Diário do Cristão para a Quarta-Feira

Pão — Parte 2

“Disse-lhes, pois, Jesus:… Meu Pai vos dá o verdadeiro pão do céu… Eu sou o pão da vida… Este é o pão que desce do céu, para que o que dele comer não morra” (João 6:32, 48, 50).

Você se lembra do rato, do pintarroxo, do tordo, do corvo, do esquilo, do pombo e dos quatro pegas que mencionamos na meditação de ontem? Todos estavam famintos pelo pão que era partido e espalhado sobre a mesa do jardim toda manhã. Era tão conveniente e tão acessível.

Mas, a pergunta permanece: e quanto a você? Você tem uma fome diária pela Palavra de Deus? Muitos de nós vivemos em terras onde as Bíblias são abundantes e podem ser compradas por um preço muito baixo. Muitos de meus leitores, sem dúvida, já possuem várias Bíblias em suas casas. Mas quanto estamos nos alimentando e desfrutando delas? Será que estamos nos alimentando de Cristo através da Palavra de Deus todos os dias? Como já citamos, o Senhor Jesus é o “Pão da Vida”. Se quisermos crescer e amadurecer em nossa experiência cristã, devemos nos alimentar da Palavra e sermos como aquele antigo patriarca, que disse: “Estimei as palavras da Sua boca mais do que o meu alimento necessário” (Jó 23:12, KJV).

Jim Hyland

Conforto das Escrituras para a Quarta-Feira

“Sede todos de um mesmo sentimento, compassivos (tendo compaixão uns para com os outros), amando os irmãos, entranhavelmente misericordiosos e afáveis (corteses)” [1]

“Sede afáveis”. Alguém poderia pensar que um verdadeiro cristão não precisaria de tal exortação, mas que ele deveria ser naturalmente, como crente em Cristo, “afável” para com os outros irmãos, e também para com todas as pessoas. Mas esse não é o caso. Será que os coríntios estavam sendo afáveis quando “o irmão vai a juízo contra outro irmão, e isto perante infiéis” [2]? Será que eles estavam manifestando cortesia quando estava “havendo entre [eles] inveja, contendas e dissensões” [3]? E como estamos nós, quão afáveis e corteses somos? Será que demonstramos amizade e gentileza em casa, entre nossos colegas de trabalho, e entre os santos, lembrando que “melhor é o que tarda em irar-se do que o poderoso, e o que controla o seu ânimo do que aquele que toma uma cidade” [4]? Quão necessário é que nos “revistamos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade; suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também” [5]. Manifestamos Cristo em nossas vidas “na pureza, na ciência, na longanimidade, na benignidade, no Espírito Santo, no amor não fingido” [6]. Assim “sede uns para com os outros benignos, misericordiosos” [7], e “amai-vos ardentemente uns aos outros com um coração puro” [8].

Sê afável com todos os que conheces,
E amável e gentil e verdadeiro;
Deus te recompensará em Seu caminho;
Ele te dará graça.

[1] 1 Pedro 3:8; [2] 1 Coríntios 6:6; [3] 1 Coríntios 3:3; [4] Provérbios 16:32; [5] Colossenses 3:12-13; [6] 2 Coríntios 6:6; [7] Efésios 4:32; [8] 1 Pedro 1:22

Diário do Cristão para a Terça-Feira

Pão — Parte 1

“Eu sou o pão vivo que desceu do céu” (João 6:51).

O que um rato, um pintarroxo, um tordo, um corvo, um esquilo, um pombo e quatro pegas tem em comum? Todos saborearam um pão de café da manhã que Pauline colocava pra eles na mesa do seu jardim toda manhã enquanto estávamos com ela em sua casa em Croydon, na Inglaterra. Era muito divertido assistir a competição e a luta pelos maiores pedaços. O rato subia na mesa, agarrava o maior pedaço que podia, e corria para seu armazém de comida debaixo de alguns arbustos e plantas. Em poucos segundos, ele voltava e os pássaros maiores tentavam afugentá-lo enquanto lutavam entre si. O esquilo aguardava por sua chance, e o pintarroxo e o tordo davam algumas mordidinhas aqui e ali, aparentemente sem se perturbarem com o que acontecia ao seu redor. O pombo comia continuamente e parecia se manter em guarda contra o rato.

Isso me fez pensar no Senhor Jesus, que disse, “Eu sou o pão da vida” (João 6:48). Quanto desse “Pão Vivo” você já desfrutou hoje? Ele está abundantemente disponível através da Palavra Viva. Precisamos nos alimentar dele todos os dias.

Jim Hyland

Conforto das Escrituras para a Terça-Feira

“Assim diz o Senhor: … pois eu conheço as coisas que vos entram na mente.” [1]

“Jesus, conhecendo-lhes os pensamentos, disse: Por que pensais o mal em vossos corações?” [2] “Tu conheces o meu sentar e o meu levantar; de longe entendes o meu pensamento… Sem que haja uma palavra na minha língua, eis que, ó Senhor, tudo conheces” [3, 4], e “não há criatura alguma encoberta diante dele; antes todas as coisas estão nuas e patentes aos olhos daquele a quem havemos de prestar contas” [5]. “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o poderá conhecer? Eu, o Senhor, esquadrinho a mente, eu provo o coração; e isso para dar a cada um segundo os seus caminhos e segundo o fruto das suas ações” [6]. “Pois as armas da nossa milícia não são carnais, mas poderosas em Deus, para demolição de fortalezas; derribando raciocínios e todo baluarte que se ergue contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência a Cristo” [7]. “Não vê ele os meus caminhos, e não conta todos os meus passos?” [8] Assim “sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho perverso, e guia-me pelo caminho eterno.” [9]

Ele olha os corações dos homens;
Ele vê o bem e o mal;
Ele traça o caminho de Seus filhos;
Ele sabe quando estamos tristes ou felizes.

[1] Ezequiel 11:5; [2] Mateus 9:4; [3] Salmos 139:2; [4] Salmos 139:4; [5] Hebreus 4:13; [6] Jeremias 17:9-10; [7] 2 Coríntios 10:4-5; [8] Jó 31:4; [9] Salmos 139:23-24

Diário do Cristão para a Segunda-Feira

Caro Cristão:

Hoje estou sem Internet! Me sinto tão isolado e fora de contato. De certa forma isso é ridículo, mas estou tão acostumado a estar conectado que tendo a me preocupar e penso estar perdendo algo, mesmo que por um curto período de tempo. Isso também me faz perceber quão dependente me tornei da tecnologia.

Enquanto penso sobre isso, sou grato por saber que sempre há uma linha aberta para o céu. A comunicação com Deus Pai e com o Senhor Jesus está sempre disponível. Não há chamadas perdidas, chamadas em espera, não há áreas onde não há serviço. “A nossa comunhão é com o Pai, e com seu Filho Jesus Cristo” (1 João 1:3). Não importa a hora do dia ou da noite, onde estejamos, ou o que estejamos fazendo. Foi-nos dito: “Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno” (Hebreus 4:16). Esta semana, aproveite a linha aberta entre você e o céu. E não permita que nada em sua vida se interponha entre você e o Senhor.

Seu Amigo Cristão,

Jim Hyland

Conforto das Escrituras para a Segunda-Feira

“O que despreza a palavra perecerá, mas o que teme o mandamento será galardoado” [1]

O amor de um cristão pelo Senhor pode ser medido com precisão pelo seu amor pela Palavra, pois nosso Senhor disse: “Se me amais, guardai os meus mandamentos” [2], e “Jesus dizia, pois, aos judeus que criam nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos; e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” [3]. Ninguém que negligencia e tem pouca estima pela Palavra de Deus deveria falar sobre seu amor pelo Senhor. Se quisermos “deleitar-nos também no Senhor” [4], deve ser porque “também os Teus testemunhos são o meu prazer e os meus conselheiros” [5], pois o que podemos saber sobre o Senhor Jesus, a não ser o que Ele nos disse em Sua Palavra? Ele disse: “as Escrituras… são elas que de mim testificam” [6]. Se verdadeiramente O amarmos, podemos dizer: “Oh! quanto amo a tua lei! É a minha meditação em todo o dia” [7], e “por isso amo os teus mandamentos mais do que o ouro, e ainda mais do que o ouro fino” [8]. Então “sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos” [9], pois “aquele, porém, que atenta bem para a lei perfeita da liberdade, e nisso persevera, não sendo ouvinte esquecediço, mas fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito” [10].

Conhecer a Palavra e não praticá-la
Traz vergonha ao Seu nome;
Sua Palavra é uma luz para nosso caminho;
Obedecida, nos guarda de sermos envergonhados.

[1] Provérbios 13:13; [2] João 14:15; [3] João 8:31‑32; [4] Salmo 37:4; [5] Salmo 119:24; [6] João 5:39; [7] Salmo 119:97; [8] Salmo 119:127; [9] Tiago 1:22; [10] Tiago 1:25

Diário do Cristão para o Domingo

A Páscoa

Há sete celebrações da Páscoa registradas na Bíblia.

  1. A instituição da Páscoa no Egito (Êxodo 12).
  2. A celebração no deserto (Números 9:1-14).
  3. Guardada por Josué em Gilgal (Josué 5:10-11).
  4. O grande reavivamento de Ezequias (2 Crônicas 30:15-22).
  5. O tempo do reinado de Josias, o último antes do cativeiro (2 Crônicas 35:1-19).
  6. Os dias de Esdras após o retorno do remanescente judeu (Esdras 6:19-21).
  7. O Senhor com Seus discípulos no cenáculo (Mateus 26:19).

Esta sétima foi a última, pois naquela ocasião o Senhor instituiu a ceia para nós. Assim como Israel tinha um memorial anual ao guardarem a Páscoa, assim o Senhor nos diz: “Fazei isto em memória de mim… Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha” (1 Coríntios 11:24,26).

Para Israel, era uma vez por ano, para nós o critério é “todas as vezes”. É sua alegria, semana após semana, participar da “ceia do Senhor”?

Jim Hyland

Conforto das Escrituras para o Domingo

“Minha oração voltava para o meu seio.” [1]

A oração não só traz bênção para aqueles por quem se ora, como também traz bênção para aquele que ora, pois, para que se possa orar efetivamente, devemos estar em estreita comunhão com o Senhor. “Se eu atender à iniquidade no meu coração, o Senhor não me ouvirá” [2], pois “qualquer coisa que lhe pedirmos, dele a receberemos, porque guardamos os seus mandamentos, e fazemos o que é agradável à sua vista” [3]. Assim “cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé, tendo os corações purificados da má consciência, e o corpo lavado com água limpa” [4]. Pela Sua provisão através de Cristo, “purifiquemo-nos de toda a imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santificação no temor de Deus” [5]. Assim a oração traz bênção ao que ora pois nos mantém desejosos da comunhão com Deus. A oração também traz uma bênção àquele que ora porque nos tira do egocentrismo e nos torna preocupados com os outros, de modo que não mais “atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros” [6], enquanto seguimos em oração para “levar as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo” [7]. Além disso, a oração nos torna dependentes de Deus, fazendo-nos perceber que “toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vem do alto” [8]. “Minha oração voltava para o meu seio.” [1]

Orando no Espírito de Deus,
Devemos dEle nos aproximar;
Assim Sua bênção vem aos nossos corações,
E as coisas do mundo perdem o valor.

[1] Salmos 35:13; [2] Salmos 66:18; [3] 1 João 3:22; [4] Hebreus 10:22; [5] 2 Coríntios 7:1; [6] Filipenses 2:4; [7] Gálatas 6:2; [8] Tiago 1:17

Diário do Cristão para o Sábado

Fugindo por Segurança

É 15 de setembro de 2017, e eu e minha esposa estamos em Londres, na Inglaterra, onde houve um ataque terrorista no metrô de Londres. Uma bomba foi deixada para explodir em um dos vagões do metrô, e, felizmente, quando explodiu, o trem estava em uma estação e as portas estavam abertas. Assim, as pessoas conseguiram fugir para salvar suas vidas. Eu vi um vídeo do pandemônio em que passageiros jovens e idosos corriam em busca de segurança. Muitos ficaram feridos, mas, miraculosamente, ninguém foi morto.

Isso me fez pensar no evangelho e nas palavras de aviso do Senhor: “Quem vos ensinou a fugir da ira futura?” (Mateus 3:7). Ninguém precisou dizer para aqueles londrinos figurem do trem na estação; eles perceberam o perigo e agiram de acordo.

Mas por que será que, quando as pessoas são advertidas sobre o julgamento pendente e eterno, muitos parecem não se importar e são indiferentes ao bem-estar de sua alma imortal? Suponho que seja porque eles de fato não acreditam que isso irá acontecer. Eles preferem continuar em seus pecados. Mas chegará um tempo em que, “naqueles dias os homens buscarão a morte, e não a acharão; e desejarão morrer, e a morte fugirá deles” (Apocalipse 9:6). Quão vital é fugir para Cristo para salvação agora, enquanto Sua oferta de misericórdia ainda está disponível.

Jim Hyland

Conforto das Escrituras para o Sábado

“Eis que saíam umas águas por debaixo do limiar do templo… e me fez passar pelas águas, águas que me davam pelos artelhos. De novo… me fez passar pelas águas, águas que me davam pelos joelhos. Outra vez… águas que me davam pelos lombos. Ainda [mais tarde]… era um rio, que eu não podia atravessar… águas para nelas nadar” [1]

Ezequiel recebeu uma visão profética do templo milenial (que existirá no período do reino de mil anos), de onde nosso Senhor Jesus reinará sobre toda a Terra. Então “a terra se encherá do conhecimento do Senhor, como as águas cobrem o mar” [2]. Mas, sem comprometer esse futuro cenário de bênção, essas águas são uma figura para nós hoje da abundante graça de Deus para com o que são Seus. Nosso Senhor disse à mulher samaritana: “Aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede; pelo contrário, a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água que jorre para a vida eterna” [3], e Seu gracioso convite para todos é: “Ó vós, todos os que tendes sede, vinde às águas” [4], “e quem quiser, receba de graça a água da vida” [5]. E à medida que nos achegamos a Ele e seguimos com Ele, aprendemos que “onde o pecado abundou, superabundou a graça” [6]. Enquanto “crescemos na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo” [7], aprendemos que Sua graça é totalmente suficiente, “um rio, que eu não podia atravessar… águas para nelas nadar” [1].

“Rios de água viva” correrão
Da Pessoa de nosso Senhor;
“Águas para nelas nadar”, de profundidade incontável,
Fluem da Palavra viva,

[1] Ezequiel 47:1-5; [2] Isaías 11:9; [3] João 4:14; [4] Isaías 55:1; [5] Apocalipse 22:17; [6] Romanos 5:20; [7] 2 Pedro 3:18