender o fogo da paixão. No entanto, o versículo não proíbe, por exemplo, que um homem e uma mulher não casados se cumprimentem com um aperto de mão. Mas claramente proíbe qualquer tipo de contato físico que possa provocar paixões e desejos impuros entre eles. O Apóstolo Paulo nos fala em 1Ts 5:22 para “nos abstermos (”evitar“) de toda a aparência do mal”. Esta simples instrução, se aplicada a uma consciência sensível e um desejo de honrar ao Senhor em todos os aspectos de seu namoro, irá guardá-los de cair em algum tipo de conduta que possa levar ao pecado, à infelicidade e a corações partidos. Lembrem-se, a pureza de conduta em seu namoro é imprescindível. “Ninguém despreze a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza.” (1Tm 4:12) L. D. N., 2002