Diário do Jovem Cristão para a Quarta-Feira

A Grande Vitória de Jacó — Parte 1

“Jacó, porém, ficou só; e lutou com ele um homem, até que a alva subiu. E vendo este que não prevalecia contra ele, tocou a juntura de sua coxa, e se deslocou a juntura da coxa de Jacó, lutando com ele. E disse: Deixa-me ir, porque já a alva subiu. Porém ele disse: Não te deixarei ir, se não me abençoares.” (Gênesis 32:24-26)

Há momentos em nossa vida em que, assim como Jacó, somos deixados sozinhos com o Senhor. Esses, muitas vezes, são tempos em que o Senhor deseja nos dizer algo em segredo ou nos ensinar alguma lição especial. Nesse incidente na vida de Jacó, o encontramos sozinho e lutando com “um homem”. Note que não foi apenas por alguns minutos, mas levou até o amanhecer. Jacó colocou toda sua força nessa luta, com todas as suas capacidades naturais e conhecimento humano de luta. E não se engane, ele mostrou ao homem que era um lutador forte. Quando o homem disse: “Deixa-me ir”, Jacó o reconheceu como o Senhor e pediu-Lhe uma bênção. No entanto, a bênção não podia ser dada sem que Ele tocasse a juntura de sua coxa. Assim é em nossa vida. O Senhor deve permitir que algo nos mostre nossa própria fraqueza antes de podermos confiar inteiramente em Seu poder.

Conforto das Escrituras para a Quarta-Feira

“Tal ciência é para mim maravilhosíssima; tão alta que não a posso atingir.” [1]

“Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos!” [2] “Porventura alcançarás os caminhos de Deus, ou chegarás à perfeição do Todo-Poderoso? Como as alturas dos céus é a sua sabedoria; que poderás tu fazer? É mais profunda do que o inferno, que poderás tu saber?” [3] Paulo escreveu: “A mim, o mínimo de todos os santos, me foi dada esta graça de anunciar entre os gentios, por meio do evangelho, as riquezas incompreensíveis de Cristo” [4], enquanto o amigo de Jó, Elifaz, disse: “Porém eu buscaria a Deus; e a ele entregaria a minha causa. Ele faz coisas grandes e inescrutáveis, e maravilhas sem número” [5]. “Maior é Deus do que o homem. Por que razão contendes com ele, sendo que não responde acerca de todos os seus feitos?” [6] “Eis que Deus é grande, e nós não o compreendemos, e o número dos seus anos não se pode esquadrinhar” [7]. “Quanto ao Todo-Poderoso, não o podemos compreender; grande é em poder e justiça e pleno de retidão; a ninguém, pois, oprimirá” [8]. Deus deseja que sejamos capazes de “perfeitamente compreender, com todos os santos, qual seja a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade, e conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento, para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus” [9].

Os caminhos de Deus são inescrutáveis,
Mas sempre em amor e graça
Para com aqueles que Ele com sangue redimiu;
Nesses caminhos confiamos, embora não os possamos traçar.

[1] Salmos 139:6; [2] Romanos 11:33; [3] Jó 11:7-8; [4] Efésios 3:8; [5] Jó 5:8‑9; [6] Jó 33:12‑13; [7] Jó 36:26; [8] Jó 37:23; [9] Efésios 3:18-19

Conforto das Escrituras para a Terça-Feira

“Acharam-se as tuas palavras, e eu as comi; e as tuas palavras eram para mim o gozo e alegria do meu coração; pois levo o teu nome, ó Senhor Deus dos exércitos.” [1]

“Regozijo-me com a tua palavra, como quem acha grande despojo” [2], e “os teus testemunhos são a minha herança para sempre, pois são eles o gozo do meu coração” [3]. “Regozijo-me no caminho dos teus testemunhos, tanto como em todas as riquezas” [4]. “Lâmpada para os meus pés é a tua palavra, e luz para o meu caminho” [5], “porque o mandamento é uma lâmpada, e a instrução uma luz; e as repreensões da disciplina são o caminho da vida” [6]. “Apega-te, pois, a Deus, e tem paz, e assim te sobrevirá o bem” [7]. “Nunca me apartei do preceito dos seus lábios, e escondi no meu peito as palavras da sua boca” [8]. Assim “deleitar-me-ei em teus mandamentos, que eu amo. Também levantarei as minhas mãos para os teus mandamentos, que amo, e meditarei nos teus estatutos” [9]. “Os preceitos do Senhor são retos, e alegram o coração; o mandamento do Senhor é puro, e alumia os olhos… Mais desejáveis são do que o ouro, sim, do que muito ouro fino; e mais doces do que o mel e o que goteja dos favos… Por eles o teu servo é advertido; e em os guardar há grande recompensa” [10, 11].

A Palavra de Deus é doce e preciosa
Para aqueles que amam o Senhor;
Nada na terra pode se comparar
À própria santa Palavra de Deus.

[1] Jeremias 15:16; [2] Salmo 119:162; [3] Salmo 119:111; [4] Salmo 119:14; [5] Salmo 119:105; [6] Provérbios 6:23; [7] Jó 22:21; [8] Jó 23:12; [9] Salmo 119:47-48; [10] Salmo 19:8; [11] Salmo 19:10-11

Diário do Jovem Cristão para a Segunda-Feira

Para cristãos de todas as idades…

Hoje minha esposa e eu estamos hospedados em um lar cristão em Duffel, na Bélgica. Quando saímos pela porta da frente para dar um passeio esta tarde, vimos um lema no lado de dentro da porta que diz:

Senhor, ajude-nos a manter nossos olhos em você,
onde quer que formos, o que quer fizermos.

Que boa oração para ser feita cada vez que saímos de casa. No mundo há muito para nos distrair e desviar nossa atenção do Senhor Jesus. Toda vez que saímos, precisamos ser lembrados de que, não importa o que mais façamos, é essencial que permaneçamos com nosso foco Nele. “Olhando para Jesus” (Hebreus 12:2), é um bom preceito a se manter diante de nós em todos os momentos.

Que possamos dizer, como Davi, “tenho colocado o Senhor sempre diante de mim” (Salmos 16:8) e fazer como o profeta Miquéias, que disse: “Portanto, olharei para o Senhor” (Miquéias 7:7).

Conforto das Escrituras para a Segunda-Feira

“Conserva-te a ti mesmo puro.” [1]

“Alimpai-vos, pois, do fermento velho, para que sejais uma nova massa, assim como estais sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós. Por isso façamos a festa, não com o fermento velho, nem com o fermento da maldade e da malícia, mas com os ázimos da sinceridade e da verdade” [2]. “A graça salvadora de Deus se há manifestado a todos os homens, ensinando-nos que, renunciando à impiedade e às concupiscências mundanas, vivamos neste presente século sóbria, e justa, e piamente, aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Senhor Jesus Cristo; o qual se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniquidade, e purificar para si um povo seu especial, zeloso de boas obras” [3]. “Como filhos obedientes, não vos conformando com as concupiscências que antes havia em vossa ignorância; mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver; porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo” [4]. “SENHOR, quem habitará no teu tabernáculo? Quem morará no teu santo monte? Aquele que anda sinceramente, e pratica a justiça, e fala a verdade no seu coração” [5]. “De sorte que, se alguém se purificar destas coisas, será vaso para honra, santificado e idôneo para uso do Senhor, e preparado para toda a boa obra” [6].

Puro e reto por Seu poder,
Assim eu seria por Sua graça,
Evitando tudo o que dEle me afasta,
Tudo o que rebaixaria Seu nome.

[1] 1 Timóteo 5:22; [2] 1 Coríntios 5:7‑8; [3] Tito 2:11‑14; [4] 1 Pedro 1:14‑16; [5] Salmo 15:1‑2; [6] 2 Timóteo 2:21

Conforto das Escrituras para o Domingo

“O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.” [1]

O amor genuíno é sofredor e benigno. É benigno em tempos em que há sofrimento, pois o amor genuíno no coração do cristão é “o amor de Deus… derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado” [2]; é o “amor no Espírito” [3]. O amor de Deus, embora testado, provado e pisoteado pelos homens, ainda é tanto sofredor quanto benigno, pois “ele é benigno até para com os ingratos e maus” [4], “ele é misericordioso, e compassivo, e tardio em irar-se, e grande em benignidade” [5]. “És Deus compassivo e misericordioso, longânimo e grande em benignidade” [6]. “Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados; e andai em amor, como também Cristo vos amou, e se entregou a si mesmo por nós” [7], e “sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo” [8], “com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor” [9]. Somos chamados para manifestar nosso Senhor aos outros “na pureza, na ciência, na longanimidade, na benignidade, no Espírito Santo, no amor não fingido” [10]. “Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros” [11].

Devemos longânimos ser,
E benignos enquanto aqui estamos;
É preciso a graça de Deus para isso;
Somente Ele pode nos ajudar.

[1] 1 Coríntios 13:4; [2] Romanos 5:5; [3] Colossenses 1:8; [4] Lucas 6:35; [5] Joel 2:13; [6] Jonas 4:2; [7] Efésios 5:1‑2; [8] Efésios 4:32; [9] Efésios 4:2; [10] 2 Coríntios 6:6; [11] Romanos 12:10

Diário do Jovem Cristão para a Sexta-Feira

Sabedoria

“Se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e o não lança em rosto, e ser-lhe-á dada.” (Tiago 1:5)

O homem moderno é bem descrito como aqueles que “que aprendem sempre, e nunca podem chegar ao conhecimento da verdade” (2 Timóteo 3:7). O motivo simples para isso é que ele busca por conhecimento e entendimento nos lugares errados. Pesquisando através de seu próprio intelecto sem o conhecimento do verdadeiro Deus, recusando as reivindicações dEle, e rejeitando Sua Palavra viva. Como resultado, o homem é deixado com seu raciocínio humano e um falso senso de sabedoria e entendimento. Alguém disse bem: “Temos educação sem verdade”. “Porque a sabedoria deste mundo é loucura [tolice] diante de Deus” (1 Coríntios 3:19).

Jó desejava a verdadeira fonte, tanto da sabedoria quanto do entendimento, e levantou a questão: “Donde, pois, vem a sabedoria, e onde está o lugar da inteligência?” (Jó 28:20) Um momento depois ele responde a pergunta, dizendo: “Eis que o temor do Senhor é a sabedoria, e apartar-se do mal é a inteligência” (vers. 28). Você, como Jó, tem o mesmo desejo?

Conforto das Escrituras para a Sexta-Feira

“Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.” [1]

Podemos olhar para trás com gratidão por tempos de bênçãos vindas do Senhor, e devemos considerar “quão grandiosas coisas vos fez” [2], e “não te esqueças de nenhum de seus benefícios” [3], mas as bênçãos e a comunhão de ontem não são suficientes para hoje. Assim como o maná de Israel no deserto, nossa comunhão e nosso andar com o Senhor deve ser mantido diariamente. “Eles, pois, o colhiam cada manhã, cada um conforme ao que podia comer” [4], e Deus os instruiu: “Ninguém deixe dele para amanhã” [5]. Assim como nossa parte física deve ser mantida pela alimentação constante, é o mesmo com nossa parte espiritual. Precisamos constantemente “esquecer das coisas que atrás ficam” [1], não apenas nossos pecados e falhas, mas também os sucessos e realizações espirituais, e “avançarmos para as que estão diante de nós”, a fim de “prosseguirmos para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus” [1], “olhando para Jesus, autor e consumador da fé” [6], confiando que “a nossa força seja como os nossos dias” [7].

Esquecendo nossos pecados e falhas,
Que no dia de ontem foram feitos,
Esperando por novas alturas em nosso Senhor
Em tudo o que fizermos e dissermos.

[1] Filipenses 3:13-14; [2] 1 Samuel 12:24; [3] Salmo 103:2; [4] Êxodo 16:21; [5] Êxodo 16:19; [6] Hebreus 12:2; [7] Deuteronômio 33:25

Conforto das Escrituras para a Quinta-Feira

“Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á” [1]

“Porque”, continuou nosso Senhor, “aquele que pede, recebe; e, o que busca, encontra; e, ao que bate, abrir-se-lhe-á” [2]. E enquanto nosso Senhor falava de pedir, buscar e bater em oração, o princípio se aplica a todas as áreas de nossa vida cristã. A vida espiritual que é nossa em Cristo não é passiva; devemos, sim, nos esforçarmos diligentemente. É uma bendita verdade que “já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim” [3]. Mas em vista disso, temos uma responsabilidade correspondente. “Se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra” [4]. “Buscai ao Senhor, vós todos os mansos da terra… buscai a justiça, buscai a mansidão” [5]. “Buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” [6]. Então “segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a paciência, a mansidão. Milita a boa milícia da fé, toma posse da vida eterna, para a qual também foste chamado” [7].

Segue o Senhor com todo o teu coração;
Busque Sua face dia após dia,
Teu coração cheio de expectativa,
Nele confiando ao longo da vida.

[1] Mateus 7:7; [2] Mateus 7:8; [3] Gálatas 2:20; [4] Colossenses 3:1‑2; [5] Sofonias 2:3; [6] Mateus 6:33; [7] 1 Timóteo 6:11‑12