Diário do Cristão para o Domingo

Recordação — Parte 1

“Nós lembraremos o nome do Senhor nosso Deus” (Salmos 20:7, KJV)

Senhor Jesus, em Tua mesa,

Gratos tomamos nosso lugar;

Pois Tu aqui tens convidado,

Pecadores da raça de Adão;

Lavados por Teu sangue, e perdoados —

Nossa justiça é a Tua própria —

Perdoados e aceitos

Em Ti, e em Ti somente.

Te adoramos, Senhor Jesus,

Estando ao Teu nome reunidos;

Reunidos pelo Espírito,

Tua santa presença recebemos;

Um pão e um cálice diante de nós,

Assim lembraremos de Ti;

E em Teus sofrimentos pensaremos,

Na morte sobre o Calvário.

(Continua no próximo dia do Senhor.)

Jim Hyland

Conforto das Escrituras para o Domingo

“Até aqui nos ajudou o Senhor.” [1]

Quando as provas e tribulações chegam para nós e ficamos perplexos, quão fácil é esquecer como Deus se comprometeu por nós em tempos passados de angústia, pois “Ele dá grande livramento” [2]. Assim, “porque tu tens sido o meu auxílio; então, à sombra das tuas asas me regozijarei” [3]. Ele, que tão graciosamente nos ajudou no passado, não mudou. Ele nos lembra que “clamaste na angústia, e te livrei; respondi-te” [4]. Podemos dizer a Ele: “Tens sido um refúgio para mim, e uma torre forte contra o inimigo. Habitarei no teu tabernáculo para sempre; abrigar-me-ei no esconderijo das tuas asas” [5]. “Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e não te esqueças de nenhum de seus benefícios” [6]. “Pois eu dizia na minha pressa: Estou cortado de diante dos teus olhos; não obstante, tu ouviste a voz das minhas súplicas, quando eu a ti clamei” [7]. “Na angústia invoquei ao Senhor, e clamei ao meu Deus… aos seus ouvidos chegou o meu clamor perante a sua face” [8], pois “o Senhor será também um alto refúgio para o oprimido; um alto refúgio em tempos de angústia. Em ti confiarão os que conhecem o teu nome; porque tu, Senhor, nunca desamparaste os que te buscam” [9]. Portanto, agora, na necessidade e aflição presentes, porque “eu confio na tua benignidade, na tua salvação se alegrará o meu coração” [10].

O Senhor sempre foi fiel;
Suas misericórdias são sempre as mesmas;
Ele nunca abandona Seu povo,
Pois “Fiel e Verdadeiro” é o Seu nome.

[1] 1 Samuel 7:12; [2] Salmo 18:50; [3] Salmo 63:7; [4] Salmo 81:7; [5] Salmo 61:3‑4; [6] Salmo 103:2; [7] Salmo 31:22; [8] Salmo 18:6; [9] Salmos 9:9-10; [10] Salmo 13:5

Diário do Cristão para o Sábado

Resposta

“Como escaparemos nós, se negligenciarmos uma tão grande salvação” (Hebreus 2:3, KJV)?

Há várias maneiras pelas quais as pessoas, jovens e idosos, podem responder à mensagem do evangelho. Para aqueles que a rejeitam, alertamos: “Em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos” (Atos 4:12).

Há, também, aqueles que negligenciam a salvação que Deus oferece. Eles são completamente indiferentes a ela, e, de acordo com nosso versículo, não escaparão da condenação eterna no Lago de Fogo. Se alguma alma não salva estiver lendo estas palavras (ou ouvindo alguém lendo-as para você), nós te imploramos: não rejeite nem negligencie a oferta de salvação de Deus, mas receba-a através de nosso Senhor Jesus Cristo, antes que seja tarde demais.

O carcereiro em Filipos fez a seguinte pergunta: “Que é necessário que eu faça para me salvar?” Quando lhe disseram: “Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo”, “na sua crença em Deus, alegrou-se” (Atos 16:30-31,34).

Não negligencie nem rejeite essa salvação! Aceite-a! É isso o que garante uma vida feliz agora e um futuro seguro para a eternidade.

Jim Hyland

Conforto das Escrituras para o Sábado

“O Senhor é o meu rochedo” [1]

Uma rocha fala de força e estabilidade, de abrigo e segurança, e o Senhor é tudo isso para Seu povo. “Tirou-me dum lago horrível, dum charco de lodo, pôs os meus pés sobre uma rocha, firmou os meus passos” [2]. Nosso Senhor falou de um “homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha; e desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha” [3]. Ele se manteve no próprio Senhor, pois “Ele é a Rocha, cuja obra é perfeita, porque todos os seus caminhos justos são; Deus é a verdade, e não há nele injustiça; justo e reto é” [4]. Assim podemos confiantemente orar: “Sê a minha firme rocha, uma casa fortíssima que me salve. Porque tu és a minha rocha e a minha fortaleza; assim, por amor do teu nome, guia-me e encaminha-me” [5]. “Quando o meu coração estiver desmaiado, leva-me para a rocha que é mais alta do que eu” [6], pois “só ele é a minha rocha e a minha salvação; é a minha defesa; não serei abalado” [7]. Ele é “a minha defesa; e o meu Deus é a rocha do meu refúgio” [8]. Ele é “como a sombra de uma grande rocha em terra sedenta” [9], e “no dia da adversidade me esconderá no seu pavilhão; no oculto do seu tabernáculo me esconderá; pôr-me-á sobre uma rocha” [10]. “O caminho de Deus é perfeito… E quem é rochedo senão o nosso Deus?” [11]

Uma Rocha firme e verdadeira é meu Senhor,
Pois Ele nunca retém Sua graça,
Assim confiarei nEle neste momento,
Mesmo que Sua resposta demore a vir.

[1] Salmo 18:2; [2] Salmos 40:1-2; [3] Mateus 7:24-25; [4] Deuteronômio 32:4; [5] Salmo 31:2‑3; [6] Salmo 61:2; [7] Salmos 62:6; [8] Salmo 94:22; [9] Isaías 32:2; [10] Salmo 27:5; [11] Salmo 18:30-31