COBERTURA PARA A CABEÇA

INTRODUÇÃO

O adversário de Deus e do homem – Satanás – tem sido por demais bem sucedido nos últimos cem anos em obscurecer a distinção dada por Deus entre o masculino e o feminino. A distinção de seus diferentes papéis, da aparência exterior e de um comportamento decente para o homem e a mulher na esfera Cristã está quase que totalmente perdida. Infelizmente o inimigo tem sido bem sucedido em minar a Palavra de Deus no meio da Igreja professa: porções da doutrina de Paulo são agora negadas publicamente. Parte dessa doutrina tem a ver com o uso bíblico das coberturas para a cabeça durante o período da Igreja, e o abandono do uso dessa cobertura costuma ser a primeira manifestação exterior do fato de que a doutrina de Paulo está, na verdade, sendo deixada de lado.

“E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.” (At 2:42). Isto é o que todo Cristão sincero deveria querer fazer. Este livreto foi escrito porque:

  1. Necessitamos entender e apreciar o propósito de Deus em estabelecer a ordem singular que existe em Sua criação.
  2. Precisamos entender Seu propósito em usar as coberturas para a cabeça durante a era Cristã.
  3. Somos responsáveis por manter a ordem indicada por Deus em meio a toda a confusão que existe hoje no mundo e na Igreja.

Que o Senhor, em Sua graça, possa usar este livreto para nosso auxílio nestes últimos dias, para permanecermos firmes neste pouco tempo que falta até que ele venha para nos receber a Si mesmo.

 

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O USO DE COBERTURAS PARA A CABEÇA

 

1) A prática de se usar coberturas para a cabeça é aplicável à Igreja nos dias de hoje? Ou é apenas uma antiga prática cultural da época em que os coríntios viveram?

 

Quando o apóstolo Paulo escreveu à igreja em Corinto instruindo a respeito das coberturas para a cabeça, ele determinou enfaticamente que suas instruções não eram apenas para aquela assembleia de crentes, mas para “todos os que em todo o lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo” (1 Cor 1:2). Portanto não temos qualquer autoridade para afirmar que as coberturas para a cabeça fossem apenas para a época quando o apóstolo escreveu sua epístola aos Coríntios.

 

Deus inspirou a Paulo para que escrevesse essas coisas em Sua Palavra (as Escrituras) de modo que a Igreja tivesse um manual divino durante o seu tempo na Terra. Se dissermos que esta passagem a respeito das coberturas para a cabeça não é aplicável e não deveria ser observada pela Igreja em nossos dias, alguém poderia usar da mesma premissa para deixar de lado também outras partes da epístola! Todavia, não temos qualquer autoridade para pinçar e escolher quais partes das Escrituras estamos querendo obedecer para colocá-las em prática. É algo perigoso começar a deixar de lado certas passagens do Novo Testamento por elas não se adequarem a nós; esta é com certeza a obra do inimigo para minar a verdade e sua prática.

2) Qual o propósito de uma mulher usar uma cobertura para a cabeça?

 

Trata-se de uma demonstração dos princípios envolvidos na confissão Cristã.

 

Descobrir a cabeça dos irmãos e cobrir a cabeça das irmãs é uma demonstração prática dos princípios envolvidos na confissão Cristã. Em 1 Coríntios 11 o apóstolo explica que, no Cristianismo, a cabeça do homem representa Cristo. Ele diz: “Quero que saibais que Cristo é a cabeça de todo o homem, e o homem a cabeça da mulher; e Deus a cabeça de Cristo.” (1 Cor 11:3). Considerando que é assim, os irmãos devem descobrir a cabeça quando estiverem envolvidos em atividades divinas, isto é, quando o homem “ora ou profetiza”. Ao fazerem assim os irmãos estão reconhecendo que toda a glória pertence a Cristo. Ele disse: “O homem, pois, não deve cobrir a cabeça, porque é a imagem e glória de Deus” (1 Cor 11:7). Este ato glorifica a Cristo e é isto que deve ser levado em consideração.

 

Semelhantemente, no Cristianismo a mulher representa a glória do homem. Ele diz: “A mulher é a glória do homem. porque o homem não provém da mulher, mas a mulher do homem. Porque também o homem não foi criado por causa da mulher, mas a mulher por causa do homem. Portanto, a mulher deve ter sobre a cabeça sinal de poderio (ou autoridade)” (1 Cor 11:7-10). O cabelo da mulher representa a glória natural do primeiro homem. Sendo assim, o cabelo da mulher deveria estar coberto quando ela estivesse envolvida em alguma atividade espiritual. Quando as irmãs usam uma cobertura para a cabeça elas estão declarando o fato de que não reconhecem o primeiro homem como tendo qualquer lugar no Cristianismo (Filipenses 3:3; Colossenses 2:11-12). Isto deveria ser visto como um maravilhoso privilégio e não simplesmente como uma obrigação. Quando uma irmã entende os princípios envolvidos nisso, ela ficará feliz por trazer esse sinal sobre sua cabeça.

 

3) O uso de uma cobertura para a cabeça torna a mulher mais santa ou melhora sua vida de oração?

 

O uso da cobertura para a cabeça não colocará a mulher em comunhão com Deus. Ela não experimentará qualquer sensação especial por usar uma cobertura. O objetivo não é levá-la espiritualmente mais perto de Deus. Na verdade, é possível que uma irmã esteja usando a cobertura para a cabeça apenas como obrigação e ao mesmo tempo estar bem longe de uma comunhão com o Senhor. Todavia, se ela usá-la, isto será para ela algo como o batismo, dando-lhe a “indagação de uma boa consciência para com Deus” (1 Ped 3:21), mas não será isto que irá fazê-la experimentar uma comunhão mais elevada com Deus.

 

4) Já que a Bíblia diz que o cabelo da mulher é uma cobertura, por que insistir numa cobertura artificial?

 

Existem duas palavras usadas para “cobertura” em 1 Coríntios 11 que ajudam a esclarecer este ponto mal-entendido. O Espírito de Deus usou propositadamente duas palavras diferentes no idioma original (grego) para fazer distinção entre as duas coberturas. A palavra original no texto para “cobertura” nos versículos 4 ao 6 é “katakalupo”, que indica uma cobertura artificial para o cabelo, como um chapéu, um lenço ou um véu. Outra palavra usada no texto original do versículo 15 é “peribolaiou”, que descreve o cabelo natural de alguém adornando sua cabeça. Na linguagem moderna isto seria como um estilo de cabelo ou penteado. Neste sentido o cabelo da mulher é um véu (ou cobertura) de sua glória e beleza naturais.

 

A cobertura natural da cabeça

 

A cobertura natural da cabeça da mulher – seu longo cabelo – é dada a ela “como um véu” (1 Cor 11:15 – vers. J.N.Darby). Se ela não possui um cabelo longo, então ela não possui o véu natural de ornamento dado por Deus. O fato de que seu cabelo deveria ser “longo”, se possível, fala de submissão. Trata-se de um sinal exterior de aceitação de seu lugar de sujeição.

 

A cobertura artificial para a cabeça

 

Deus declarou que a glória e beleza naturais do primeiro Adão devem ser cobertas para que não sejam exibidas diante dEle quando é feita oração (quando o sacerdócio é exercitado) ou quando ocorre profecia (quando Sua Palavra é ministrada). Considerando que o cabelo da mulher representa a glória e beleza naturais do ser humano, seu cabelo (ou sua “cobertura natural para a cabeça”) deveria estar coberta com uma “cobertura artificial para a cabeça” sempre que ela estivesse orando ou profetizando. Apenas a glória do segundo Homem, o último Adão, deve ser exibida na presença de Deus (1 Cor 15:45-47).

 

5) As coberturas para a cabeça devem ser usadas apenas nas reuniões da assembleia?

 

A passagem das Escrituras em 1 Coríntios 11:3-16 não é uma instrução específica para a conduta na reunião da assembleia, embora a instrução também se aplique às reuniões. O apóstolo começa sua instrução para as questões relacionadas à assembleia no versículo 17, e podemos identificar isso quando ele usa a expressão: “Quando vos reunis” (1 Cor 11:17, 18, 20, 33). Estas instruções de 1 Coríntios 11:3-16 ocorrem antes do versículo 17 de 1 Coríntios 14 e, portanto, têm uma aplicação ampla que inclui todas as esferas em que a oração e a profecia ocorrem, seja na assembleia ou em outro lugar.

 

6) Defina o que seja uma mulher orando, conforme citado em 1 Coríntios 11:3-16.

 

Alguns, desejosos de deixar de lado o uso da cobertura para a cabeça, irão nos dizer que se uma mulher estiver numa reunião bíblica e não participar de forma audível, não haverá necessidade de usar uma cobertura para a cabeça, pois ela não estará orando e nem profetizando. Todavia isto é não entender o que o Apóstolo está dizendo. Ele usa oração aqui para representar a esfera do sacerdócio e profetizar para representar a esfera do ministério da Palavra. Como já foi mencionado, sempre que uma mulher se encontrar em uma dessas esferas ou em ambas, ela deve ter a sua cabeça coberta.

 

7) Defina o que seja o profetizar conforme citado em 1 Coríntios 11:3-16.

 

Aqueles que gostariam de deixar de lado a cobertura para a cabeça também iriam reduzir o profetizar a uma função bastante específica de se revelar os pensamentos de Deus para algum momento ou questão em particular. Apesar de isto também ser correto, profetizar é um termo que nada tem de limitado em sua abrangência. Trata-se de uma palavra de aplicação e sentido amplos, como indica 1 Coríntios 14:3: “O que profetiza fala aos homens, para edificação, exortação e consolação”. Profetizar pode assumir o caráter de qualquer uma destas três coisas:

 

  • Edificação” é promover o crescimento dos santos em sua “santíssima fé (Jud 20). Se os santos estiverem deficientes em algum ponto doutrinário na fé Cristã, este tipo de ministério irá atender essa necessidade. É algo que serve para nosso entendimento.
  • Exortação” é motivar os santos em um determinado aspecto da prática Cristã. Se os santos estiverem precisando de motivação em alguma área prática de suas vidas, este é o tipo de profecia que irá atender suas necessidades (Ageu 1:13-14). A exortação serve para nossas consciências.
  • Consolação” é animar os santos. Trata-se de um ministério de encorajamento dos santos para que sigam adiante em sua carreira de fé.

Este aspecto do profetizar serve para nossos corações (Rute 2:13).

 

Portanto, a “edificação” promove o crescimento dos santos, a “exortação” os motiva e a “consolação” os anima. (Veja as três coisas ilustradas em Atos 14:22). Mesmo que uma irmã não esteja profetizando, ela continua na esfera onde o ministério está sendo praticado, e por isso deveria ter sua cabeça coberta.

 

8) A cobertura para a cabeça deveria ser usada por uma irmã em sua leitura e estudo das Escrituras quando está sozinha? Ali ela não está orando ou profetizando.

 

Quando lemos as Sagradas Escrituras o Espírito de Deus aplica aquilo que estamos lendo aos nossos corações e consciências, e, desde modo, Deus fala conosco. Portanto, algo nos está sendo ministrado, quer estejamos sozinhos na presença de Deus, quer estejamos na companhia de outros crentes. Além disso, quando lemos as Escrituras, devemos fazer isso em atitude de oração, e, portanto, estamos na esfera do sacerdócio. Por isso quando uma irmã lê a sua Bíblia sozinha na presença de Deus, ela está atuando no âmbito das coisas espirituais e deve reconhecer que o primeiro homem não tem lugar nessas coisas. Ela deveria ficar feliz por usar uma cobertura para a cabeça para demonstrar este fato, existam ou não outras pessoas ao seu redor.

 

Além do mais, o Apóstolo diz: “…por causa dos anjos” (1 Cor 11:10). Os anjos estão observando sua leitura e oração, seja isso feito em privado ou na assembleia. Deus estabeleceu uma certa ordem no Cristianismo, e os homens e mulheres Cristãos não devem negligenciar esta ordem, mas sim lembrar que eles próprios são um espetáculo divinamente estabelecido. Os anjos estão aprendendo “a multiforme sabedoria de Deus” no modo como Deus age entre os Cristãos na Terra (1 Cor 4:9; Ef 3:10).

 

9) É necessário uma irmã usar uma cobertura para a cabeça quando alguém dá graças por uma refeição? Ela não está particularmente orando em voz alta, mas é outro que está dando graças.

 

Quando alguém publicamente dá graças por uma refeição, essa pessoa está sendo o porta-voz da oração daqueles que estão ali juntos, sejam homens ou mulheres. É por isso que quando aquele que está orando dirige-se ao Senhor, ele diz “Nós” ao invés de “Eu”. Considerando que a oração está sendo feita por todos os que estão à mesa, trata-se de uma boa e divina ordem que uma irmã cubra a glória do primeiro Adão quando alguém estiver se dirigindo ao Senhor. Quando a irmã acrescenta seu silencioso “Amém” à oração de ação de graças, ela está reconhecendo que a oração foi oferecida também por ela, e que ela participa de seus sentimentos (1 Cor 14:15-16).

 

Além disso, quando uma irmã se encontra só e inclina sua cabeça para dar graças, ela deve cobrir sua cabeça porque os anjos a estão observando (1 Cor 11:10). Isso irá dar um testemunho fiel e adequado aos anjos que estão aprendendo a multiforme sabedoria de Deus por aquilo que eles observam na Igreja (Efésios 3:10).

 

10) Uma irmã deveria usar uma cobertura para a cabeça quando lê e ora com seus filhos antes de dormir?

 

Não se trata da “letra da lei” que o Espírito de Deus está comunicando aos santos em 1 Coríntios 11, mas sim o “princípio” que Ele deseja que compreendamos e apreciemos. A leitura que uma mãe faz da Palavra de Deus e a explicação que dá de uma passagem das Escrituras para seus filhos, orando depois com eles, é uma experiência maravilhosa de Cristianismo. Trata-se de uma maravilhosa ocasião de exibir a ordem definida por Deus que Ele gostaria que existisse no lar Cristão. Ela está orando e profetizando. Quão abençoado seria se seus pequeninos filhos e filhas aprendessem a ordem adequada de autoridade e senhorio no Cristianismo quando seus pais estão ao lado deles na hora de dormir! Muita da confusão existente hoje no Cristianismo teria sido evitada se os pais fossem simplesmente mais fiéis neste sentido.

 

11) Uma irmã deveria usar uma cobertura para a cabeça em casamentos, funerais ou outros momentos sociais entre Cristãos?

 

Esta questão costuma ser levantada quanto ao adorno adequado às irmãs em casamentos, funerais, escola dominical, piqueniques e quando os irmãos se reúnem para cantar hinos – apenas para mencionar algumas das situações das quais participamos no curso normal da vida Cristã.

 

Acaso nesses eventos está sendo elevada ao Senhor oração pública ou privada? A Palavra de Deus está sendo lida e usada para “edificação, exortação e consolação” (1 Co 14:3)? Cânticos espirituais estão sendo cantados (Col 3:16)? Se assim for, então as irmãs devem ter a cabeça coberta. Se existirem incrédulos presentes, isso será um testemunho a eles de que a ordem definida por Deus está sendo praticada em um mundo em desordem. Se uma cobertura para a cabeça for usada por amor ao Senhor, e em obediência à Sua Palavra, talvez ocorram reprovações da parte daqueles que não apreciam a ordem de Deus nestas questões, todavia, o Senhor irá recompensar uma irmã fiel abundantemente (João 14:21-23; 1 Pedro 3:14-17;1 Pedro 4:14).

 

Uma irmã deveria usar uma cobertura para a cabeça durante eventos Cristãos como cântico de hinos, pois a Palavra de Deus claramente nos diz que quando estamos cantando na companhia de outros crentes estamos “ensinando e admoestando uns aos outros com salmos, hinos e cânticos espirituais” (Col 3:16). As esferas tanto de sacerdócio como de ministério estão envolvidas no cântico espiritual. Os “Hinos” são dirigidos às Pessoas divinas, o que é o exercício do sacerdócio. Os “Salmos” e “Cânticos Espirituais” irão nos instruir em diversos aspectos da verdade de Deus, e portanto estarão profetizando aos nossos corações e consciências. Existe, ou ao menos deveria existir, uma profundidade e dimensão espirituais em nossos cânticos ao ponto de, quando cantamos, estarmos “ensinando e admoestando uns aos outros”.

 

12) Já que a oração e profecia possuem uma aplicação ampla, será que uma mulher Cristã que tem tal exercício deveria usar uma cobertura para a cabeça o tempo todo?

 

As Escrituras dizem: “obedecei em tudo… mas em simplicidade de coração” (Col 3:22). Em nenhum lugar das Escrituras encontramos o apóstolo dando uma lista do que “devemos fazer” e “não devemos fazer” no que diz respeito à cobertura para a cabeça, pois o Cristianismo é caracterizado pela inteligência com a qual fazemos aquilo que devemos fazer. Nem sempre foi assim no Antigo Testamento (1 Ped 1:10-11). Deus tem um propósito maravilhoso em Suas instruções relacionadas à cobertura para a cabeça, e os Cristãos têm o privilégio e a responsabilidade de entender e colocar essa verdade em prática. O Senhor está buscando por um exercício de alma em cada um de nós no que diz respeito a Suas instruções, e anseia por uma resposta obediente de corações que O amam.

 

Para cada irmã a resposta do coração irá ser diferente. Se uma irmã anda em um estado de contínua oração e está exercitada quanto ao que deve ser “a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” (Rom 12:2), neste caso ela pode muito bem decidir usar uma cobertura para a cabeça o dia todo. Trata-se de uma questão de consciência individual, e não podemos estabelecer regras neste sentido. As Escrituras nos apresentam o assunto e o Senhor deseja que nossos corações e consciências correspondam a ele.

 

Robert Boulard 2008

Tradução: Mario Persona 2016

pdf-download epub-download mobi-download

Veja Também:

Author: Acervo Digital Cristão

Share This Post On