Diário do Cristão para a Quinta-Feira

Paraíso — Parte 3

“Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da árvore da vida, que está no meio do paraíso de Deus” (Apocalipse 2:7).

No paraíso terreno, chamado Jardim do Éden, havia duas árvores, uma ligada ao privilégio (a árvore da vida), e a outra à responsabilidade (a árvore do conhecimento do bem e do mal). Adão desobedeceu e perdeu todas as bênçãos no terreno da responsabilidade. Como resultado, Deus veio ao jardim expulsar Adão e Eva daquele paraíso.

No entanto, está aberto agora ao homem o caminho para entrar no paraíso de Deus como resultado da redenção, baseada na obra do Calvário, e para ali se alimentar de Cristo, a árvore da vida. A promessa ao vencedor em Éfeso era que o crente que se arrependesse e voltasse ao seu primeiro amor ficaria satisfeito com o fruto da árvore da vida no paraíso de Deus. Essa é realmente a promessa de termos um “gostinho”, um desfrute presente, do que certamente será nossa alegria completa nEle em um dia vindouro, quando estivermos seguros no lar, no paraíso, ou, como conhecemos, na “casa do Pai” (João 14:2).

Você está desfrutando da pessoa de Cristo? Você está vivendo no doce desfrute de Seu amor? Se estiver, então você já está desfrutando do “paraíso de Deus”.

Jim Hyland

Conforto das Escrituras para a Quinta-Feira

“Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus” [1]

Nosso versículo não diz para mantermos Deus nos amando. Nada pode mudar ou alterar o glorioso fato de que Ele nos ama. Ele nos diz: “Porquanto com amor eterno te amei, por isso com benignidade te atraí” [2]. “Nisto está o amor, não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou a nós, e enviou seu Filho para propiciação pelos nossos pecados” [3]. Nosso versículo também não nos diz que devemos amar a Deus, embora certamente “nós o amamos a ele porque ele nos amou primeiro” [4]. Mas nosso versículo diz que devemos “conservar-nos a nós mesmos no amor de Deus” [1]. Devemos nos conservar na condição espiritual que permite que o amor de Deus trabalhe em nossa vida e nos permita desfrutar desse amor. Nosso Senhor disse: “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele… Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele, e faremos nele morada” [5, 6]. Assim somos chamados a “sair do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor… e eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, Diz o Senhor Todo-Poderoso” [7]. Então “conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus” [1], lembrando-se que Seu “o amor é forte como a morte” [8].

Mantenha-se no lugar de bênção;
Conserve-se no amor de Deus;
Sua vida se encherá da bondade,
Enviada de nosso Pai celestial.

[1] Judas 21; [2] Jeremias 31:3; [3] 1 João 4:10; [4] 1 João 4:19; [5] João 14:21; [6] João 14:23; [7] 2 Coríntios 6:17‑18; [8] Cantares de Salomão 8:6

Diário do Cristão para a Quarta-Feira

Paraíso — Parte 2

“Conheço um homem em Cristo que há catorze anos (se no corpo, não sei, se fora do corpo, não sei; Deus o sabe) foi arrebatado ao terceiro céu. E sei que o tal homem (se no corpo, se fora do corpo, não sei; Deus o sabe) foi arrebatado ao paraíso; e ouviu palavras inefáveis, que ao homem não é lícito falar” (2 Coríntios 12:2-4).

O acontecimento observado aqui é o momento em que o próprio apóstolo Paulo foi arrebatado ao paraíso. Que experiência maravilhosa deve ter sido, e tão diferente de qualquer coisa que ele já conheceu ou experimentou na terra. Mais tarde, Paulo disse: “Mas de ambos os lados estou em aperto, tendo desejo de partir, e estar com Cristo, porque isto é ainda muito melhor” (Filipenses 1:23). Paulo sabia exatamente do que estava falando quando disse “muito melhor”.

Em breve todo crente será “arrebatado… a encontrar o Senhor nos ares” (1 Tessalonicenses 4:17). Não há paraíso nesta terra amaldiçoada pelo pecado, mas logo estaremos permanentemente naquele maravilhoso lugar chamado céu. “E assim estaremos sempre com o Senhor” (1 Tessalonicenses 4:17).

Jim Hyland

Conforto das Escrituras para a Quarta-Feira

“Olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus” [1]

Talvez nenhuma declaração das Escrituras forneça um resumo tão claro de como o crente pode viver uma vida cristã vitoriosa e alegre quanto a encontrada nessas palavras: “Olhando para Jesus” [1]. Essas palavras carregam o pensamento de desviar os olhos de todo o resto e centralizar nossa atenção e afeição nEle, que está sentado “à destra do trono de Deus” [1]. Devemos olhar para longe de nós mesmos, tanto de nossas falhas quanto sucessos; devemos olhar para longe dos homens, por mais piedosos que possam ser, e olhar apenas para Ele. “Se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus” [2]. Assim como Ele nos diz: “Olhai para mim, e sereis salvos” [3], assim também, já como salvos, devemos estar constantemente “olhando para Jesus, autor e consumador da fé” [1], e “considerai, pois, aquEle… para que não enfraqueçais, desfalecendo em vossos ânimos” [4]. Pois “o Senhor é a porção da minha herança e do meu cálice; tu sustentas a minha sorte… Tenho posto o Senhor continuamente diante de mim; por isso que ele está à minha mão direita, nunca vacilarei” [5, 6], sempre lembrando que Ele “nunca falta (falha)” [7].

Olho para longe do meu coração tão volúvel,
E longe dos homens cujas vidas falham;
Olho para meu Salvador assentado em glória,
Que leva consigo meu nome para dentro do véu.

[1] Hebreus 12:2; [2] Colossenses 3:1; [3] Isaías 45:22; [4] Hebreus 12:3; [5] Salmo 16:5; [6] Salmo 16:8; [7] Sofonias 3:5

Diário do Cristão para a Terça-Feira

Paraíso — Parte 1

“E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso” (Lucas 23:43).

É manhã bem cedo e estou sentado no meu quarto em Dickson Village, na ilha de São Vicente. Posso ouvir um galo cantando ao longe, e o chilrear de alguns pássaros do lado de fora da minha janela. Tudo está em paz, e suponho que, se estivéssemos fazendo um anúncio para uma companhia de viagem, diríamos que estamos no paraíso.

Mas não há paraíso aqui na terra. O Éden foi estragado pelo pecado. Se formos fazer uma caminhada pela estrada próxima à vila em que estou, logo perceberíamos isso. Como em todo lugar, o pecado, a tristeza e a corrupção abundam a todo momento. Quando o ladrão arrependido se voltou para o Senhor Jesus na cruz, e pediu para que se lembrasse dele no reino do Senhor, ele ganhou uma promessa muito melhor que essa. O Senhor prometeu-lhe o paraíso naquele mesmo dia. O ladrão teria suas pernas quebradas em algumas horas e expiraria ali ao lado do Senhor Jesus. Mas ele tinha a promessa de que estaria imediatamente com Cristo em um lugar melhor. A vida pode parecer difícil hoje. Talvez você esteja passando por algum trauma verdadeiro. Mas anime-se: estamos a caminho de estar com Cristo, “no paraíso”.

Jim Hyland

Conforto das Escrituras para a Terça-Feira

“Remindo o tempo (usando bem cada oportunidade), porquanto os dias são maus” [1]

Vivemos em dias importantes, “os últimos dias”, quando, como predizem as Escrituras, “sobrevirão tempos penosos [perigosos]” [2], dias em que vemos “os homens desfalecendo de terror, e pela expectação das coisas que sobrevirão ao mundo” [3]. Portanto, “porquanto os dias são maus” [1], e porque “os homens maus e impostores irão de mal a pior, enganando e sendo enganados” [4], nós que conhecemos o Senhor devemos estar “remindo o tempo”, isto é, “usando bem cada oportunidade” [1]. Dia a dia, Deus nos dá tais oportunidades e nos diz que “enquanto temos oportunidade, façamos bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé” [5]. Há momentos em que pode ser dito que “andáveis lembrados, mas vos faltava oportunidade” [6]. Mas quão mais frequentemente a verdade é que deixamos escapar as oportunidades, sem remi-las. Deus, em graça, pode dar outras oportunidades, mas as perdidas nunca podem ser recuperadas. Que possamos ser diligentes para estarmos “sempre prontos para vos lembrar estas coisas” [7], “para que eu saiba sustentar com uma palavra o que está cansado” [8], e “para dissuadir o ímpio do seu caminho” [9], para “andar em sabedoria para com os que estão de fora, usando bem cada oportunidade” [10]. “Por isso, não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor” [11].

Uma palavra de alerta, uma palavra de ânimo,
Enquanto andamos no caminho da vida a cada dia,
Uma palavra da Palavra, com o próprio poder de Deus,
Que encorajará e mostrará o caminho.

[1] Efésios 5:16 (Compare versões ACF e AA); [2] 2 Timóteo 3:1; [3] Lucas 21:26; [4] 2 Timóteo 3:13; [5] Gálatas 6:10; [6] Filipenses 4:10; [7] 2 Pedro 1:12; [8] Isaías 50:4; [9] Ezequiel 33:8; [10] Colossenses 4:5; [11] Efésios 5:17

Diário do Cristão para a Segunda-Feira

Caro Cristão:

“Em que nos tens amado?” (Malaquias 1:2).

Você alguma vez já questionou o amor do Senhor por você? Suponho que, se formos honestos, muitos de nós admitiremos que já fizemos isso em algum momento de nossa vida. Eu mesmo descobri que é útil sempre olhar para trás, para o Calvário, quando isso acontece. Talvez nem sempre consigamos enxergar Seu amor em nossas circunstâncias, mas podemos sempre enxergar Seu amor quando olhamos para a cruz e percebemos o grande preço que foi pago por nossa salvação e bênção. Aqui estão alguns versículos que confirmam isso:

“Como também Cristo vos amou, e se entregou a si mesmo por nós, em oferta e sacrifício a Deus, em cheiro suave” (Efésios 5:2).

“O Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim” (Gálatas 2:20).

“Jesus Cristo… nos amou, e em seu sangue nos lavou dos nossos pecados” (Apocalipse 1:5).

“Ninguém tem maior amor do que este” (João 15:13).

Medite nisso, e desfrute de Seu amor hoje e durante toda esta semana!

Jim Hyland

Conforto das Escrituras para a Segunda-Feira

“E ele disse-lhes: Vinde vós, aqui à parte, a um lugar deserto, e repousai um pouco. Porque havia muitos que iam e vinham, e não tinham tempo para comer” [1]

Vivemos em uma era de pressa e correria. Mesmo entre cristãos, medimos a espiritualidade de alguém por sua assim chamada produtividade. Tão facilmente esquecemos que quando nos apresentarmos diante do Senhor, a principal questão não será a quantidade de nossas obras, mas “a obra de cada um se manifestará… e o fogo provará qual seja a obra de cada um” [2]. A qualidade vem antes da quantidade. Precisamos lembrar que o serviço cristão não é uma prova de resistência e que o Senhor “conhece a nossa estrutura; lembra-se de que somos pó” [3]. Certamente, o Senhor não quer que os Seus redimidos sejam preguiçosos, pois “o que é negligente na sua obra é também irmão do desperdiçador” [4], mas Ele também não quer que estejamos continuamente cansados. “Ao qual disse: Este é o descanso, dai descanso ao cansado; e este é o refrigério” [5]. “Porque assim diz o Senhor DEUS:… Voltando e descansando sereis salvos; no sossego e na confiança estaria a vossa força” [6]. Que ele não tenha que dizer de nós, como Ele disse de Israel: “mas não quisestes” [6].

Não é por nossa força ou poder
Que nossa obra para o Senhor é provada,
Mas pelo próprio trabalho do Espírito,
Que veio para em nós habitar.

[1] Marcos 6:31; [2] 1 Coríntios 3:13; [3] Salmo 103:14; [4] Provérbios 18:9; [5] Isaías 28:12; [6] Isaías 30:15

Diário do Cristão para o Domingo

Cantando

“Cantarei ao Senhor” (Salmos 13:6).

“Entrai diante dele com canto” (Salmos 100:2).

Cantar louvores a Deus faz quatro coisas:

  1. Honra ao Senhor.

“Aquele que oferece o sacrifício de louvor me glorificará” (Salmos 50:23).

2. Dá testemunho aos não salvos.

“E, perto da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus, e os outros presos os escutavam” (Atos 16:25).

3. Edifica nossos irmãos e irmãs em Cristo.

“Ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao Senhor com graça em vosso coração” (Colossenses 3:16).

4. Traz-nos alegria.

“Eis que os meus servos exultarão pela alegria de coração” (Isaías 65:14).

Cantar sempre foi um jeito de o povo de Deus expressar sua alegria no Senhor e sua apreciação pelo que Ele fez por eles. Cantemos Seus louvores de nossos corações hoje. Ele é digno de cada tom e cada nota que podemos Lhe dar.

Jim Hyland

Conforto das Escrituras para o Domingo

“Tens visto um homem precipitado no falar? Maior esperança há para um tolo do que para ele” [1]

Muitos de nós já tivemos momentos de arrependimento por palavras ditas precipitadamente: palavras de julgamento, palavras de reprovação, palavras falsas, palavras jactanciosas, mas todas as palavras nunca podem ser desditas, independente do quanto elas machucam. Talvez não tínhamos o intuito de machucar, mas fomos “precipitados no falar” [1], esquecendo, naquele momento, que “o coração do justo medita no que há de responder, mas a boca dos ímpios jorra coisas más” [2]. Quão bom é para nós sermos “prontos para ouvir, tardios para falar, tardios para se irar” [3], pois “na multidão de palavras não falta pecado, mas o que modera os seus lábios é sábio” [4]. Pode parecer inteligente e vantajoso querer ter uma palavra em qualquer assunto, mas “o que possui o conhecimento guarda as suas palavras, e o homem de entendimento é de precioso espírito” [5]. Quão necessário é “guardar os meus caminhos para não pecar com a minha língua” [6]. Palavras precipitadas vêm de um espírito precipitado, e “o que é de espírito impaciente mostra a sua loucura” [7]. Assim, “põe, ó Senhor, uma guarda à minha boca; guarda a porta dos meus lábios” [8], e “sejam agradáveis as palavras da minha boca e a meditação do meu coração perante a tua face, Senhor, Rocha minha e Redentor meu!” [9]

Palavras ditas em raiva, ditas precipitadamente,
Palavras que nunca poderemos revogar,
Palavras que causam tristeza e dor,
Mas palavras que machucam a nós mesmos, acima de tudo.

[1] Provérbios 29:20; [2] Provérbios 15:28; [3] Tiago 1:19; [4] Provérbios 10:19; [5] Provérbios 17:27; [6] Salmo 39:1; [7] Provérbios 14:29; [8] Salmo 141:3; [9] Salmo 19:14