Diário do Cristão para o Sábado

Redimidos

Em uma noite, em uma pregação do evangelho, cantamos um velho hino que eu já não cantava há algum tempo. Ele foi escrito por James Martin Gray (11 de maio de 1851 – 21 de setembro de 1935).

Este é a primeira estrofe:

Nem prata nem ouro obtiveram minha redenção;

Nenhuma riqueza da terra poderia ter salvo minha pobre alma.

O sangue da cruz é meu único fundamento;

A morte do meu Salvador agora me faz completo.

Refrão:

Fui resgatado, mas não com prata;

Fui comprado, mas não com ouro;

Comprado por bom breço — o sangue de Jesus,

Um preço precioso de inefável amor.

Estou certo de que o autor estava pensando na passagem: “Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver… mas com precioso sangue, como de um cordeiro sem defeito e sem mancha, o sangue de Cristo” (1 Pedro 1:18,19).

Isto me fez grato pelo fato de que minha redenção não é baseada em algo que muda de valor, mas naquilo que é eternamente precioso para o coração de Deus. Você já obteve essa redenção através da fé no Senhor Jesus Cristo?

Jim Hyland

Conforto das Escrituras para o Sábado

“Sabemos que, se a nossa casa terrestre deste tabernáculo se desfizer, temos de Deus um edifício, uma casa não feita por mãos, eterna, nos céus” [1]

Vivemos em uma morada temporária, uma tenda, sujeita a ser derrubada, pois todos vivemos em corpos mortais condenados à morte física, e “neste tabernáculo nós gememos, desejando muito ser revestidos da nossa habitação que é do céu” [2]. Sabemos que “nossa casa terrestre deste tabernáculo” [1], o corpo, é apenas a morada para o espírito, e para aqueles de nós que conhecemos Cristo como Salvador, “estar ausentes deste corpo” é “estarmos presentes com o Senhor” [3], e que “estar com Cristo… é ainda muito melhor” [4]. Assim a morte para o crente é apenas a entrada para a presença do Senhor, e “na tua presença há plenitude de alegria; à tua mão direita há delícias perpetuamente” [5]. Enquanto isso, “nós, os que estamos neste tabernáculo, gememos oprimidos, porque não queremos ser despidos, mas sim revestidos, para que o mortal seja absorvido pela vida” [6]. Enquanto estivermos “desejando antes estar ausentes deste corpo, para estarmos presentes com o Senhor” [7], estamos “desejando muito ser revestidos da nossa habitação que é do céu” [8]. Dia a dia, “aguardamos um Salvador, o Senhor Jesus Cristo, que transformará o corpo da nossa humilhação, para ser conforme ao corpo da sua glória” [9].

“Estar ausentes deste corpo”
É “estarmos presentes com o Senhor”,
Onde há a Sua “plenitude de alegria”,
Com total concordância e harmonia.

[1] 2 Coríntios 5:1; [2] 2 Coríntios 5:2; [3] 2 Coríntios 5:8; [4] Filipenses 1:23; [5] Salmo 16:11; [6] 2 Coríntios 5:4; [7] 2 Coríntios 5:8; [8] 2 Coríntios 5:2; [9] Filipenses 3:20‑21

Diário do Cristão para a Sexta-Feira

Pergunta: Você pode explicar por que o Espírito é chamado de Consolador? “E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre” (João 14:16).

Resposta: Deus atende às nossas necessidades presentes, e nos ministra a Cristo através da operação do Espírito Santo, que foi enviado no dia de Pentecostes. Portanto, o Espírito é chamado de Consolador porque era a consolação (conforto) que os discípulos precisavam naquela ocasião. Seus corações estavam atribulados e temerosos pelo pensamento do Senhor deixá-los no mundo e retornar ao céu. Mas Ele lhes diz: “Não vos deixarei órfãos” (João 14:18).

Ele também se refere ao Espírito como “outro Consolador”. O Senhor tinha sido o Consolador e supridor das necessidades deles enquanto estavam com Ele. Quando precisavam de consolação, eles podiam ir direto a Ele. Mas, agora que Ele estaria retornando para o céu e fisicamente ausente deles, Ele enviaria “outro”. O Consolador nunca nos deixará. Como indica nosso versículo: “Para que fique convosco para sempre”. Enquanto estivermos aqui neste mundo, o Espírito trará Cristo diante de nós de acordo com a nossa necessidade.

Gostaríamos muito de ouvir de você.

Envie seus comentários e perguntas para jhyland1959@gmail.com

Jim Hyland

Conforto das Escrituras para a Sexta-Feira

“Guarda com toda a diligência o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida” [1]

Aquilo que nossas vidas resultam vêm de nossos corações, pois “do que há em abundância no coração, disso fala a boca. O homem bom, do seu bom tesouro tira coisas boas, e o homem mau do mau tesouro tira coisas más” [2]. Quanto à nossa salvação, somos “pelo poder de Deus… guardados, mediante a fé, para a salvação que está preparada para se revelar no último tempo” [3], e somos “guardados (preservados) em Jesus Cristo” [4]. Mas somos pessoalmente responsáveis por guardar nossas vidas diárias, e por guardar as ações de nossas almas. Assim nos é dito: “Guarda com toda a diligência o teu coração” [1] e “conservai-vos no amor de Deus” [5]. Além disso, nos é dito: “Guarda a tua língua do mal, e os teus lábios de falarem dolosamente” [6] e “Conserva-te a ti mesmo puro” [7]. E mais ainda, “guarda o bom depósito com o auxílio do Espírito Santo, que habita em nós” [8], pois somente o Espírito Santo pode nos capacitar a manter e guardar todas essas coisas das quais a Palavra de Deus nos fala, pois é guardando a Palavra que somos assim capacitados. “Bem-aventurados os que ouvem a palavra de Deus, e a observam” [9]. “Pela palavra dos teus lábios eu me tenho guardado dos caminhos do homem violento” [10]. “Os que sofrem segundo a vontade de Deus confiem as suas almas ao fiel Criador, praticando o bem” [11].

Guarda teus lábios e teus pés a cada dia,
Guarde-os para a glória de Deus,
Que é fiel para cingir e guiar,
Pelas promessas de Sua Palavra.

[1] Provérbios 4:23; [2] Mateus 12:34-35; [3] 1 Pedro 1:5; [4] Judas 1; [5] Judas 21; [6] Salmo 34:13; [7] 1 Timóteo 5:22; [8] 2 Timóteo 1:14; [9] Lucas 11:28; [10] Salmo 17:4; [11] 1 Pedro 4:19

Diário do Cristão para a Quinta-Feira

O Tempo de Angústia

“E invoca-me no dia da angústia; eu te livrarei, e tu me glorificarás” (Salmos 50:15).

Aqui estão quatro declarações que são boas para falarmos, em nossos corações, quando nos encontramos em tempos de angústia:

Primeiro: Ele me trouxe aqui; é pela vontade dEle que estou nesta posição difícil; nisso eu descansarei.

Em seguida: Ele aqui me manterá em Seu amor, e me dará graça nessa provação para eu poder me comportar como Seu filho.

Depois: Ele fará dessa provação uma bênção — ensinando-me as lições que Ele quer que eu aprenda, e operando em mim a graça que Ele pretende para mim.

Por último: No Seu bom tempo, Ele pode me tirar dessa situação — como e quando, apenas ELE SABE.

Em resumo, diga EU ESTOU AQUI:

  1. Pelo desígnio de Deus;
  2. Sendo guardado por Ele;
  3. Sob o Seu treinamento;
  4. Para o Seu tempo.

E lembre-se: “No dia da adversidade me esconderá no seu pavilhão; no oculto do seu tabernáculo me esconderá; pôr-me-á sobre uma rocha” (Salmos 27:5).

(Adaptado de A. Murray.)

Conforto das Escrituras para a Quinta-Feira

“Não nos pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus, o Senhor; e nós mesmos somos vossos servos por amor de Jesus” [1]

É triste dizer, mas nem todos os cristãos podem dizer em todos os momentos que “não nos pregamos a nós mesmos”, pois alguns se proclamam a si mesmos em alto e bom som. Ouça alguns que falam de sua fidelidade na frequência à igreja, de sua doações de dinheiro para a obra do Senhor, ou até mesmo de sua fidelidade no testemunho. Ouça alguns pregadores falarem de sua ampla esfera de utilidade, dos lugares onde já falaram, ou mesmo de seu sucesso ganhando almas. Ou ouça alguns dentre o povo de Deus falando de quão espirituais eles são. Quão desonroso é para nosso Senhor tal proclamação de si mesmo, pois “requer-se dos despenseiros que cada um se ache fiel” [2], e “quando fizerdes tudo o que vos for mandado, dizei: Somos servos inúteis, porque fizemos somente o que devíamos fazer” [3]. Se algum serviço foi feito para a glória de nosso Senhor, é porque Ele assim o capacitou, “porque, quem te faz diferente? E que tens tu que não tenhas recebido? E, se o recebeste, por que te glorias, como se não o houveras recebido?” [4] Em vez de proclamarmos a nós mesmos e às nossas obras, nossa atitude contínua deveria ser: “me abomino e me arrependo no pó e na cinza” [5], pois “não sou digno da menor de todas as tuas beneficências e de toda a fidelidade que tens usado para com teu servo” [6].

Poeira e cinzas, sozinho, eu sou,
Nada para me recomendar a Deus;
Apenas Sua graça me procurou,
Com misericórdia em vez de Sua vara.

[1] 2 Coríntios 4:5; [2] 1 Coríntios 4:2; [3] Lucas 17:10; [4] 1 Coríntios 4:7; [5] Jó 42:6; [6] Gênesis 32:10

Diário do Cristão para a Quarta-Feira

Leitura Mensal das Escrituras

Judas

¹ Judas, servo de Jesus Cristo, e irmão de Tiago, aos chamados, santificados em Deus Pai, e conservados por Jesus Cristo:

² Misericórdia, e paz, e amor vos sejam multiplicados.

³ Amados, procurando eu escrever-vos com toda a diligência acerca da salvação comum, tive por necessidade escrever-vos, e exortar-vos a batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos.

⁴ Porque se introduziram alguns, que já antes estavam escritos para este mesmo juízo, homens ímpios, que convertem em dissolução a graça de Deus, e negam a Deus, único dominador e Senhor nosso, Jesus Cristo.

⁵ Mas quero lembrar-vos, como a quem já uma vez soube isto, que, havendo o Senhor salvo um povo, tirando-o da terra do Egito, destruiu depois os que não creram;

⁶ E aos anjos que não guardaram o seu principado, mas deixaram a sua própria habitação, reservou na escuridão e em prisões eternas até ao juízo daquele grande dia;

Diário do Cristão para a Quarta-Feira

Dando Fruto

Uma árvore frutífera não luta para se controlar de modo a produzir fruto. Uma macieira não se esforça para produzir maçãs, ou uma pereira para produzir peras. Não, ela fica lá parada e quieta no pomar. Ela espalha seus galhos e folhas em função do calor da luz solar, do ar e da chuva. Ela enterra suas raízes profundamente no solo para que possa ser nutrida. Então, se é uma árvore boa, dá fruto.

Assim é com o cristão. Se devemos dar fruto para Deus, devemos enterrar nossas raízes profundamente no amor de Deus, bebendo da água nutritiva, do ar e da luz solar de Sua Palavra no poder de Seu Espírito.

O Senhor disse aos Seus discípulos: “Estai (permanecei) em mim, e eu em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim” (João 15:4). É assim que o crente pode e irá, em quietude, produzir fruto para Deus em seu dia-a-dia. Ele quer que produzamos “muito fruto” (João 15:5). Ele disse aos Seus discípulos, e isso também se aplica a nós: “Vós não me escolhestes a mim mas eu vos escolhi a vós, e vos designei, para que vades e deis frutos, e o vosso fruto permaneça” (João 15:16).

Jim Hyland

Conforto das Escrituras para a Quarta-Feira

“Porque cumprirá o que está ordenado a meu respeito, e muitas coisas como estas ainda tem consigo” [1]

Que nós, que buscamos andar com o Senhor, nunca nos esqueçamos da verdade expressa no versículo acima. A maneira certa de viver não é por nosso próprio planejamento e esquemas, mas por simples fé nEle, que diz: “Eu bem sei os pensamentos que tenho a vosso respeito, diz o Senhor; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que esperais” [2]. Por mais adversas que sejam as circunstâncias que nos envolvam, podemos descansar assegurados que “Ele sabe o meu caminho; provando-me Ele, sairei como o ouro” [3], pois “o Senhor é a porção da minha herança e do meu cálice; Tu sustentas a minha sorte. As linhas caem-me em lugares deliciosos: sim, coube-me uma formosa herança” [4]. Podemos confiar nEle para nos liderar e guiar, pois Ele “guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome” [5]. “Guiar-me-ás com o teu conselho, e depois me receberás na glória… A minha carne e o meu coração desfalecem; mas Deus é a fortaleza do meu coração, e a minha porção para sempre” [6, 7]. “A porção do Senhor é o seu povo” [8]. “A ti, ó Senhor, clamei; eu disse: Tu és o meu refúgio, e a minha porção na terra dos viventes” [9], pois “o Senhor é a minha porção; eu disse que observaria as tuas palavras” [10].

O Senhor é a porção do meu cálice;
Ele é minha porção para sempre,
Se o sol brilhar ou escurecer,
Não pode minh’alma dEle se separar.

[1] Jó 23:14; [2] Jeremias 29:11; [3] Jó 23:10; [4] Salmo 16:5‑6; [5] Salmo 23:3; [6] Salmo 73:24; [7] Salmo 73:26; [8] Deuteronômio 32:9; [9] Salmo 142:5; [10] Salmo 119:57

Diário do Cristão para a Segunda-Feira

Caro Cristão:

“Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional” (Romanos 12:1).

Será que você é daqueles que fazem apenas o mínimo — simplesmente o que é esperado de você, e nada mais? Você não costuma ir além do esperado? Como será quando você estiver diante do Senhor? Terá você saído de seu caminho normal para servi-Lo ao ajudar um amigo crente, ao ajudar com o alcance do evangelho, ou por geralmente estar disponível para o Seu serviço, o que quer que Ele tenha para você fazer? Ele elogiará você por ser “fervoroso no espírito, servindo ao Senhor”? (Romanos 12:11)

Ao começarmos mais uma semana de vida cristã, pensemos seriamente sobre nos entregarmos de todo o coração ao Senhor e ao Seu serviço. “Assim também vós, quando fizerdes tudo o que vos for mandado, dizei: Somos servos inúteis, porque fizemos somente o que devíamos fazer” (Lucas 17:10).

Seu Amigo Cristão,

Jim Hyland