Diário do Jovem Cristão para o Domingo

A Cruz

“Para que a cruz de Cristo se não faça vã” (1 Coríntios 1:17).

Alguns anos atrás, na Escócia, uma pessoa comprou uma casa bonita e espaçosa. O dono anterior era um cristão e tinha cultivado o jardim da frente em forma de uma grande cruz. Com o passar das semanas, o novo dono percebeu que o contorno da cruz começava a perder o formato e logo ficou muito difícil de reconhecer. Nada havia acontecido, exceto que as ervas daninhas e os tufos de grama estavam surgindo e apagando a cruz.

Que possamos ter o cuidado de não deixarmos que as ervas daninhas do pecado e da indiferença apaguem ou encubram a cruz de Cristo de nossos pensamentos e corações hoje. Se houve coisas assim em nossa vida durante a semana que se passou, que possamos confessá-las para que não haja nada em nossa consciência que obscureça ou estrague nossa meditação de Cristo e Sua obra expiatória no Calvário.

A oração do apóstolo Paulo era: “Mas longe esteja de mim gloriar-me, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo” (Gálatas 6:14).

Conforto das Escrituras para o Domingo

“Bem-aventurados os que não viram e creram.” [1]

Nem sempre somos capazes de ver como Deus trabalha nas vidas de Seus filhos. Não conhecemos Seus desígnios nem podemos traçar Seus movimentos, “porque andamos por fé, e não por vista” [2]. E o Senhor nos diz, como fez com Pedro: “O que eu faço não o sabes tu agora, mas tu o saberás depois” [3]. Mas em meio a todas as provações e pressões da vida sabemos, pela fé, que “o caminho de Deus é perfeito; a palavra do Senhor é provada; é um escudo para todos os que nele confiam… Deus é o que me cinge de força e aperfeiçoa o meu caminho” [4, 5]. Se, assim como Asafe, temos de dizer que “todo o dia tenho sido afligido, e castigado cada manhã” [6], ainda assim Sua palavra para nós é: “Eu, o Senhor teu Deus, te tomo pela tua mão direita; e te digo: Não temas, eu te ajudo” [7]. Agora “tivemos nossos pais segundo a carne, para nos corrigirem… como bem lhes parecia; mas este, para nosso proveito, para sermos participantes da sua santidade. E, na verdade, toda a correção, ao presente, não parece ser de gozo, senão de tristeza, mas depois produz um fruto pacífico de justiça nos exercitados por ela” [8]. Assim, “em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados” [9], pois “não vimos e cremos” [1].

Não podemos traçar os caminhos de Deus,
Enquanto Ele trabalha em nós a cada momento
Para trazer a Sua imagem em nossa vida,
E para nos encher com Seu poder.

[1] João 20:29; [2] 2 Coríntios 5:7; [3] João 13:7; [4] Salmo 18:30; [5] Salmo 18:32; [6] Salmo 73:14; [7] Isaías 41:13; [8] Hebreus 12:9-11; [9] 2 Coríntios 4:8

Diário do Jovem Cristão para o Sábado

A Teia

Lentamente, cuidadosamente, e com grande precisão, a aranha tece sua teia. Até o outro lado do caminho, de galho em galho, no canto da vidraça ou do teto, encima da mobília, etc. De fio em fio, a forte, bonita e mortal armadilha é estrategicamente construída. Logo a insuspeita mosca ou inseto fica presa e se torna irremediavelmente enroscada. A vítima é destruída, e a aranha consegue uma boa refeição.

É assim também com nosso inimigo, Satanás. Ele coloca suas armadilhas com todo cuidado. Bem no meio de nosso caminho, onde certamente seremos tentados a ceder aos seus artifícios. Ele as faz tão atrativas, tão sedutoras, tão encantadoras. No entanto, seu objetivo é sempre o mesmo… MORTE E DESTRUIÇÃO! Ele deseja arrastar o incrédulo para o inferno, e estragar a alegria e testemunho do crente. Satanás não é nosso amigo! “O diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar” (1 Pedro 5:8).

Por outro lado, Jesus deseja nos salvar e então nos preservar dos vícios de nosso inimigo, para Sua glória. Ele disse: “O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância” (João 10:10).

Conforto das Escrituras para o Sábado

“Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus” [1]

O tão aguardado Messias e Rei tinha vindo a Israel, “aquele que é nascido rei dos judeus” [2]. Após Seu batismo por João, quando Deus tinha falado dos céus, declarando que “este é o meu Filho amado, em quem me comprazo” [3], e depois de Ele ter sido “conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo” [4], sobre quem Ele saiu completamente vitorioso, “começou Jesus a pregar, e a dizer: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus” [5]. O Rei estava ali, pronto para estabelecer Seu reino. Tristemente, “veio para o que era seu, e os seus não o receberam” [6]. Apenas quando Ele voltar “então se assentará no trono da sua glória” [7]. Mas quando Ele anunciou que “é chegado o reino dos céus” [5], Ele também anunciou, no Sermão da Montanha, a constituição e os princípios do reino. Um desses princípios é: “Bem-aventurados os pobres de espírito” [1]. Isto é sempre verdade, em qualquer época, e é verdade para nós hoje. “Assim diz o Alto e o Sublime, que habita na eternidade, e cujo nome é Santo: Num alto e santo lugar habito; como também com o contrito e abatido de espírito, para vivificar o espírito dos abatidos, e para vivificar o coração dos contritos” [8]. Sempre, “perto está o Senhor dos que têm o coração quebrantado, e salva os contritos de espírito” [9].

Sendo humildes e contritos diante dEle
Sempre para nós haverá bênçãos;
Ele se deleita quando nEle confiamos
E descansamos nEle quando Ele diz.

[1] Mateus 5:3; [2] Mateus 2:2; [3] Mateus 3:17; [4] Mateus 4:1; [5] Mateus 4:17; [6] João 1:11; [7] Mateus 25:31; [8] Isaías 57:15; [9] Salmos 34:18

Conforto das Escrituras para a Sexta-Feira

“E dará à luz um filho e chamarás o seu nome JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados.” [1]

“Jesus” é o nome de nosso Senhor como um homem, o nome que Ele tomou quando se fez carne. E tendo entregue Sua vida por nós, para que pudesse voltar a tomá-la, e tendo subido de volta ao Pai, Ele agora leva esse nome em glória, como um homem glorificado. “Vemos, porém, coroado de glória e de honra aquele Jesus que fora feito um pouco menor do que os anjos, por causa da paixão da morte, para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todos” [2]. Ele está lá em glória como o homem glorificado, e nos é dito para estarmos “olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus” [3]. Porque Ele, “achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome;  para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, e toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai” [4]. “E esperar dos céus o seu Filho, a quem ressuscitou dentre os mortos, a saber, Jesus, que nos livra da ira futura” [5].

Humildemente nos curvamos diante dEle,
Jesus, o Filho de Deus,
Que levou nossos pecados no Calvário,
Suportando por nós a vara de Deus.

[1] Mateus 1:21; [2] Hebreus 2:9; [3] Hebreus 12:2; [4] Filipenses 2:8-11; [5] 1 Tessalonicenses 1:10

Diário do Jovem Cristão para a Quinta-Feira

Continuar

A vida cristã é uma vida de continuidade. É preciso exercício constante e perseverança para viver para o Senhor diariamente. Aqui estão sete exortações para continuar naquilo que nos foi fornecido por Deus, por e através do Senhor Jesus Cristo:

“Continuem no meu amor” (João 15:9 – KJV).

“Continuem na sua bondade” (Romanos 11:22 – KJV).

“Continuem na fé” (Atos 14:22 – KJV).

“Continuem na graça de Deus” (Atos 13:43 – KJV).

“Continuem na minha palavra” (João 8:31 – KJV).

“Continuem em oração” (Colossenses 4:2 – KJV).

“Continuem no Filho” (1 João 2:24 – KJV).

Baseado nos escritos de Jim Hyland

Conforto das Escrituras para a Quinta-Feira

“Como se justificaria o homem para com Deus?” [1]

Sem a obra substitutiva de Cristo na cruz e a resultante mensagem do evangelho de “que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, e que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras” [2], não haveria resposta à pergunta de Jó em nosso versículo, pois “não há homem justo sobre a terra, que faça o bem, e nunca peque” [3], e o homem não pode justificar-se a si mesmo pelas suas obras ou pela sua religião, pois “nenhuma carne será justificada diante dele pelas obras da lei, porque pela lei vem o conhecimento do pecado” [4]. Então “como se justificaria o homem para com Deus?” A Palavra de Deus responde essa questão. “Agora se manifestou sem a lei a justiça de Deus, tendo o testemunho da lei e dos profetas; isto é, a justiça de Deus pela fé em Jesus Cristo para todos e sobre todos os que creem; porque não há diferença. Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus; sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus. Ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue… para que ele seja justo e justificador daquele que tem fé em Jesus” [4]. “Como se justificaria o homem para com Deus?” “Por ele é justificado todo aquele que crê” [5].

Justificados pelo sangue do Salvador,
Nenhuma acusação contra mim subsistirá;
Ele me levará em segurança por esta vida,
Até chegarmos, finalmente, ao Seu lar.

[1] Jó 9:2; [2] 1 Coríntios 15:3-4; [3] Eclesiastes 7:20; [4] Romanos 3:20-26; [5] Atos 13:39

Diário do Jovem Cristão para a Quarta-Feira

Ministério

“Cada um ministre aos outros o dom como o recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus… Se alguém ministrar, ministre segundo a capacidade que Deus dá” (1 Pedro 4:10-11).

Deus lhe deu uma habilidade em algo. Cada um de nós recebeu um dom diferente ou uma área de serviço. Não importa qual seja essa capacidade. Use-a! Não vá além da capacidade que Deus lhe deu, apenas use-a na esfera onde o Senhor faz você se sentir confortável e onde Ele lhe permite servir efetivamente. Alguns são bons em visitar doentes e outras pessoas sem mobilidade. Alguns podem pregar o evangelho. Outros podem explicar bem as Escrituras. Alguns podem se relacionar com crianças e outros jovens. Outros podem testemunhar para totais estranhos. Outros são adeptos de coisas práticas. Apenas lembre-se de usar o que Deus lhe deu e não vá além do seu dom até que Deus deixe claro que Ele tem outras coisas para você fazer.

Duas vezes lemos sobre Samuel em sua juventude: “Mas Samuel ministrava perante o Senhor” (1 Samuel 2:18). Não temos que esperar até que estejamos idosos para sermos “ministros de Cristo” (1 Coríntios 4:1).

Conforto das Escrituras para a Quarta-Feira

“Em tudo te dá por exemplo de boas obras; na doutrina mostra incorrupção, gravidade, sinceridade” [1]

Nós que somos salvos pela graça de Deus “somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas” [2]. Deus deseja “que os que creem em Deus procurem aplicar-se às boas obras; estas coisas são boas e proveitosas aos homens” [3], pois apenas por nossas vidas mudadas, manifestadas “por exemplo de boas obras” [1], os homens podem ver a evidência de nossa fé em Cristo. Assim, a vida diária do crente, seja em casa, na sociedade, nos negócios, ou no ministério, é da maior importância perante Deus e perante os homens e deve ser caracterizada por “linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário se envergonhe, não tendo nenhum mal que dizer de nós” [4]. Assim obedeceremos às palavra de nosso Senhor, que disse: “Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus” [5]. “O amor de Cristo nos constrange, julgando nós assim: que, se um morreu por todos, logo todos morreram. E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou” [6]. “Seja sobre nós a formosura do Senhor nosso Deus” [7].

Nossas obras da vida falam de nossos corações,
E do que realmente habita neles,
Se vivemos nossa vida para Ele,
Ou para nós mesmos e para o pecado.

[1] Tito 2:7; [2] Efésios 2:10; [3] Tito 3:8; [4] Tito 2:8; [5] Mateus 5:16; [6] 2 Coríntios 5:14-15; [7] Salmo 90:17

Diário do Jovem Cristão para a Terça-Feira

Cristo é Tudo

“Cristo é tudo em todos” (Colossenses 3:11).

Sente-se sobrecarregado? O Senhor diz: “Meu fardo é leve” (Mateus 11:30).

Sente-se desvalorizado? Ele nos encoraja lembrando: “Meu galardão está comigo” (Apocalipse 22:12).

Sente-se inútil? Ele nos informa: “eis que diante de ti pus uma porta aberta, e ninguém a pode fechar” (Apocalipse 3:8).

Fraco? O Senhor encoraja: “minha força se aperfeiçoa na fraqueza” (2 Coríntios 12:9).

Não tem certeza? Ele diz: “Eu sou o caminho” (João 14:6).

Sentindo-se sobrecarregado? Somos exortados: “Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós” (1 Pedro 5:7).

Sente-se amado? Ele nos assegura: “Sim, te amei com amor eterno” (Jeremias 31:3).

Nunca se esqueça de que temos um Provedor maravilhoso e que, não importa o que aconteça, Ele é capaz em todas as situações que surgem em nossa vida cotidiana.

Baseado nos escritos de Jim Hyland
exortacoes.blogspot.com