Diário do Cristão para a Terça-Feira

Atribulado

“Não se turbe o vosso coração” (João 14:1, 27).

Essas palavras foram ditas duas vezes pelo Senhor Jesus pouco antes de deixar os discípulos para ir à cruz e retornar ao céu. Ele os deixaria em um mundo atribulado, mas lhes assegurou que eles não precisavam se turbar em seus corações, pois Ele continuaria a ser o recurso, a força e a paz deles, e também porque eles podiam continuar confiando nEle em todas as circunstâncias, não importa o quão ruins ficassem. Ele os exorta: “Credes em Deus, crede também em mim… Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá.” (João 14:1, 27).

É fácil ser como Marta, de quem o Senhor disse: “Estás ansiosa e atribulada com muitas coisas” (Lucas 10:41, KJV). Ficamos atribulados (preocupados) com os eventos atuais de um mundo cheio de guerra, terrorismo e turbulência. Ficamos
atribulados com a escola, com o trabalho, e com a vida em geral. Ficamos atribulados sobre o futuro, família, amigos… e assim por diante. O apóstolo Paulo disse: “Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados” (2 Coríntios 4:8). Isso porque sua alegria e confiança estavam no Senhor.

Jim Hyland

Conforto das Escrituras para a Terça-Feira

“Salva-nos [ajuda-nos], SENHOR, porque faltam os homens bons; porque são poucos os fiéis entre os filhos dos homens” [1]

O que deve o crente fazer em um dia de iniquidade e apostasia tal qual enfrentamos hoje, quando “o direito (juízo) se tornou atrás, e a justiça se pôs de longe”, quando “a verdade anda tropeçando pelas ruas, e a equidade não pode entrar” [2]? É um dia em que “os homens maus e enganadores irão de mal para pior, enganando e sendo enganados” [3], e em que “quem se desvia do mal arrisca-se a ser despojado” [4]. Nosso Senhor alertou que, “por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará” [5]. Podemos nós, crentes, viver para a glória de Cristo em tais dias? Sim, Sua graça é suficiente, e mais do que suficiente. Lembre-se que antes do dilúvio, quando “a maldade do homem se multiplicara sobre a terra” [6], quando “toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente” [6], naqueles dias tenebrosos, “Noé andava com Deus” [7], e Enoque “alcançou testemunho de que agradara a Deus” [8]. Que possamos, como eles, tomar da graça de Deus, “e não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus” [9].

Andar com Deus, quando em tudo ao redor
As trevas e o mal prevalecem?
Sim, forte na graça, olhando para Ele,
O Cristo, que nunca falhará.

[1] Salmo 12:1; [2] Isaías 59:14; [3] 2 Timóteo 3:13; [4] Isaías 59:15; [5] Mateus 24:12; [6] Gênesis 6:5; [7] Gênesis 6:9; [8] Hebreus 11:5; [9] Romanos 12:2

Conforto das Escrituras para a Segunda-Feira

“Porque ele livrará ao necessitado quando clamar, como também ao aflito e ao que não tem quem o ajude” [1]

O mundo e a cristandade professa têm o costume de dizer que Deus ajuda a quem se ajuda. Mas há muitas situações em que não podemos nos ajudar a nós mesmos, quando “demasiado longa te será a viagem” [2]. Mas em tais situações, “ele tem conhecido o teu caminho por este grande deserto” [3], e agora bendito e encorajador é saber que “ele livrará… ao que não tem quem o ajude” [1]. Assim, quando “a angústia está perto, e não há quem acuda” [4], e quando clamamos a Ele para “dar-nos auxílio contra o adversário, pois vão é o socorro da parte do homem” [5], podemos ter certeza que “eu, na verdade, sou pobre e necessitado, mas o Senhor cuida de mim” [6], e “ele livrará ao necessitado quando clamar, como também ao aflito e ao que não tem quem o ajude” [1], pois “ele… não se esquece do clamor dos aflitos” [7], e “a ti o desamparado se entrega; tu és o amparo do órfão” [8]. “Julgue ele os aflitos do povo, salve os filhos do necessitado, e esmague o opressor” [9]. “O Senhor se compraz nos que o temem, nos que esperam na sua benignidade” [10].

Cansados, tristes e desencorajados,
Sem ajuda a se encontrar no homem,
Clamamos a Ele que nos ama,
E “o Senhor lhe segura a mão”.

[1] Salmos 72:12; [2] 1 Reis 19:7; [3] Deuteronômio 2:7; [4] Salmo 22:11; [5] Salmo 60:11; [6] Salmo 40:17; [7] Salmo 9:12; [8] Salmo 10:14; [9] Salmo 72:4; [10] Salmo 147:11

Diário do Cristão para o Domingo

Oferta & Sacrifício

“Como também Cristo vos amou, e se entregou a si mesmo por nós, em oferta e sacrifício a Deus, em cheiro suave” (Efésios 5:2).

Podemos perguntar: “Qual a diferença entre uma oferta e um sacrifício?” A resposta é realmente muito simples: a oferta é o que é dado — a contribuição; o sacrifício é o preço, o custo.

  • O Senhor Jesus ofereceu a Si Mesmo:

“Cristo, que pelo Espírito eterno se ofereceu a si mesmo imaculado a Deus” (Hebreus 9:14).

“Na qual vontade temos sido santificados pela oblação do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez” (Hebreus 10:10).

  • O preço foi Sua vida e o derramamento de Seu sangue:

“Ele deu a sua vida por nós” (1 João 3:16).

“Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado” (1 Pedro 1:18,19).

Jim Hyland

Conforto das Escrituras para o Domingo

“E a paz de Deus, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações; e sede agradecidos” [1]

Deus deseja para Seus filhos que “a paz de Deus… domine em vossos corações” [1]. A palavra “dominar” significa “agir como árbitro” ou “arbitrar”, isto é, tomar as decisões: dirigir e controlar nossas vidas. Muitos de nós sabemos que quaisquer decisões feitas quando nossos corações não estavam cheios com a paz de Deus foram decisões erradas e prejudiciais. Precisamos continuamente da “paz de Deus” em nossos corações. “Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus” [2]. Pois “o Senhor dará força ao seu povo; o Senhor abençoará o seu povo com paz” [3]. “Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz” [4]. “Senhor, tu nos darás a paz, porque tu és o que fizeste em nós todas as nossas obras” [5]. “Bem-aventurado o homem que acha sabedoria… Os seus caminhos são caminhos de delícias, e todas as suas veredas de paz” [6, 7]. “Tu conservarás em [perfeita] paz aquele cuja mente está firme em ti; porque ele confia em ti” [8]. “E o Deus de paz seja com todos vós. Amém” [9].

“Tu conservarás em perfeita paz,
Aquele cuja mente está firme em Ti”;
Em todos os meandros da vida,
A paz será sua porção.

[1] Colossenses 3:15; [2] Filipenses 4:6-7; [3] Salmo 29:11; [4] Romanos 8:6; [5] Isaías 26:12; [6] Provérbios 3:13; [7] Provérbios 3:17; [8] Isaías 26:3; [9] Romanos 15:33

Diário do Cristão para o Sábado

Três Categorias

Um amigo meu recentemente fez essa observação em relação à salvação:

“Há três categorias de pessoas:

  1. Aqueles que são salvos.

Estes são os que vieram com fé e arrependimento e receberam Cristo como seu Salvador. “Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação” (Romanos 10:10).

2. Aqueles que fingem ser salvos.

Estes são como Judas Iscariotes, que era exteriormente um discípulo de Jesus, e enganou a todos, exceto o próprio Senhor, que disse: “Ora vós estais limpos, mas não todos… e nenhum deles se perdeu, senão o filho da perdição, para que a Escritura se cumprisse” (João 13:10; 17:12).

3. Aqueles que pensam estar salvos.

Estes são os que pensam que sua boa vida ou obras de caridade farão com que ganhem favor diante de Deus. No entanto, a Bíblia é clara: “Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou” (Tito 3:5).

Em que categoria você está?

Jim Hyland

Conforto das Escrituras para o Sábado

“Seja a vossa moderação conhecida de todos os homens. Perto está o Senhor.” [1]

A palavra “moderação” carrega o pensamento de racionalidade, consideração, gentileza e tolerância, que nós que conhecemos o Senhor devemos exercitar, porque “perto está o Senhor” [1]. Estamos “aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus” [2], “e todo o que nele tem esta esperança, purifica-se a si mesmo, assim como ele é puro” [3]. Devemos portanto ser “moderados (gentis), mostrando toda a mansidão para com todos os homens” [4], “com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor” [5]. “Sede pois imitadores de Deus, como filhos amados” [6], “porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons, e faz chover sobre justos e injustos” [7]. “Ora eu… vos rogo pela mansidão e benignidade de Cristo” [8] a “considerarmo-nos uns aos outros” [9], e “alegrai-vos com os que se alegram; chorai com os que choram” [10], e “ser brando para com todos, apto para ensinar, paciente; corrigindo com mansidão os que resistem, na esperança de que Deus lhes conceda o arrependimento para conhecerem plenamente a verdade” [11]. “Seja a vossa moderação conhecida de todos os homens” [1], pois “aguardamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo” [12].

Gentis, mansos e tolerantes,
Deus assim quer que seu povo seja,
Olhando para “o que é dos outros”,
Vivendo para a eternidade.

[1] Filipenses 4:5; [2] Tito 2:13; [3] 1 João 3:3; [4] Tito 3:2; [5] Efésios 4:2; [6] Efésios 5:1; [7] Mateus 5:45; [8] 2 Coríntios 10:1; [9] Hebreus 10:24; [10] Romanos 12:15-2; [11] Timóteo 2:24-25; [12] Filipenses 3:20

Diário do Cristão para a Sexta-Feira

Pergunta: Você poderia falar um pouco sobre as declarações do Senhor em Lucas 12:8-9?

Resposta: “Todo aquele que me confessar diante dos homens também o Filho do homem o confessará diante dos anjos de Deus. Mas quem me negar diante dos homens será negado diante dos anjos de Deus.”

A grande questão é: estamos dispostos a confessar a Cristo diante dos homens? Uma coisa é ter Cristo em nossos corações, mas e publicamente? Os discípulos sofreriam oposição depois que o Senhor retornasse ao céu e saíssem pregando o evangelho. Então, Ele dá um encorajamento especial, dizendo-lhes que há uma bênção por confessarem abertamente Seu nome. Saber que haveria uma recomendação no céu os estimularia apesar da perseguição e da reprovação na terra, que o Senhor sabia que eles sofreriam por seus testemunhos.

Portanto, hoje, se estivermos dispostos a confessar Cristo abertamente neste mundo perverso, há uma recomendação especial no céu, e o mesmo poder que estava disponível para os primeiros cristãos no livro de Atos estará disponível para nós hoje. Não sejamos como José de Arimateia, de quem se diz: “era discípulo de Jesus, mas oculto, por medo dos judeus” (João 19:38).

Jim Hyland

Conforto das Escrituras para a Sexta-Feira

“E não é assim que fazem bem as minhas palavras ao que anda retamente?” [1]

“A palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração” [2]. “Porventura a minha palavra não é como o fogo, diz o Senhor, e como um martelo que esmiúça a pedra?” [3] Quem pode medir o valor da Palavra de Deus na vida do cristão? “Quanto ao trato dos homens, pela palavra dos teus lábios me guardei das veredas do destruidor” [4]. “Desviei os meus pés de todo caminho mau, para guardar a tua palavra” [5]. Deus diz aos que são Seus: “Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus” [6]. “O temor do Senhor é limpo, e permanece eternamente; os juízos do Senhor são verdadeiros e justos juntamente. Mais desejáveis são do que o ouro, sim, do que muito ouro fino; e mais doces do que o mel e o licor dos favos. Também por eles é admoestado o teu servo; e em os guardar há grande recompensa” [7]. “Regozijo-me no caminho dos teus testemunhos, tanto como em todas as riquezas. Em teus preceitos medito, e observo os teus caminhos. Deleitar-me-ei nos teus estatutos; não me esquecerei da tua palavra” [8].

A Palavra de Deus dá alegria e paz
Àqueles cujos caminhos Ele dirige,
Limpando, confortando e dando nova força,
E ajuda além do que esperamos.

[1] Miqueias 2:7; [2] Hebreus 4:12; [3] Jeremias 23:29; [4] Salmo 17:4; [5] Salmo 119:101; [6] Efésios 6:17; [7] Salmo 19:9-11; [8] Salmo 119:14-16

Diário do Cristão para a Quinta-Feira

A Coisa Mais Importante

Hoje, em um barco lotado de Parika para Supenaam, em Guiana, notei algumas palavras pintadas em uma viga logo acima da minha cabeça. Dizia o seguinte:

A oração é a coisa mais importante — ORE!

Estávamos atravessando o Rio Essequibo (o terceiro maior rio da América do Sul) em uma lancha de madeira chamada de táxi aquático. Estávamos indo entregar algumas Bíblias e literatura cristã a alguns crentes que haviam do outro lado. As palavras da viga me fizeram sorrir enquanto cortávamos as ondas agitadas e a corrente rápida daquele poderoso rio por mais ou menos quarenta e cinco minutos. O tamanho do barco, o número de pessoas a bordo e as condições do rio pareciam acentuar e dar credibilidade para o que eu pensei ser certamente um lembrete oportuno.

Mas não importa onde estejamos ou em que circunstâncias nos encontremos, a oração é uma parte importante e essencial de nossa vida diária cristã. Somos lembrados: “Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito” (Efésios 6:18). “Orai sem cessar” (1 Tessalonicenses 5:17). ORE!

Jim Hyland