Diário do Cristão para a Quinta-Feira

O Último Dia

Este é o último dia de 2020 e estou maravilhado com a longanimidade, a paciência e a graça de Deus. Sim, Ele ainda está esperando que pecadores confiem n’Ele e entrem na bênção eterna.

Quando o Senhor Jesus esteve aqui na terra, Ele fez um apelo pessoal e um convite no último dia da Festa dos Tabernáculos. “E no último dia, o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé, e clamou, dizendo: Se alguém tem sede, venha a mim, e beba” (João 7:37).

Antes de ir para a cruz, Ele deu um aviso sobre um tempo de julgamento para aqueles que O rejeitaram. “Quem me rejeitar a mim, e não receber as minhas palavras, já tem quem o julgue; a palavra que tenho pregado, essa o há de julgar no último dia” (João 12:48).

Paulo e Pedro nos dão o caráter dos últimos dias antes do retorno do Senhor Jesus. “Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos” (2 Timóteo 3:1). “Sabendo primeiro isto, que nos últimos dias virão escarnecedores, andando segundo as suas próprias concupiscências” (2 Pedro 3:3).

O apelo e a advertência continuam válidos, e certamente temos que admitir que estamos nos últimos dias desta era cristã. Talvez o Senhor venha antes de despertarmos para 2021.

Baseado nos textos de Jim Hyland

Conforto das Escrituras para a Quinta-Feira

“Até que refresque o dia, e fujam as sombras” [1]

Muitas têm sido as sombras que caíram nos caminhos dos queridos filhos de Deus enquanto viajamos por um mundo que rejeitou a Cristo. As sombras da dor, da perseguição, da separação, da incompreensão, das esperanças arruinadas, do cansaço, da privação, da tristeza, e a “sombra da morte” [2]. Mas um dia desses as sombras fugirão, e conheceremos por vista, assim como agora nós conhecemos pela fé, “que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada” [3]. Assim como João em Patmos, ouviremos uma voz dizer: “Sobe aqui” [4], na “vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, e… nossa reunião com ele” [5], “e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas” [6]. “Até que refresque o dia” [1], confiemos e sirvamos alegremente a Ele, seguindo “mui firme, a palavra dos profetas, à qual bem fazeis em estar atentos, como a uma luz que alumia em lugar escuro, até que o dia amanheça, e a estrela da alva apareça em vossos corações” [7]. “A noite é passada, e o dia é chegado. Rejeitemos, pois, as obras das trevas, e vistamo-nos das armas da luz” [8].

Por muito tempo tem sido noite,
Com suas sombras e seus ruídos,
Mas logo Ele virá, Aquele que é a Luz,
E a glória então brilhará ao redor.

[1] Cantares de Salomão 4:6; [2] Salmo 23:4; [3] Romanos 8:18; [4] Apocalipse 4:1; [5] 2 Tessalonicenses 2:1; [6] Apocalipse 21:4; [7] 2 Pedro 1:19; [8] Romanos 13:12

Diário do Cristão para a Quarta-Feira

Não é Fácil

Outro dia, lembrei-me de uma declaração que ouvi há muito tempo de um irmão mais velho em Cristo. Aqui está o que ele disse,

“Seguir Jesus é sempre certo —

mas seguir Jesus nem sempre é fácil!”

Existem muitos versículos na Palavra de Deus que também nos lembram disso. Aqui está o que o próprio Senhor Jesus tinha a dizer sobre o assunto:

“Vem, toma a cruz, e segue-me” (Marcos 10:21).

“Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me” (Lucas 9:23).

“Lembrai-vos da palavra que vos disse: Não é o servo maior do que o seu senhor. Se a mim me perseguiram, também vos perseguirão a vós” (João 15:20).

Aqui está o que o apóstolo Paulo disse no final de sua vida de seguir o Senhor:

“Servindo ao Senhor com toda a humildade, e com muitas lágrimas e tentações” (Atos 20:19).

Sim, pode não ser fácil, mas será feliz e frutífero, apesar de quaisquer provações e dificuldades que possamos encontrar.

Jim Hyland

Conforto das Escrituras para a Quarta-Feira

“Uma coisa pedi ao Senhor, e a buscarei: que possa morar na casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a formosura do Senhor, e inquirir no seu templo.” [1]

O salmista queria estar na presença do Senhor “para contemplar” e “inquirir”. Ele queria “contemplar a formosura do Senhor”. Ainda não chegou o tempo em que “os teus olhos verão o rei na sua formosura” [2], mas “o qual, não o vendo agora, mas crendo, vos alegrais com gozo inefável e glorioso” [3], pois pela fé “vemos… coroado de glória e de honra aquele Jesus que fora feito um pouco menor do que os anjos, por causa da paixão da morte, para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todos” [4]. Assim “contemplamos a formosura do Senhor”, “olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus” [5], “pois ele é teu Senhor; adora-o” [6]. E, enquanto O contemplamos em Sua Palavra, “todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor” [7], e com Moisés oramos: “Seja sobre nós a formosura do Senhor nosso Deus” [8].

Que Sua formosura seja vista em mim,
Que os homens possam em mim contemplar
A graça e o amor de meu Salvador,
Que Se entregou por minh’alma.

[1] Salmo 27:4; [2] Isaías 33:17; [3] 1 Pedro 1:8; [4] Hebreus 2:9; [5] Hebreus 12:2; [6] Salmo 45:11; [7] 2 Coríntios 3:18; [8] Salmo 90:17

Diário do Cristão para a Terça-Feira

Mundanismo

“Mas longe esteja de mim gloriar-me, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim e eu para o mundo” (Gálatas 6:14).

A cruz de Jesus ergue uma barreira que me separa, como cristão, do mundo de Satanás. Se eu me forçar a passar por cima dessa cruz e der as mãos ao mundo, então me coloco em uma posição muito complicada.

Recentemente, ouvi falar de uma jovem cristã que todos os domingos de manhã se lembrava do Senhor em Sua morte no partimento do pão. Mas ela começou a procurar amigos e prazeres no mundo. Sua mãe, bastante preocupada com o comportamento de sua filha, citou-lhe as Escrituras: “Não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus” (Tiago 4:4). Sua resposta foi: “Bem, então acho que terei de ser apenas uma inimiga de Deus!” Poucos dias depois, ela morreu em um terrível acidente de carro. Não faça com que chegue ao ponto do Senhor ter de falar com você dessa forma!

Lembre-se: Tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo” (1 João 2:16).

Jim Hyland

Conforto das Escrituras para a Terça-Feira

“Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo.” [1]

“O dia de Jesus Cristo” é o tempo em que nosso Senhor virá para os que são Seus, e nós que o conhecemos estamos “esperando a manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual vos confirmará também até ao fim, para serdes irrepreensíveis no dia de nosso Senhor Jesus Cristo” [2]. Nós somos salvos porque “Cristo Jesus veio ao mundo, para salvar os pecadores” [3], porque “levou Ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro” [4]. Mas apesar do crente em Cristo ser perfeita e completamente salvo, ainda assim a plena manifestação de nossa salvação espera o retorno do Senhor, e “a nossa salvação está agora mais perto de nós do que quando aceitamos a fé” [5], e “aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo” [1]. Assim “esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, que transformará o nosso corpo abatido, para ser conforme o seu corpo glorioso, segundo o seu eficaz poder de sujeitar também a si todas as coisas” [6]. E “fiel é o que vos chama, o qual também o fará” [7]. Enquanto isso, somos “mediante a fé guardados na virtude (poder) de Deus para a salvação, já prestes para se revelar no último tempo, em que vós grandemente vos alegrais, ainda que… estejais por um pouco contristados com várias tentações” [8].

Aquele que nos salvou nos guardará
Até que Seu propósito seja cumprido
E até que estejamos seguros no lar,
Com todas as batalhas terrenas vencidas.

[1] Filipenses 1:6; [2] 1 Coríntios 1:7-8; [3] 1 Timóteo 1:15; [4] 1 Pedro 2:24; [5] Romanos 13:11; [6] Filipenses 3:20-21; [7] 1 Tessalonicenses 5:24; [8] 1 Pedro 1:5-6

Diário do Cristão para a Segunda-Feira

Caro Cristão:

O ano está quase no fim e, como mencionamos no início deste ano, duas décadas deste século já se passaram rapidamente. Embora muitos dos meus leitores possam ter nascido neste século, ainda assim, para alguém como eu, o ano 2.000 não parece tão distante. Parece que foi um dia desses que muitos estavam preocupados com o bug do milênio e com o que aconteceria no novo milênio.

É bom olharmos em três direções:

  1. Olhe para trás e lembre-se da bondade do Senhor.

“E te lembrarás de todo o caminho, pelo qual o Senhor teu Deus te guiou” (Deuteronômio 8:2).

  1. Olhe para cima e seja encorajado.

“Pela manhã ouvirás a minha voz, ó Senhor; pela manhã apresentarei a ti a minha oração, e vigiarei” (Salmo 5:3).

“Olhando para Jesus” (Hebreus 12:2).

  1. Olhe para frente e se regozije.

“… nos alegramos na esperança da glória de Deus” (Romanos 5:2, KJV).

“Aguardando a bem-aventurada esperança” (Tito 2:13).

Seu amigo cristão,

Jim Hyland

Conforto das Escrituras para a Segunda-Feira

“Da qual salvação inquiriram e trataram diligentemente os profetas que profetizaram da graça que vos foi dada, indagando que tempo ou que ocasião de tempo o Espírito de Cristo, que estava neles, indicava, anteriormente testificando os sofrimentos que a Cristo haviam de vir, e a glória que se lhes havia de seguir.” [1]

Sabemos que “os sofrimentos de Cristo” foram cumpridos em Sua primeira vinda, e que “a glória que se lhes havia de seguir” [1] será revelada quando Ele vier novamente. Vivemos entre Seus dois adventos. Mas os profetas do Antigo Testamento viveram antes de ambas as vindas, e eles “inquiriram e trataram diligentemente” quanto ao que “o Espírito de Cristo, que estava neles, indicava”, quando Ele falava através deles dos “sofrimentos que a Cristo haviam de vir, e a glória que se lhes havia de seguir” [1]. Eles viram a primeira e a segunda vinda de Cristo em uma só visão combinada. Isaías escreveu sobre Aquele que “era desprezado, e o mais rejeitado entre os homens, homem de dores, e experimentado nos trabalhos” [2]. Por outro lado, ele também falou d’Aquele que virá e “ferirá a terra com a vara de sua boca, e com o sopro dos seus lábios matará ao ímpio” [3]. As duas vindas de nosso Senhor estão inseparavelmente conectadas na Palavra. Ele “se manifestou, para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo” [4], e esperamos pelo momento em que Ele “aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação” [5].

Ele veio, o bendito Filho de Deus,
Para morrer pelos pecados de todos;
Ele virá novamente em grande glória;
E seu juízo sobre o pecado derramará.

[1] 1 Pedro 1:10-11; [2] Isaías 53:3; [3] Isaías 11:4; [4] Hebreus 9:26; [5] Hebreus 9:28

Diário do Cristão para o Domingo

Seu Nascimento e Sua Morte

Sem dúvida, você já deve ter visto uma representação artística do nascimento de Jesus Cristo em uma manjedoura. A virgem Maria deu à luz a Jesus, que é o Filho de Deus. “E deu à luz a seu filho primogênito, e envolveu-o em panos, e deitou-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem” (Lucas 2:7). Pela primeira e única vez na história, nasceu um bebê que nunca arquearia as costas e faria birra para sua mãe. Uma criança cresceria sem egoisticamente exigir atenção. Um adolescente viveria sem nunca exigir fazer as coisas da Sua própria maneira. Um jovem honraria Sua mãe sem nunca ser indiferente a ela. Um homem viveria sem pecado e teria o direito pessoal de viver para sempre. Deus havia profetizado isso anos antes: “Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, E chamá-lo-ão pelo nome de EMANUEL, Que traduzido é: Deus conosco” (Mateus 1:23). Outros bilhões nasceram e morreram desde aquele nascimento em Belém.

Hoje, nós nos lembramos de outro evento importante na história deste mundo. A morte do Senhor Jesus no Calvário. Que nunca esqueçamos o que Ele sofreu para a glória de Deus e para nossa bênção eterna. “Ele deu a sua vida por nós” (1 João 3:16).

Jim Hyland

Conforto das Escrituras para o Domingo

“Graças a Deus, pois, pelo seu dom inefável” [1]

“O salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor.” [2] “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” [3] “Jesus respondeu, e disse-lhe: Se tu conheceras o dom de Deus, e quem é o que te diz: Dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva… Aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água que salte para a vida eterna.” [4, 5] “Pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.” [6] “E dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão.” [7] “Mas não é assim o dom gratuito como a ofensa. Porque, se pela ofensa de um morreram muitos, muito mais a graça de Deus, e o dom pela graça, que é de um só homem, Jesus Cristo, abundou sobre muitos… Muito mais os que recebem a abundância da graça, e do dom da justiça, reinarão em vida por um só, Jesus Cristo.” [8, 9] “Ó VÓS, todos os que tendes sede, vinde às águas… sim, vinde, comprai, sem dinheiro e sem preço, vinho e leite.” [10]

Deus deu ao mundo dos homens Seu Filho,
Um “dom inefável”, de fato;
Ele tomou sobre Si nossos pecados
De modo a atender nossa necessidade.

[1] 2 Coríntios 9:15; [2] Romanos 6:23; [3] João 3:16; [4] João 4:10; [5] João 4:14; [6] Efésios 2:8; [7] João 10:28; [8] Romanos 5:15; [9] Romanos 5:17; [10] Isaías 55:1