Diário do Cristão para a Sexta-Feira

Pergunta: Você pode me dar alguns versículos ou pensamentos da Bíblia que mostram que jogos de azar é errado? Alguns de meus amigos cristãos me dizem que é inofensivo e que não devo dar muita importância a isso.

Resposta: O primeiro versículo que vem à mente é o aviso do Rei Salomão. “O que quer enriquecer depressa é homem de olho maligno, porém não sabe que a pobreza há de vir sobre ele” (Provérbios 28:22). Conheço pessoas que ganharam na loteria ou grandes somas de dinheiro por meio de jogos de azar e não conseguiram lidar com isso. No final, eles ficam pior do que antes, muitas vezes por desperdício ou má administração.

Aqui está outro versículo: “Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína” (1 Timóteo 6:9). O jogo muitas vezes nos leva à associação com o que é pecaminoso e contaminador, e com o que pode estragar nosso testemunho cristão. Isso também pode acontecer quando uma pessoa de repente ganha muito dinheiro. A Bíblia nos ensina que devemos ganhar a vida trabalhando e “procurar as coisas honestas, perante todos os homens” (Romanos 12:17). Deus nunca incentiva a preguiça em nenhum aspecto da vida.

Jim Hyland

Conforto das Escrituras para a Sexta-Feira

“Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus” [1]

Nosso versículo não diz para mantermos Deus nos amando. Nada pode mudar ou alterar o glorioso fato de que Ele nos ama. Ele nos diz: “Porquanto com amor eterno te amei, por isso com benignidade te atraí” [2]. “Nisto está o amor, não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou a nós, e enviou seu Filho para propiciação pelos nossos pecados” [3]. Nosso versículo também não nos diz que devemos amar a Deus, embora certamente “nós o amamos a ele porque ele nos amou primeiro” [4]. Mas nosso versículo diz que devemos “conservar-nos a nós mesmos no amor de Deus” [1]. Devemos nos conservar na condição espiritual que permite que o amor de Deus trabalhe em nossa vida e nos permita desfrutar desse amor. Nosso Senhor disse: “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele… Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele, e faremos nele morada” [5, 6]. Assim somos chamados a “sair do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor… e eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, Diz o Senhor Todo-Poderoso” [7]. Então “conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus” [1], lembrando-se que Seu “amor é forte como a morte” [8].

Mantenha-se no lugar de bênção;
Conserve-se no amor de Deus;
Sua vida se encherá da bondade,
Enviada de nosso Pai celestial.

[1] Judas 21; [2] Jeremias 31:3; [3] 1 João 4:10; [4] 1 João 4:19; [5] João 14:21; [6] João 14:23; [7] 2 Coríntios 6:17‑18; [8] Cantares de Salomão 8:6

Diário do Cristão para a Quinta-Feira

Conhecê-Lo

“Para conhecê-lo” (Filipenses 3:10).

Este era todo o desejo e propósito do apóstolo Paulo. Tudo o mais ele considerava sem valor. No início do capítulo, ele disse: “E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como escória, para que possa ganhar a Cristo” (versículo 8). Alguém disse bem que o crente é forte ou fraco dependendo de quão intimamente ele cultivou o conhecimento de Deus em uma experiência e relacionamento pessoal crescente com Ele.

Como isso é verdade! Lembre-se, nosso inimigo, Satanás, deseja nos manter ocupados com todo tipo de atividade e distração, para que não desenvolvamos esse tipo de relacionamento. No meio da prova de Jó, seu amigo Elifaz, o temanita, disse: “Apega-te, pois, a ele” (Jó 22:21).

Quão apegado você está ao Senhor? Não estou perguntando o quanto você sabe sobre Ele, mas o quanto você O conhece. Para realmente conhecer uma pessoa, você deve caminhar na companhia dela. Para desenvolver um relacionamento significativo com o Senhor, é preciso orar, meditar e caminhar diariamente no desfrute consciente de Sua presença. Ele prometeu: “Eis que eu estou convosco todos os dias” (Mateus 28:20).

Jim Hyland

Conforto das Escrituras para a Quinta-Feira

“Olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus” [1]

Talvez nenhuma declaração das Escrituras forneça um resumo tão claro de como o crente pode viver uma vida cristã vitoriosa e alegre quanto a encontrada nessas palavras: “Olhando para Jesus” [1]. Essas palavras carregam o pensamento de desviar os olhos de todo o resto e centralizar nossa atenção e afeição n’Ele, que está sentado “à destra do trono de Deus” [1]. Devemos olhar para longe de nós mesmos, tanto de nossas falhas quanto sucessos; devemos olhar para longe dos homens, por mais piedosos que possam ser, e olhar apenas para Ele. “Se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus” [2]. Assim como Ele nos diz: “Olhai para mim, e sereis salvos” [3], assim também, já como salvos, devemos estar constantemente “olhando para Jesus, autor e consumador da fé” [1], e “considerai, pois, Aquele… para que não enfraqueçais, desfalecendo em vossos ânimos” [4]. Pois “o Senhor é a porção da minha herança e do meu cálice; tu sustentas a minha sorte… Tenho posto o Senhor continuamente diante de mim; por isso que ele está à minha mão direita, nunca vacilarei” [5, 6], sempre lembrando que Ele “nunca falha” [7].

Olho para longe do meu coração tão volúvel,
E longe dos homens cujas vidas falham;
Olho para meu Salvador assentado em glória,
Que leva consigo meu nome para dentro do véu.

[1] Hebreus 12:2; [2] Colossenses 3:1; [3] Isaías 45:22; [4] Hebreus 12:3; [5] Salmo 16:5; [6] Salmo 16:8; [7] Sofonias 3:5

Diário do Cristão para a Quarta-Feira

Ageu 1

1 No segundo ano do rei Dario, no sexto mês, no primeiro dia do mês, veio a palavra do SENHOR, por intermédio do profeta Ageu, a Zorobabel, filho de Sealtiel, governador de Judá, e a Josué, filho de Jozadaque, o sumo sacerdote, dizendo:

2 Assim fala o Senhor dos Exércitos, dizendo: Este povo diz: Não veio ainda o tempo, o tempo em que a casa do Senhor deve ser edificada.

3 Veio, pois, a palavra do Senhor, por intermédio do profeta Ageu, dizendo:

4 Porventura é para vós tempo de habitardes nas vossas casas forradas, enquanto esta casa fica deserta?

5 Ora, pois, assim diz o Senhor dos Exércitos: Considerai os vossos caminhos.

6 Semeais muito, e recolheis pouco; comeis, porém não vos fartais; bebeis, porém não vos saciais; vestis-vos, porém ninguém se aquece; e o que recebe salário, recebe-o num saco furado.

7 Assim diz o Senhor dos Exércitos: Considerai os vossos caminhos.

Conforto das Escrituras para a Quarta-Feira

“Remindo o tempo (usando bem cada oportunidade), porquanto os dias são maus” [1]

Vivemos em dias importantes, “os últimos dias”, quando, como predizem as Escrituras, “sobrevirão tempos penosos [perigosos]” [2], dias em que vemos “os homens desfalecendo de terror, e pela expectação das coisas que sobrevirão ao mundo” [3]. Portanto, “porquanto os dias são maus” [1], e porque “os homens maus e impostores irão de mal a pior, enganando e sendo enganados” [4], nós que conhecemos o Senhor devemos estar “remindo o tempo”, isto é, “usando bem cada oportunidade” [1]. Dia a dia, Deus nos dá tais oportunidades e nos diz que “enquanto temos oportunidade, façamos bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé” [5]. Há momentos em que pode ser dito que “andáveis lembrados, mas vos faltava oportunidade” [6]. Mas quão mais frequentemente a verdade é que deixamos escapar as oportunidades, sem remi-las. Deus, em graça, pode dar outras oportunidades, mas as perdidas nunca podem ser recuperadas. Que possamos ser diligentes para estarmos “sempre prontos para vos lembrar estas coisas” [7], “para que eu saiba sustentar com uma palavra o que está cansado” [8], e “para dissuadir o ímpio do seu caminho” [9], para “andar em sabedoria para com os que estão de fora, usando bem cada oportunidade” [10]. “Por isso, não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor” [11].

Uma palavra de alerta, uma palavra de ânimo,
Enquanto andamos no caminho da vida a cada dia,
Uma palavra da Palavra, com o próprio poder de Deus,
Que encorajará e mostrará o caminho.

[1] Efésios 5:16 (Compare versões ACF e AA); [2] 2 Timóteo 3:1; [3] Lucas 21:26; [4] 2 Timóteo 3:13; [5] Gálatas 6:10; [6] Filipenses 4:10; [7] 2 Pedro 1:12; [8] Isaías 50:4; [9] Ezequiel 33:8; [10] Colossenses 4:5; [11] Efésios 5:17

Diário do Cristão para a Terça-Feira

Cumpridores

Ontem mencionamos a importância do cristianismo prático e de viver o que dizemos e acreditamos. Aqui estão vários versículos da Palavra de Deus que confirmam o que dissemos:

“Sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes” (Tiago 1:22).

“… ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus” (1 Coríntios 10:31).

“Fazendo de coração a vontade de Deus” (Efésios 6:6).

No Antigo Testamento, temos o exemplo de Esdras, o sacerdote e escriba:

“Porque Esdras tinha preparado o seu coração para buscar a lei do Senhor e para cumpri-la e para ensinar em Israel os seus estatutos e os seus juízos” (Esdras 7:10).

No Novo Testamento, temos o exemplo perfeito do Senhor Jesus:

“Fiz o primeiro tratado, ó Teófilo, acerca de tudo que Jesus começou, não só a fazer, mas a ensinar” (Atos 1:1).

Isso é o que dá poder e validade ao nosso testemunho como crentes.

Jim Hyland

Conforto das Escrituras para a Terça-Feira

“E ele disse-lhes: Vinde vós, aqui à parte, a um lugar deserto, e repousai um pouco. Porque havia muitos que iam e vinham, e não tinham tempo para comer” [1]

Vivemos em uma era de pressa e correria. Mesmo entre cristãos, medimos a espiritualidade de alguém por sua assim chamada produtividade. Tão facilmente esquecemos que quando nos apresentarmos diante do Senhor, a principal questão não será a quantidade de nossas obras, mas “a obra de cada um se manifestará… e o fogo provará qual seja a obra de cada um” [2]. A qualidade vem antes da quantidade. Precisamos lembrar que o serviço cristão não é uma prova de resistência e que o Senhor “conhece a nossa estrutura; lembra-se de que somos pó” [3]. Certamente, o Senhor não quer que os Seus redimidos sejam preguiçosos, pois “o que é negligente na sua obra é também irmão do desperdiçador” [4], mas Ele também não quer que estejamos continuamente cansados. “Ao qual disse: Este é o descanso, dai descanso ao cansado; e este é o refrigério” [5]. “Porque assim diz o Senhor DEUS:… Voltando e descansando sereis salvos; no sossego e na confiança estaria a vossa força” [6]. Que ele não tenha que dizer de nós, como Ele disse de Israel: “mas não quisestes” [6].

Não é por nossa força ou poder
Que nossa obra para o Senhor é provada,
Mas pelo próprio trabalho do Espírito,
Que veio para em nós habitar.

[1] Marcos 6:31; [2] 1 Coríntios 3:13; [3] Salmo 103:14; [4] Provérbios 18:9; [5] Isaías 28:12; [6] Isaías 30:15

Diário do Cristão para a Segunda-Feira

Caro Cristão:

Ontem à noite, vários de nós estávamos sentados ao redor da lareira em um salão no sul da França, lendo a Bíblia até tarde da noite. Conversamos muitas coisas sobre a Palavra de Deus, mas o que permaneceu comigo hoje foi a declaração: “Precisamos viver o que ensinamos”.

É tão fácil dizer coisas e instruir os outros sobre como devem viver a vida cristã, mas outra coisa é vivê-la de maneira prática e ensinar pelo exemplo em nossas próprias vidas. Quando Paulo escreveu a Timóteo, ele o instruiu: “Ninguém despreze a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza” (1 Timóteo 4:12). Em outras palavras, Timóteo não deveria apenas ensinar a Palavra de Deus por palavras, mas também por ações.

Até que ponto sua vida será um exemplo esta semana? Outros estão nos observando. “Porque nenhum de nós vive para si, e nenhum morre para si” (Romanos 14:7). Podemos dizer muitas coisas que são verdadeiras e bíblicas. No entanto, a questão permanece: estamos vivendo o que estamos ensinando?

Seu amigo cristão,

Jim Hyland

Conforto das Escrituras para a Segunda-Feira

“Tens visto um homem precipitado no falar? Maior esperança há para um tolo do que para ele” [1]

Muitos de nós já tivemos momentos de arrependimento por palavras ditas precipitadamente: palavras de julgamento, palavras de reprovação, palavras falsas, palavras arrogantes e orgulhosas, mas todas as palavras nunca podem ser desditas, independente do quanto elas machucam. Talvez não tínhamos o intuito de machucar, mas fomos “precipitados no falar” [1], esquecendo, naquele momento, que “o coração do justo medita no que há de responder, mas a boca dos ímpios jorra coisas más” [2]. Quão bom é para nós sermos “prontos para ouvir, tardios para falar, tardios para se irar” [3], pois “na multidão de palavras não falta pecado, mas o que modera os seus lábios é sábio” [4]. Pode parecer inteligente e vantajoso querer ter uma palavra em qualquer assunto, mas “o que possui o conhecimento guarda as suas palavras, e o homem de entendimento é de precioso espírito” [5]. Quão necessário é “guardar os meus caminhos para não pecar com a minha língua” [6]. Palavras precipitadas vêm de um espírito precipitado, e “o que é de espírito impaciente mostra a sua loucura” [7]. Assim, “põe, ó Senhor, uma guarda à minha boca; guarda a porta dos meus lábios” [8], e “sejam agradáveis as palavras da minha boca e a meditação do meu coração perante a tua face, Senhor, Rocha minha e Redentor meu!” [9]

Palavras ditas em raiva, ditas precipitadamente,
Palavras que nunca poderemos revogar,
Palavras que causam tristeza e dor,
Mas palavras que machucam a nós mesmos, antes de tudo.

[1] Provérbios 29:20; [2] Provérbios 15:28; [3] Tiago 1:19; [4] Provérbios 10:19; [5] Provérbios 17:27; [6] Salmo 39:1; [7] Provérbios 14:29; [8] Salmo 141:3; [9] Salmo 19:14